Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta

Com treino e dieta, Bruna perdeu em 9 meses os 30 kg que ganhou na gravidez

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Thamires Andrade

Colaboração para o VivaBem

31/05/2018 04h00

Bruna Abrão, 35, usou remédios para emagrecer por 9 anos e enfrentou durante muito tempo o efeito sanfona. Abaixo, ela conta como entrou em forma de vez após a gestação:

"Era uma criança magrela, mas fui criada à base de doce e mamadeira com achocolatado. Aos 15 anos comecei a engordar e não soube como controlar o peso, pois passei a vida toda comendo errado. Então, decidi tomar remédio para emagrecer. Não sentia fome, comia só duas vezes ao dia e sempre alguma tranqueira.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Usei medicamento até os 24 anos e tive que parar por questões financeiras. Engordei 20 kg em três meses. Usava calça 36 e pulei para a 46. Não queria nem me pesar mais. Fazia dietas malucas e tentava milagres para emagrecer, mas vivia no efeito sanfona: perdia 5 kg e depois engordava 7 kg.

Perto dos 30 anos, comecei a pensar em ter filhos, mas tinha medo que a gestação dificultasse o emagrecimento. Fora que todo mundo dizia que depois dessa idade fica mais difícil de perder peso. Foi quando resolvi tomar a decisão de emagrecer.

Em princípio, cortei refrigerantes e besteiras como pizza, chocolate e fast-food. Depois de quatro meses, busquei um nutricionista e comecei a fazer uma reeducação alimentar. Reduzi as porções que comia e a quantidade de carboidrato. Meu cardápio era rico em saladas, legumes e castanhas. Cortei de vez o açúcar e isso também fez diferença para mim.

A cada meta que batia, me liberava para comer pizza ou tomar cerveja. Assim, perdi 25 kg em oito meses sem sofrer muito

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Claro que além da alimentação saudável precisei deixar o sedentarismo de lado. Comecei com caminhadas leves e fiz musculação por nove meses, mesmo sem gostar. Parei quando conheci o crossfit. Fiquei apaixonada pela modalidade, pois gosto de desafios. Mantive essa rotina e meu peso por três anos. Estava radical a ponto de quase não comer carbo e não sair da dieta por nada.

Foi quando engravidei e passei a ter acompanhamento de uma nutricionista que passou uma dieta rica em carboidratos. Entraram no meu cardápio muitos grãos integrais, pães etc. Achei que era importante consumir esses alimentos por causa da saúde do bebê. Engordei 5 kg em um mês. Ao todo foram 30 kg a mais na gestação, mesmo praticando crossfit com liberação médica.

Cheguei a ficar receosa com meu tamanho, mas mantive em mente que já tinha emagrecido uma vez e conseguiria novamente

Meu maior medo, na verdade, era ter alguma doença por conta do excesso de peso, como diabetes gestacional e pré-eclampsia.

Depois do parto, voltei a me alimentar de forma mais saudável, mas sem qualquer restrição calórica por conta da amamentação. Saia da dieta uma vez por mês para comer um doce, pizza ou japonês. Nesse meio tempo, usava minhas fotos de antes para me motivar e ficava muito na dúvida se meu corpo voltaria a ser como era antes. Também voltei para o crossfit, mas precisei parar há cinco meses depois de uma cirurgia por conta de uma hérnia de disco. Agora faço pilates para fortalecimento e musculação por indicação médica.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Quem estava de fora, achou que emagreci rápido, mas foram nove meses para perder 30 kg e recuperar minha forma. Durante todo esse tempo, registrei a mudança de vida no meu Instagram para compartilhar as dificuldades de emagrecer e largar o vício em certos alimentos.

Depois da gestação, comecei a ter alguns problemas para conciliar a maternidade com a vida pessoal e profissional. Foi quando busquei uma coach especializada em mães. Na terceira sessão, já estava fazendo mudanças importantes na minha vida e melhorando meu casamento e outros tópicos que tinham sido revirados após o nascimento do bebê.

Sempre recebia muitas mensagens nas redes sociais sobre dicas para emagrecer e foi quando resolvi fazer um curso de coaching para poder ajudar essas. Fiz atendimentos individuais e depois elaborei um curso online. Minha vida foi transformada por meio do coaching, então, sei que posso fazer o mesmo pelos outras pessoas. Sinto uma gratidão por isso. É como uma missão de vida, mas sempre deixo claro que coaching não é milagre. Nenhum curso ou ajuda externa é capaz de emagrecer o outro. Não adianta receber um conhecimento novo e não aplicá-lo. Antes de mais nada é preciso realmente querer emagrecer e não ser emagrecido.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube