Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Ansiedade pode ser indicador precoce de doença de Alzheimer, diz estudo

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem

12/01/2018 12h36

Um novo estudo sugere uma relação entre níveis elevados de beta-amilóide e a piora dos sintomas de ansiedade, suportando a hipótese de que transtornos neuropsiquiátricos podem representar uma manifestação antecipada da doença de Alzheimer.

Cientistas do Hospital Brigham and Women's, nos Estados Unidos, analisaram a associação de beta-amilóide (uma das proteínas responsáveis por danificar o cérebro na doença) com o surgimento da depressão e sintomas depressivos em adultos normais. Suas descobertas, publicadas hoje no periódico The American Journal of Psychiatry, indicam que níveis mais altos de beta-amilóide podem estar associados ao aumento dos sintomas de ansiedade nesses indivíduos.

Leia mais:

"Em vez de apenas olhar a depressão, analisamos os sintomas específicos, como a ansiedade. Quando comparado a outros sintomas de depressão, como tristeza ou perda de interesse, os sintomas de ansiedade aumentaram nas pessoas que tinham níveis mais altos de beta-amilóide no cérebro", disse a psiquiatra geriatra e autora do estudo Nancy Donovan.

Segundo ela, os resultados sugerem que os sintomas de ansiedade podem ser uma manifestação do Alzheimer antes do início da deficiência cognitiva. “Se uma pesquisa adicional sustentar a ansiedade como um indicador precoce, será importante não apenas para diagnosticar as pessoas no início da doença, como também tratar, abrandar ou prevenir o problema."

iStock
Durante o estudo, pessoas ansiosas tinham mais beta-amilóide, proteína responsável por danificar o cérebro em quem tem Alzheimer, no cérebro Imagem: iStock

Para o estudo, os cientistas usaram dados da Harvard Aging Brain Study, uma pesquisa observacional feita com adultos mais velhos, voltada para a definição de alterações neurobiológicas e diagnósticos precoces de Alzheimer.

Ao todo, a equipe analisou, durante cinco anos, 270 pessoas cognitivamente normais e que tinham entre 62 e 90 anos. Os indivíduos também foram submetidos a exames de imagem e avaliações anuais para depressão, assim como seus sintomas.

Os resultados mostraram que uma carga maior de beta-amilóide cerebral estava associada ao aumento dos sintomas de ansiedade ao longo do tempo. Além disso, os cientistas sugerem que a piora dos sintomas ansiosos e depressivos pode ser um preditor precoce de níveis elevados de beta-amilóide --e, por sua vez, da doença de Alzheimer.

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy