Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito


Movimento

Personal tem mal súbito e morre em treino na esteira; como evitar problema?

Aquivo pessoal
Renan Bergamaschi mantinha uma rotina saudável: praticava exercícios regularmente e se alimentava bem Imagem: Aquivo pessoal

Do UOL VivaBem

2019-06-20T11:05:32

20/06/2019 11h05

Resumo da notícia

  • O mal súbito geralmente é provocado por problemas no coração, como a doença coronária e a cardiomiopatia hipertrófica
  • A condição é rara e por ano somente um a cada 80 mil atletas sofre morte súbita
  • Realizar exames médicos regularmente com um cardiologista é a melhor forma de prevenir o problema

O profissional de educação física Renan Bergamaschi, 23, morreu enquanto corria na academia, em Linhares (ES). Ele começou a se sentir mal pouco tempo depois de iniciar o treino na esteira e caiu do equipamento. O personal trainer chegou a ser levado para o hospital, mas faleceu durante o atendimento médico.

Segundo familiares, a necropsia apontou como mal súbito a causa do falecimento do jovem --problema que também levou à morte seu avô, anos atrás. O problema sofrido por Renan surpreendeu a todos, já que ele sempre praticou atividades físicas, especialmente corrida, tinha uma boa alimentação e fazia exames médicos regularmente.

O que causa a morte súbita?

De acordo com Guilherme Sangirardi*, cardiologista pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), na população em geral a morte súbita está muito relacionada à doença coronária, na qual há acúmulo de placas nas artérias, limitando o fluxo de sangue para o coração. No entanto, quando falamos de jovens com menos de 35 anos que praticam exercício, esse quadro muda e a doença mais responsável pela morte súbita se torna a cardiomiopatia hipertrófica.

Nessa condição, os músculos cardíacos se tornam espessos e bem maiores do que o normal, dificultando o bombeamento do sangue pelo coração. O esforço físico é um gatilho e pode desencadear arritmias potencialmente fatais. O problema, no entanto, é pouco comum e afeta cerca de 0,2% da população em geral (400 mil brasileiros), segundo o cardiologista do esporte Carlos Alberto Cyrillo Sellera*, da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo).

Dá para prever o problema?

Em boa parte dos casos, as doenças cardiológicas podem ser detectadas em um check-up --o que, infelizmente, não aconteceu no caso de Renan. "É muito importante que pessoas que praticam atividades físicas muito exigentes tenham acompanhamento de um cardiologista e realizem exames de uma a duas vezes por ano", alerta Roberto Bizaco*, médico do esporte e preceptor da Medicina Esportiva do Hospital das Clínicas, em São Paulo.

Entre os testes mais comuns que quem treina regularmente deve fazer para detectar problemas no coração estão o eletrocardiograma, o ecocardiograma e o teste ergométrico, além de exame de sangue para analisar a glicemia e o nível de colesterol. Entenda aqui como é e qual a importância de cada exame.

Fazer exercício é seguro e evita doenças

Em casos como o de Renan, é comum criar-se o estigma de que praticar atividade física pode fazer mal, o que não é verdade. Problemas como o ocorrido com o personal trainer do Espírito Santo são raros. Segundo estudo publicado no BMJ, por ano é registrado um caso de morte súbita a cada 80.000 atletas (a pesquisa avaliou pessoas com menos de 35 anos). Portanto, com liberação médica e orientação de um profissional de educação física, realizar exercícios é seguro e faz bem para a saúde do coração e de todo o corpo.

"O esporte é a principal maneira de prevenção de doença cardiovascular. Mas esse estímulo tem que ter um cuidado por trás e a pessoa deve se orientada por um cardiologista antes de começar a atividade física", finaliza Sangirardi.

*Fontes consultadas em reportagem de 19/03/2018 e de 10/12/2018.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube