VivaBem

O que é e quais são os sintomas da esclerose múltipla?

iStock
Esclerose múltipla Imagem: iStock

Do VivaBem

13/01/2018 04h02

O nome esclerose múltipla faz com que muitas pessoas se confundam sobre o que realmente é a doença. Isso acontece devido à associação com o adjetivo esclerosado, muito usado para idosos com declínio das capacidades mentais --popularmente falando, que estão perdendo o juízo ou ficando gagá.

Mas a esclerose múltipla está longe de ser uma doença de pessoas com idade avançada (ou malucas). Atualmente, quem mais sofre com o problema são jovens adultos, entre 20 e 35 anos, principalmente mulheres.

O que é a doença?

A esclerose múltipla é uma doença autoimune, causada por uma "confusão" do organismo. O sistema imunológico da pessoa identifica a bainha de mielina, revestimento dos neurônios, como um agente estranho e a ataca. Isso dificulta a transmissão dos impulsos nervosos.

Veja também:

Quais são os sintomas da esclerose múltipla?

Qualquer processo que depende de impulsos nervosos para ser realizado pode ser afetado pela doença --ou seja, praticamente tudo que nosso organismo faz.

Para muitos, a esclerose múltipla primeiro afeta a visão. Um dos olhos começa a falhar ou aparece uma mancha escura, seguida de dor. É a chamada neurite óptica.

Outro sintoma pode ser o desequilíbrio, por causa de lesões no tronco encefálico. A pessoa também pode sentir tontura persistente, dores faciais, dificuldade para andar ou segurar objetos, devido à perda de força nas pernas e nos braços, fadiga e formigamentos. 

A doença leva à demência? 

Apesar de os sintomas mais frequentes serem físicos, algumas pessoas também sofrem com problemas de cognição. Não é raro que a esclerose múltipla cause perda de memória, déficit de atenção e reduza a velocidade do processamento de informações no cérebro --ou seja, o raciocínio fica mais lento. Se isso ocorrer e for identificado no começo da doença, a chance de reverter o problema é grande. Porém, conforme o tempo passa e o número de lesões aumenta, fica mais difícil a recuperação total. 

Como é o tratamento?

A doença é controlada com remédios, como os imunomoduladores e imunossupressores. Muitos medicamentos causam efeitos colaterais, como enjoo e mal-estar.

Apesar dos desconfortos gerados, com a medicação a pessoa consegue levar uma vida ativa e produtiva. Quando a esclerose múltipla é detectada precocemente e tratada conforme indicação médica, o paciente reduz o número de possíveis surtos e evita sequelas. 

Fontes: Rodrigo Thomaz, neurologista do Hospital Israelita Albert Einstein, e Mauricio Hoshino, neurologista do Hospital Santa Catarina. Os especialistas foram ouvidos em reportagem publicada em 30/08/2017.

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais VivaBem

Topo