Saúde

Sintomas, prevenção e tratamento de doenças

Camisinha impede contaminação por HPV? 12 perguntas e respostas sobre vírus

Getty Images
Imagem: Getty Images

Thamires Andrade

Do VivaBem, em São Paulo

28/11/2017 17h32Atualizada em 29/11/2017 18h40

Mais da metade da população brasileira de 16 a 25 anos está infectada com o HPV. A estimativa é de um estudo epidemiológico divulgado hoje e feito pelo Ministério da Saúde em parceira com o Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre.

O dado alarmante já era de se esperar, de acordo com Rosana Richtmann, infectologista e consultora do Comitê de Imunizações da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia). “Os jovens estão cada vez menos preocupados em usar preservativo e isso, sem dúvida, aumenta o risco de transmissão de doenças, como HIV, sífilis e não seria diferente com o HPV”, fala.

Por isso, a importância da vacinação precoce. A recomendação é vacinar a partir dos nove anos de idade, antes do início da prática sexual. "Além de não ter tido contato com vírus, o sistema imunológico de um paciente de nove anos é melhor do que um de 18. Fora que a vacina não estimulará ninguém a iniciar a vida sexual. Ela só vai proteger contra o câncer", afirma.

Para sanar todas as dúvidas, Rosana respondeu 12 perguntas sobre o HPV: 

1) O que é o HPV?

O HPV é a sigla de papiloma vírus humano. Existem mais de 200 subtipos diferentes de HPV, no entanto, somente cerca de 40 subtipos são de alto risco e estão relacionados a doenças graves, como verrugas e câncer.

2) Como que se pega HPV?

O HPV é considerado um vírus de transmissão fácil, já que ela ocorre no contato entre a pele. Sendo assim, é possível contrai-lo durante o sexo vaginal, anal, oral e também na masturbação, já que a pele da mão entra em contato com a região genital.

3) Quais são os sintomas do vírus?

O HPV é assintomático, ou seja, o homem ou a mulher infectados não sentem febre, calafrio, dor de cabeça ou qualquer manifestação diferente no corpo. Alguns pacientes tem o aparecimento de verrugas genitais que aí sim precisam ser cauterizadas e tratadas.

4) Como é o diagnóstico?

O diagnóstico precoce pode ser feito pela pesquisa da presença do vírus na área genital, usando técnicas moleculares. Estes exames podem ser realizados no mesmo momento da coleta do papanicolau.

5) Quem contraiu HPV, vai ter verrugas genitais e outras doenças?

Não necessariamente. Cerca de 80 a 90% da população conseguem eliminar o vírus espontaneamente graças ao sistema imunológico. Só quem tem a persistência do vírus é que pode progredir para um quadro de verrugas genitais e doenças, como o câncer.

6) Como é feito o tratamento do HPV?

Se o HPV é diagnosticado de forma precoce, o médico acompanha o paciente para identificar se ele conseguirá eliminar o vírus por conta própria. Portanto, nesses casos, não há um tratamento específico. Caso o paciente não elimine o vírus e apareçam as verrugas, elas precisam ser cauterizadas, enquanto as lesões precursoras do câncer necessitam de tratamentos específicos, como cirurgia no colo uterino.

7) Quais doenças podem surgir ao ser contaminado por HPV?

A doença mais comum são as verrugas genitais, que provocam incômodo e são chatas de tratar, já que a cauterização pode provocar queimaduras e as verrugas podem rescindir. Já os tipos de câncer mais comuns nas mulheres são o de colo de útero, de vulva, de ânus e orofaringe. Já para os homens os principais são o câncer anal, orofaringe e de pênis.

8) E por que o HPV está relacionado com o câncer?

O vírus tem uma capacidade diferente dos outros de causar câncer. Tudo por que ele entra na célula e muda completamente seu aspecto, transformando-a em uma célula pré-cancerosa.

9) Como é possível se prevenir?

Ainda que a camisinha não consiga proteger totalmente o contágio do HPV, ela é muito indicada para diminuir a chance de transmissão desse vírus e de outras doenças, como hepatite B, HIV e sífilis. Outra maneira de se prevenir é fazer o papanicolau anualmente. No entanto, a medida mais efetiva nos dias de hoje é a vacina do HPV, que é extremamente segura e eficaz.

10) Como a vacina protege contra o vírus?

A vacina tem uma partícula semelhante ao vírus, só que sem seu DNA, assim, ela “engana” o sistema imunológico. Ele acredita que é o vírus da HPV e começa a desenvolver anticorpos para combater a “doença”.

11) A vacina protege contra todos os vírus?

Não. Ela protege contra quatro tipos –lembrando que existem mais de 200 subtipos. No entanto, vale a pena apostar na proteção, pois esses subtipos estão relacionados a maior incidência de câncer e de verrugas.

12) A vacina é segura?

Muito. Ela foi feita por meio de engenharia genética, portanto, não há DNA em sua composição, o que a torna bem mais segura --a ponto de ser indicada para transplantados e pacientes com HIV, que costumam ter um sistema imunológico abaixo. Uma série de estudos também mostrou sua eficácia em reduzir lesões que resultam no câncer do colo do útero. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Agência Estado
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Agência Estado
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
Agência Estado
do UOL
Agência Estado
Blog da Lúcia Helena
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Agência Estado
AFP
do UOL
do UOL
AFP
Cintia Cercato
do UOL
Topo