Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Quem goza em um minuto tem ejaculação precoce? Como evitar o problema?

iStock
Imagem: iStock

Daniel Navas

Colaboração para o VivaBem

06/06/2018 04h00

Dificilmente alguém cronometra quanto tempo demorou para gozar. Mas você já se perguntou algumas vezes se chegou ao orgasmo rápido demais? Esse questionamento é determinante para entender se a pessoa sofre ou não de ejaculação precoce, problema, que atinge um em cada quatro brasileiros, de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

A condição está associada a fatores físicos e psicológicos e pode ser revertida com algumas técnicas e tratamentos médicos. A seguir, tiramos as principais dúvidas sobre o assunto.

Veja também: 

iStock
Homens com ejaculação precoce têm orgasmo antes de introduzir o pênis na parceira ou cerca de um minuto depois da penetração Imagem: iStock
O que é a ejaculação precoce? 

É um distúrbio sexual associado à rapidez em se atingir a ejaculação, que não pode ser evitada ou ao menos controlada por algum tempo. “Quase 90% dos homens com o problema chegam ao orgasmo mais ou menos um minuto após a penetração vaginal ou até mesmo antes de introduzir o pênis na parceira”, esclarece Flávio Areas, urologista do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.

Quais são as causas da ejaculação precoce?

Os fatores que desencadeiam o problema podem ser físicos, psicológicos e genéticos. Apesar de não existir uma causa específica, na maioria das vezes a ejaculação precoce ocorre por questões psicológicas.

"A condição é consequência de questões como depressão, baixa autoestima e confiança, estresse, ansiedade e experiências sexuais traumáticas”, explica Marcelo Bendhack, doutor em uro-oncologia pela Universidade de Düsseldorf (Alemanha) presidente da Associação Latino-americana de Uro-Oncologia (UROLA) e membro do Conselho da Federação Mundial de Uro-Oncologia (WUOF).

Segundo o médico, os fatores físicos que desencadeiam a ejaculação precoce são: hipersensibilidade na zona peniana, doença da próstata, diabetes ou abuso de álcool, doenças da tiroide, lesões na coluna vertebral e o uso excessivo de medicamentos. 

iStock
Fatores psicológicos, como baixa autoestima, ansiedade e experiências sexuais traumáticas, são as principais causas de ejaculação precoce Imagem: iStock

Como funciona o tratamento?

Ele é dividido em duas frentes: psicológica e medicamentosa. No primeiro caso, pode-se optar pela terapia sexual, em que o paciente --e sua parceira, caso haja -- recebe informações sobre sexualidade. “É preciso reduzir os focos de ansiedade associados à relação afetiva e sexual. Propor mudanças no comportamento individual no sexo e do casal, estimulando mais comunicação e melhora da qualidade de vida”, aponta Areas.

Para o tratamento medicamentoso, são usados inibidores seletivos de recaptação de serotonina, além de creme, spray ou gel à base de lidocaína. Eles provocam uma anestesia local e por isso ajudam a retardar o orgasmo. No entanto, podem causar efeitos colaterais como redução em demasia da sensibilidade da glande e da vagina --prejudicando o prazer. Por isso é importante sempre buscar orientação médica.

Existe algum grupo de homens mais suscetível ao problema?

Sim. Aqueles com instabilidade mental e principalmente emocional (ansiedade, estresse e insegurança). “A dificuldade em ter ou manter uma ereção também pode acabar estimulando uma ejaculação mais rápida. Sem esquecer que adolescentes ou mesmo adultos jovens que se condicionaram a uma vida sexual de ‘rapidinhas' acabam adquirindo a condição cronicamente”, afirma Areas. Problemas como esclerose múltipla,  prostatites (inflamação da próstata) e disfunção erétil são outros possíveis fatores da ejaculação precoce. 

iStock
O preservativo pode diminuir a sensibilidade no pênis e retardar o orgasmo Imagem: iStock

Usar preservativo ajuda a retardar o orgasmo?

Sim. Em alguns homens, a camisinha diminui um pouco a sensibilidade no pênis e pode fazer com que ele demore um pouco mais para ejacular.

"Tirar o foco" da transa inibe o problema?

Geralmente, toda tática utilizada para diminuir a ansiedade durante o sexo contribui para evitar a ejaculação precoce. “Uma boa técnica é pensar em coisas fora do sexo, mas, ao mesmo tempo, é complicado sugerir isso, pois alguns homens acabam perdendo o interesse na transa e ficam sem ereção”, alerta Alex Meller, urologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

iStock
Pensar em outras coisas durante o sexo pode retardar a ejaculação Imagem: iStock

Mudar de posição sexual retarda o orgasmo?

Sim. “Para ejacular, você acumula algumas substâncias no organismo, especialmente a adrenalina. Na pausa para mudar a posição, há uma diminuição no nível desse hormônio e da excitação, o que retarda o orgasmo”, ensina Meller. 

"Recebi sexo oral e gozei rápido demais ao penetrar a parceira. Isso é ejaculação precoce?"    

Não. “O orgasmo é definido como precoce quando ocorre após estimulação sexual mínima", esclarece Bruno Azevedo, urologista do Hospital São Luiz, em São Paulo. Ou seja, se você aguentou firme um tempão enquanto recebia sexo oral, houve bastante estimulação. 

iStock
Homens circundados podem ter menor sensibilidade no pênis, mas isso não garante menor risco de ejaculação precoce Imagem: iStock

Homens circuncidados têm menor risco de ejaculação precoce?

Não há evidência científica esclarecedora em relação aos efeitos da circuncisão na ejaculação precoce. “A exposição da glande após a remoção do prepúcio pode diminuir um pouco da sensibilidade, mas como o problema está ligado a um processo psicológico e cerebral, essa redução não acaba com o problema”, aponta Meller.

O álcool retarda o orgasmo? 

A bebida alcoólica acaba ajudando, sim, mas não é o tratamento ideal. “O álcool diminui a ansiedade e relaxa, o que faz com que a pessoa tenha um controle melhor da ejaculação”, aponta Meller. Porém, se você exagerar, a bebida pode afetar os centros cerebrais do sistema límbico de estimulação do orgasmo, o que dificulta a ejaculação e pode até inibi-la completamente. Sem falar que se beber demais você pode ainda ter dificuldades de ereção. 

iStock
A bebida diminui a ansiedade, o que ajuda a retardar a ejaculação. Mas ela também pode impedir o orgasmo ou a ereção Imagem: iStock

Masturbar-se é bom para "aprender" a controlar a ejaculação?

Sim. Você pode treinar para conseguir retardar o orgasmo. Ao perceber que vai chegar ao ápice do prazer, basta interromper os estímulos, aguardar um tempo e depois reiniciar. “Apertar o pênis próximo a glande para diminuir a excitação é outro treinamento, assim como puxar o prepúcio toda vez que for urinar e manter a glande exposta na cueca”, fala Bruno Azevedo.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube