Topo

Check-up VivaBem

Aqui boato não tem vez! Esclarecemos o que dizem por aí

Fazer clareamento dental pode provocar câncer?

Check-up VivaBem - clareamento
Imagem: Priscila Barbosa/VivaBem

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo

18/07/2018 04h00

Seja por estética, seja por saúde, o clareamento dental é algo que as pessoas cada vez mais buscam fazer. E se algum dia você pensou em investir no tratamento, já deve ter ouvido que o método para deixar os dentes brancos e sem manchas pode gerar tumores. Será que existe mesmo esse risco?

Clareamento dental causa câncer?

Segundo especialistas, não há evidência científica de que o procedimento provoque a doença. E isso vale tanto para o tratamento realizado com laser (no consultório) ou com moldeira (caseiro). O que pode ocorrer são lesões ou irritação na gengiva e sensibilidade excessiva nos dentes, principalmente quando o clareamento é feito sem a avaliação e supervisão de um profissional capacitado. Somente um odontologista pode dizer se você realmente precisa realizar o clareamento, qual o melhor procedimento e o número de sessões necessárias.

Qual o método é mais eficaz? 

Tanto o clareamento caseiro quanto o realizado em consultório utilizam o mesmo princípio ativo: um gel à base de peróxido de hidrogênio ou peróxido de carbamida. A substância libera oxigênio e promove a oxidação das moléculas orgânicas de pigmentos presentes na superfície dental. Com esta “quebra”, ocorre o clareamento dentário.

A eficácia das duas técnicas é bastante semelhante. A principal diferença entre elas é que, no procedimento feito na clínica, o dentista utiliza um laser para acelerar a conversão do gel clareador, diminuindo o número de sessões. Já no tratamento realizado em casa, o paciente aplica o gel em uma moldeira e fica com ela nos dentes durante algumas horas --geralmente, a pessoa dorme com ela. A melhor opção vai depender das características de cada paciente, que deverão ser avaliadas pelo cirurgião-dentista.

Todo mundo pode fazer?

Pessoas que sofrem com hipersensibilidade nos dentes devem evitar o procedimento. Isso porque a técnica pode aumentar ainda mais a dor na região bucal. O tratamento também é contraindicado para grávidas e para quem passou recentemente por tratamento quimioterápico ou radioterapia. 

Há quem diga que após fazer o clareamento é preciso aguardar um ou dois anos antes de realizar outro procedimento. No entanto, os especialistas dizem que a espera não é necessária. Só é importante avaliar se o paciente realimente precisa fazer a técnica novamente, pois quando a pigmentação escura está dentro do dente o método não funciona. 

Quais os cuidados após o clareamento?

O ideal é evitar o consumo de bebidas e alimentos que podem escurecer os dentes, como café, chá, vinho, molho de tomate e refrigerante. Além disso, é indicado utilizar pastas que tenham flúor, pois a substância prolonga o efeito branco dos dentes.

Não fumar também é importante. O cigarro dificulta que a pigmentação branca seja atingida. O tabaco ainda deixa os dentes amarelados e --este sim -- aumenta o risco de câncer de boca.

Fontes: Sergio Brossi, dentista pela Universidade de São Paulo, com pós-doutorado em dentística pela FOUSP; Mario Groisman, dentista com especialização em odontologia clínica pela Universidade de Lund, na Suécia; Fabio Alves, diretor de do departamento de estomatologia do Hospital AC Camargo Câncer Center.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube