menu

Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito


Fiquei dolorido após o treino, tem problema tomar relaxante muscular?

iStock
Sabe quando descer escadas se torna uma missão impossível porque você treino no dia anterior? Aguente firme e fique longe dos relaxantes musculares Imagem: iStock

Maria Júlia Marques

Do UOL VivaBem, em São Paulo

05/02/2019 04h00

Vou narrar a história da vida de muita gente: foi treinar todo empolgado na academia, fez um treino bacana de musculação, saiu feliz e depois de um tempinho notou que não conseguia levantar os braços nem para escovar os dentes ou mexer as pernas para subir escadas. 

Com o desespero da dor, tem quem opte por tomar um relaxante muscular para ter uma certa paz, mas essa solução é uma boa?

A resposta é não: o melhor é deixar o remédio para lá e sentir a dor muscular como uma vitória por ter treinado. Isso porque o medicamento pode enganar seu corpo e favorecer uma lesão.

"Tomando um relaxante muscular você ilude o seu sistema nervoso ao mascarar a dor. Ele bloqueia as informações sobre o incômodo que saem do músculo e vão para o cérebro, a dor continua lá, você só perde a percepção", explica Diego Leite de Barros, professor e fisiologista do esporte do HCor, em São Paulo.

Qual o problema disso? Sem sentir o músculo dolorido, você acha que está apto a treinar de novo ou a forçar a região com alguma atividade corriqueira antes da fibra muscular se recuperar por completo, o que aumenta o risco de uma lesão. 

"A dor é um fator protetor, se alguma parte do seu corpo dói é um alerta para proteger a região e não forçar mais para não machucar. É importante respeitar o sinal e não ocultá-lo", diz Ricardo Eid, especialista em medicina do esporte e exercício do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo. 

O relaxante muscular prejudica os resultados?

Além do alívio da dor e da sensação de bem-estar físico e mental, o relaxante muscular pode minimizar os ganhos do treino. "Os estudos não têm uma resposta precisa sobre se tal medicamento elimina os ganhos da malhação, mas existem remédios nessa categoria que alteram, retardam ou até inibem a eficiência da contração muscular, o que afeta a reconstrução das fibras musculares e pode afetar a hipertrofia," afirma Eid.  

Por que a dor aparece no pós-treino?

A dor no pós-treino é esperada, não existe necessidade de entrar em desespero. 

Para o corpo melhorar a adaptação muscular e ganhar força de forma geral ele depende do processo de microlesões nas células dos músculos. "A dor vem do fato que ao fazer forçar na musculação, por exemplo, você faz essas pequenas feridas nas fibras musculares. A reparação dessas fibras é que gera a adaptação do músculo e o processo de hipertrofia, ele fica mais forte e maior," conta Barros.

Porém, o incômodo pode deixar de ser algo comum e é melhor descansar do que seguir treinando. O alerta para a dor é se ela for assimétrica ou se demorar mais de 72 horas para passar. As dores musculares esperadas costumam aparecer em toda a musculatura treinada. Se você fez supino, por exemplo, o incômodo deve surgir em todo o peitoral. Caso a dor ocorra somente em um local específico do grupo muscular e/ou não passar, é preciso consultar um médico para ver se não houve lesão. 

"Se exagerou e se lesionou a pessoa sente uma dificuldade muito clara de movimentação, você tenta fazer força, mas o músculo não reage bem, fica com limitação de amplitude e travado," pontua Barros.

Como aliviar a dor?

A dor pode ser uma aliada para dizer quando trocar seu treino, se ele está pesado demais ou se você exagerou na carga, mas ninguém precisa sofrer toda vez que for na academia. 

E como o melhor para o organismo e desempenho do músculo é aguentar a sensação de dolorido, confie que a fórmula de sucesso para a recuperação saudável é a reposição de nutrientes (alimentação) e descanso. "O repouso faz a fibra do músculo se recuperar, enquanto ingerir os nutrientes adequados potencializa o processo de reparação muscular. No pós-treino é bacana investir em uma associação de carboidratos e proteínas," aconselha Barros. 

Para dar o tempo para o músculo se recuperar, é interessante intercalar treinos: se segunda você fez braço, deixe essa musculatura descansar na terça e treine só perna. Além disso, fazer gelo após exercícios intensos também ajuda a reduzir as dores e acelerar a recuperação. "Existem ainda alternativas como entrar na piscina, a compressão da água alivia, ou fazer massagem com rolinhos e até usar aparelhos de eletroestimulação," completa Eid.

E se eu tomar relaxante antes de treinar?

Não faça essa maluquice. Qualquer remédio no pré-treino é perigoso por poder mascarar dores e interferir nos padrões de defesa do organismo. Fora que, no caso do relaxante muscular, muitos dos tipos têm o sono como efeito colateral, o que não combinada com malhação. 

"A eficiência e resposta muscular são alteradas com os relaxantes. Você não terá a resposta que está acostumado. Vai tentar levantar um peso habitual, mas vai se machucar, já que o recrutamento e a contração muscular não vão responder como antes", explica Eid. 

Se você for praticar um esporte pode ser ainda pior. Imagine que está jogando futebol depois de se medicar, se estiver correndo e for mudar de direção para driblar alguém, você precisa que a musculatura responda rapidamente para proteger a articulação, mas ela estará devagar, vai demorar, o que aumenta muito as chances de lesão, de acordo com Eid. 

"Fora que o relaxante muscular tem efeito vaso dilatador, o que pode levar a queda de pressão arterial e fraquezas. Se você tomou um remédio desse, tem que repousar," conclui Barros.

Três exercícios para fortalecer o core na praia ou em casa

VivaBem

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube