menu

Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta


Como emagreci

Usando experiência de trabalho, ele mudou a rotina e perdeu 40 kg em 1 ano

Arte UOL/VivaBem
Imagem: Arte UOL/VivaBem

Giulia Granchi

Do UOL VivaBem, em São Paulo

2019-05-23T04:00:00

23/05/2019 04h00

Alexandre Vignado, 36 anos, chegou aos 142 kg com 1,90m e decidiu emagrecer após ser alertado por um colega de empresa sobre sua má alimentação. Ele utilizou uma técnica de gestão de TI para criar ciclos quinzenais de atividades diárias e metas. Assim, reduziu a gordura, ganhou saúde e realizou o sonho de ser pai. A seguir, ele relata sua história:

"Desde que me lembro eu tive sobrepeso. Antes da minha mudança definitiva, tentei várias dietas, mas nenhuma realmente trouxe resultados e parte disso era culpa minha. Apesar de saber o que tinha de fazer, acabava sabotando meus próprios objetivos e não seguia o regime corretamente.

No auge dos excessos, quando estava pesando 142 kg, sofri um baque que precisava muito. Tinha acabado de voltar de um almoço com o pessoal do trabalho e um amigo que já tinha feito bariátrica falou: 'Sem querer ser chato, mas você não acha que está comendo demais?'. Veio na hora certa.

Sabia da minha condição, mas meu peso nunca havia atrapalhado meu trabalho. O colega que me chamou a atenção tinha feito a cirurgia, mas eu não queria passar por isso, então decidi mudar meu estilo de vida.

Antes, minha rotina alimentar consistia em sempre comer fora e escolher alimentos como picanha, linguiça, frituras, doces, qualquer opção pouco nutritiva.

Passava longe de legumes e verduras e cheguei a fazer pratos com 1 kg de comida no almoço

Tinha o sonho de ter um filho, mas como eu e minha esposa estávamos acima do peso, achávamos que não seríamos bons pais. Como cuidaríamos de uma criança sem ter disposição para correr 100 metros? E aí, íamos adiando os planos.

Sabia que ter uma boa alimentação e fazer exercícios seria essencial para perder peso. Então, tive uma ideia para auxiliar na mudança. Trabalho com gestão e pensei: se consigo gerenciar projetos, por que não o que eu como? Usei um método chamado Scrum, mais conhecido na área de TI (tecnologia da informação), no qual você monta ciclos de 30 dias com atividades diárias para atingir objetivos.

Montei meu planejamento com auxílio de nutricionista e profissional de educação física, dividindo minhas atividades em ciclos de 15 dias. Para cada quinzena, existia uma meta (perder X quilos, correr tantos km) e, diariamente, durante 15 minutos eu trabalhava respondendo três perguntas: "O que fiz bem ontem?"; "O que farei hoje?"; O que estou errando ou o que preciso melhorar?".

Arte UOL/VivaBem
Imagem: Arte UOL/VivaBem

Então, refletia no que poderia melhorar: quando saía da dieta, identificava por que me sabotei; se faltava na academia, pensava sobre o que me desanimou e fazia correções para evitar isso.

Após cinco meses, consegui perder 30 kg. Foi aí que decidi começar a treinar corrida também --modalidade na qual minha esposa e principal incentivadora me acompanhou e pela qual me apaixonei totalmente.

No marco de um ano desde o começo do processo, já havia eliminado 40 kg. Como estava mais leve e melhor na corrida, coloquei como meta completar uma maratona, com o pensamento de que correria quase um quilômetro para cada quilo perdido. Foi um sentimento indescritível, o de fazer algo que eu nunca imaginei que seria capaz. Finalizar a prova me mostrou o quão incrível é a sensação de que saber que você alcançou algo simplesmente por ter acreditado nisso.

Arte UOL/VivaBem
Imagem: Arte UOL/VivaBem

Minha saúde também melhorou bastante com as mudanças. Antes, tinha cálculo renal recorrente, a cada mais ou menos oito meses aparecia uma nova pedra no rim. Nunca mais tive. Além disso, a pressão alta, resultado de anos de alimentação ruim, também foi embora.

E o melhor é que hoje eu e minha esposa somos pais e podemos dar um exemplo bom para nosso filho. Temos disposição para cuidar e brincar com ele, que se alimenta de forma saudável, assim como nós. Juntos, eu e ela perdemos mais de 60 kg e doamos o peso em alimentos para uma instituição que atende pessoas idosas, o Recanto dos Velhinhos de Valinhos.

Quando olho para trás, vejo que a maior mudança foi no modo de pensar. Eliminei a autossabotagem e não vejo mais a minha rotina como obrigação, mas como algo natural e bom para mim.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube