Saúde

Sintomas, prevenção e tratamento de doenças

Remédios para ansiedade e sono matam mais que cocaína e heroína, diz estudo

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem

05/12/2017 13h13

Já é sabido que o uso de drogas ilícitas é um fator de risco para mortalidade. Mas pesquisadores descobriram que medicamentos psiquiátricos, mais especificamente as benzodiazepinas, podem matar mais do que cocaína, heroína e anfetaminas.

O estudo, publicado em maio no periódico American Journal of Public Health, mostrou que o consumo excessivo desses fármacos causa maior risco de mortalidade do que outras substâncias tradicionais usadas pela população.

Veja também:

As benzodiazepinas são uma classe de medicamentos conhecidos como “tranquilizantes” e são usadas para tratar ansiedade, distúrbios do sono, convulsões e outras condições. Elas incluem drogas que são comumente prescritas como Valium, Xanax e Lorazepam.

Realizada pela Universidade da Colúmbia Britânica de Vancouver, no Canadá, a pesquisa entrevistou 2.802 voluntários usuários de benzodiazepinas durante cinco anos e meio. Ao final do estudo, 18,8% dos participantes morreram. Mesmo após excluírem casos de infecções por HIV e outros potenciais causadores de risco, como as drogas ilegais, os cientistas afirmaram que a taxa de mortalidade entre os usuários da substancia prevaleceu maior que a dos outros fármacos.

“O interessante sobre isso é que é uma droga prescrita e as pessoas pensam que estão seguras. Mas, provavelmente, estamos prescrevendo essas drogas de uma maneira que está causando danos”, disse o cientista Keith Ahamad ao jornal Vancouver Sun. "Não há muita evidência científica para dizer que essas pessoas devem usar esses medicamentos de forma crônica."

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Blog da Adriana Vilarinho
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Agência Estado
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Agência Estado
Agência Estado
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Topo