Topo

Longevidade

Práticas e atitudes para uma vida longa e saudável

Estudo revela o que alguém com demência precisa para ter qualidade de vida

iStock
A cada três minutos uma pessoa desenvolve demência no mundo, acreditam os pesquisadores Imagem: iStock

Do VivaBem

10/05/2018 13h01

Após analisar centenas de estudos, um grupo de pesquisadores descobriu quais os fatores chave para uma pessoa com demência ter qualidade de vida. Conduzida pela Universidade de Exeter, no Reino Unido, e publicada no periódico Psychological Medicine, a revisão descobriu que bons relacionamentos, engajamento social, melhor funcionalidade no dia a dia, boa saúde física e mental e cuidados de alta qualidade estavam todos ligados a uma vida mais saudável em pacientes com a condição.

"Enquanto muitas investigações focam na prevenção e melhores tratamentos, é igualmente vital entendermos como podemos otimizar a qualidade de vida das 50 milhões de pessoas em todo o mundo que sofrem de demência”, alerta a professora Linda Clare, da Universidade de Exeter. Segundo ela, agora é preciso desenvolver maneiras de colocar essas descobertas em ação para fazer diferença na vida das pessoas.

Leia também:

A equipe realizou uma revisão sistemática e meta-análise para examinar todas as evidências disponíveis sobre os fatores que estão associados com a qualidade de vida das pessoas com demência. Eles incluíram 198 estudos, que incorporaram dados de mais de 37.000 pessoas. A análise constatou que fatores demográficos como sexo, estado civil, educação, renda ou idade não estavam associados à qualidade de vida nessas pessoas e nem o tipo de demência.

Fatores ligados à baixa qualidade de vida incluem problemas de saúde mental ou física, dificuldades como agitação ou apatia e necessidades não satisfeitas.

Anthony Martyr, principal autor do estudo, diz que o maior desafio é manter uma vida minimamente boa à medida que a demência progride. A ideia é que agora eles comecem a observar pessoas que vivem com a doença para compreender o que realmente os ajuda.

"Manter uma vida social saudável e fazer as coisas de que você gosta são importantes para a qualidade de vida de todos. As pessoas que sofrem de demência não são exceção”, afirmou Doug Brown, da Alzheimer's  Society, em um comunicado. De acordo com ele, alguém desenvolve demência a cada três minutos, mas muitos enfrentam sozinhos o problema e se sentem socialmente isolados.

"As pessoas com demência têm o direito de continuar vivendo uma vida que amam. Esse estudo permitirá que indivíduos, empresas e comunidades envolvam e capacitem as pessoas afetadas, mas precisamos que toda a sociedade se una para garantir que as pessoas com demência se sintam compreendidas, valorizados e capazes de contribuir para a sua comunidade”, apontou Brown.

Siga o VivaBem nas redes sociais
Facebook • Instagram • Youtube