Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

O que significa tremor nas pálpebras e como tratar o desconforto

iStock
Imagem: iStock

Heloísa Oliveira

Colaboração para o VivaBem

08/12/2017 04h15

Você já sentiu suas pálpebras tremerem sozinhas? Esse ato sutil, aparentemente inofensivo, pode ser indício de que algo não vai bem com a sua saúde. “O tremor palpebral, também chamado de mioquimia, geralmente é sinal de cansaço, ansiedade, nervosismo ou excesso de trabalho”, afirma Thales Antonio Abra de Paula, oftalmologista do Hospital São Luiz, de São Paulo.

Segundo o médico Abra de Paula, quando estamos estressados, liberamos hormônios como o cortisol, que vão para o sistema nervoso autônomo --aquele que controla funções como respiração, controle de temperatura e digestão e não depende da nossa vontade para funcionar. Lá, eles geram estímulos para as pálpebras e as fazem ter contrações involuntárias e repetitivas.

O consumo exagerado de cafeína, que aumenta a produção de cortisol, e a deficiência de vitaminas também podem provocar o tremor. Caso todas essas causas sejam descartadas, existe a possibilidade de haver uma lesão ocular ou um distúrbio neurológico. Nesses casos, é diagnosticado um quadro de blefaroespamo.

“No blefaroespasmo, há um comprometimento maior do número de fibras musculares, causando um piscar de olhos excessivo e constante. Os tremores são tão intensos que limitam a vida da pessoa”, explica o oftalmo.

Esse espasmo também pode ser consequência da síndrome do olho seco (quando as lágrimas não fornecem a umidade adequada) ou até efeito colateral do uso prolongado ou abstinência de calmantes.

Quando procurar um especialista

Se o tremor estiver intenso, permanecer por mais de uma semana, vier acompanhado de coceira e vermelhidão ou atingir outras partes do corpo, é hora de visitar um oftalmologista.

Para casos de estresse, excesso de cafeína e carência vitamínica, o tratamento é simples: relaxar, dormir bem, maneirar no cafezinho e caprichar na alimentação. Praticar atividades como ioga e meditação, ir ao cinema, ouvir música e estar com os amigos e a família também contribuem para amenizar o problema.

“Caso necessário, pode ser feita a prescrição de suplementos vitamínicos e medicamentos ansiolíticos. Ao ser notado um quadro de depressão, o paciente é orientado a procurar um psicólogo ou psiquiatra”, destaca Abra de Paula.

Quando o tremor tem como causa o olho seco, é indicado o uso de colírios lubrificantes e descansos periódicos durante leitura prolongada ou uso contínuo de computador. Já para pacientes com blefaroespasmo é recomendada a aplicação de toxina botulínica, que deve ser feita em locais específicos das pálpebras.

“Esse procedimento ajuda a diminuir a ação do músculo, evitando as contrações repetidas”, diz Rita de Cássia Lima Obeid, especialista em Plástica Ocular e Vias Lacrimais do Hospital Cema, de São Paulo. A toxina botulínica é aplicada em forma de injeções e dura de três a seis meses.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Estilo
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
Estilo
Blog da Adriana Vilarinho
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
Blog da Lúcia Helena
do UOL
VivaBem
do UOL
do UOL
do UOL
Estilo
Blog do Maurício de Souza Lima
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL

do UOL

Saiba quais cuidados você deve ter ao usar lentes de contato no verão

Sol, areia, mar, piscina, esportes ao ar livre. O verão é uma época cheia de diversões que ninguém quer perder de vista. No entanto, quem usa lentes de contato precisa tomar alguns cuidados para não sofrer com problemas que podem prejudicar a saúde dos olhos. Veja quando você deve redobrar a atenção ou até mesmo optar pelos óculos.    Em viagens de avião Não é errado usar lentes de contato quando você vai viajar de avião. Porém, é melhor retirá-las, principalmente em voos noturnos ou com mais de quatro horas de duração. Por causa do ar-condicionado da cabine, os olhos tendem a ficar ressacados e as lentes podem provocar desconforto, irritação, coceira e até dor. Antes de viajar, procure o seu oftalmologista para que ele indique um colírio lubrificante.   Veja também: Evite os erros mais comuns ao usar lentes de contato Mulher descobre que tinha 27 lentes de contato em um olho Câncer de pele que não tem nada a ver com o sol é comum no Brasil   Na hora de mergulhar Se não quiser tirar a lente para entrar na piscina ou no mar, use óculos de natação. Na água existem muitas bactérias que podem ficar na lente, aumentando o risco de uma infecção bacteriana, que pode causar úlceras de córnea, por exemplo. Além disso, o cloro utilizado nas piscinas também pode entrar em contato com as lentes e gerar algum tipo de irritação.    Ao praticar esportes  $escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2018/cuidados-ao-usar-lentes-de-contato-e-praticar-esportes-no-verao-1516050419643.vm')

do UOL
do UOL
Blog da Adriana Vilarinho
Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
Estilo
do UOL
Topo