Nova chance, novo shape

Obesa e deprimida, Tatiane tentou se matar e não conseguiu. E a oportunidade de viver a motivou a perder 65 kg

Bárbara Therrie Colaboração para o UOL VivaBem
Flavio Moraes/UOL VivaBem

Em agosto de 2014, com mais de 50 kg acima do peso ideal e diagnóstico de depressão, síndrome do pânico e vários problemas financeiros, na empresa e na família, Tatiane Timachi, 36 anos, perdeu o rumo. Em um ato de desespero, tentou se suicidar no banheiro de casa. "A baixa autoestima e a obesidade foram uns dos motivos. Nada mais tinha sentido na minha vida, eu achava que se morresse, toda dor e sofrimento iam acabar", lembra Tatiane.

Mas o marido conseguiu impedi-la. Nesse exato momento, ela percebeu a besteira que estava fazendo e sentiu que ganhou uma nova chance. "Decidi que ia me cuidar. Queria olhar no espelho e ver uma Tatiane que eu pudesse amar. Não foquei em perder peso, mas em fazer o que era melhor à saúde". Com esse pensamento, ela mudou a dieta, começou a treinar e saiu dos 115 kg para os 50 kg. A seguir, mostramos o treino, o cardápio, receitas e todo o caminho que ela seguiu para emagrecer.

O começo da mudança

Tatiane começou a engordar na adolescência e desde então passou a sofrer por causa do excesso peso. Com 17, foi vítima de preconceito e perdeu uma vaga de emprego por estar fora de forma. "O recrutador disse que eu tinha quase todos os requisito para a vaga e meu rosto era lindo, mas a empresa precisava de alguém magro para a vaga de recepcionista. Saí do lugar em choque e me sentindo a pior pessoa do mundo."

Em 2010, aos 28 anos, e já com 115 kg, ela viveu outra situação constrangedora ao não conseguir se curvar para abotoar uma sandália em uma loja de sapatos. "A vendedora se ofereceu para me ajudar, fiquei morrendo de vergonha, parecia que todos estavam me olhando."

Apesar dos constrangimentos e da falta de disposição e saúde, Tatiane continuou sedentária e se alimentando mal, buscando perder peso com táticas prejudiciais ao corpo. "Odiava me exercitar, tomava remédios proibidos e fazia dietas malucas, compostas somente por líquidos. Perdia 5 kg em três dias e depois engordava tudo novamente." A determinação para mudar veio só quatro anos depois, após a tentativa de suicídio.

"Decidi que para aproveitar essa segunda chance eu ia me alimentar de forma equilibrada e praticar exercícios que promovessem bem-estar físico e mental. Adotei um lema, que tatuei na cintura, de viver 'um dia de cada vez', sem pressão nem cobrança. Parei de me preocupar com a balança, de tentar me encaixar em um padrão de beleza e de agradar os outros. Fiz tudo por prazer e saúde e deixei as coisas acontecerem naturalmente."

Flavio Moraes/UOL VivaBem Flavio Moraes/UOL VivaBem

Foco no aeróbico e na musculação

Mesmo sem gostar de fazer exercícios, Tatiane se matriculou na academia decidida a transformar a atividade física em parte da sua rotina. "Uma tática que me ajudou a não faltar no treino foi malhar próximo ao horário de pegar meus filhos na escola, dessa forma, não teria desculpas para não ir."

O programa de treinos dela, montado pela profissional de educação física Carla Bordim, era composto por muitas atividades aeróbicas e musculação (veja todos os exercícios abaixo), para ajudar no emagrecimento saudável.

Douglas Popp Marin, profissional de educação física, doutor em ciência da saúde e professor de fisiologia do exercício e de treinamento esportivo da Universidade Metodista de São Paulo, explica que a rotina realizada por Tatiane desenvolve o metabolismo aeróbico, melhorando a capacidade do organismo em oxidar (queimar) gorduras. "Já os exercícios de força (musculação) auxiliam no desenvolvimento e manutenção da massa muscular, que é determinante para a manutenção do peso perdido, evitando estagnação e diminuindo o processo de reganho de peso", analisa.

Marin ressalta que qualquer treino só deve ser seguido com orientação de um profissional de educação física e que pessoas sedentárias e/ou com sobrepeso devem fazer exames médicos para saber a intensidade ideal da atividade física.

Flavio Moraes/UOL VivaBem Flavio Moraes/UOL VivaBem

Ela teve que reaprender como se alimentar

Antes, Tatiane ficava longos períodos sem se alimentar e, quando sentia fome, atacava tudo o que via pela frente. Seu almoço era composto por massas, fast-food, frituras, coxinha, pastel e refrigerante. Era fanática por doces: todos os dias comia bolo, pudim, barras de chocolate ou trufas.

"Procurei a nutricionista Antonieta Vassalo Costa e falei: quero começar do zero, quero aprender a comer. Não importa o tempo e nem o que eu tenha de fazer, só quero que seja definitivo."

Tatiane passou a fazer as refeições em um menor intervalo de tempo, para evitar "ataques" de fome, e cortou frituras, salgados, sobremesas gordas e refrigerantes do cardápio. Seu prato tinha, basicamente, comida de verdade: arroz, feijão, carne, peixe, frango, verduras e legumes (veja a seguir o exemplo de um dia de cardápio dela).

Para inibir a vontade de doces, a paulista comia frutas salpicadas com canela e, às vezes, gelatina. Ela também apostava em receitas saudáveis e gostosas para driblar o desejo por guloseimas, como a "pizzalete" --uma pizza com massa de omelete -- e o bolo de fubá de frigideira com aveia (confira como fazer mais abaixo).

Flavio Moraes/UOL VivaBem Flavio Moraes/UOL VivaBem

Três receitas em que Tatiane apostou para emagrecer

Pizzalete de muçarela, rúcula e tomate

Ingredientes

- Massa: 2 ovos; 1 colher (sopa) de requeijão light ou de creme de ricota

- Cobertura: 1 colher (sopa) de molho de tomate; 2 a 3 fatias finas de muçarela; rúcula a gosto; 2 rodelas de tomate; e orégano a gosto

Preparo Bata bem os ovos com o requeijão. Despeje a mistura da massa em uma frigideira untada com azeite. Em fogo baixo, quando um dos lados assar, vire, coloque o molho, a muçarela, o tomate e o orégano. Tampe e deixe no fogo até o outro lado assar e o queijo derreter. Coloque em um prato e adicione a rúcula.

Benefícios O ovo é fonte de proteína, essencial para a construção muscular, e também contribuiu com a saciedade. "Já a rúcula é um vegetal com elevado teor de nutrientes, entre eles, o ferro e vitamina C", explica Sueli Longo, vice-presidente da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva e diretora do Instituto de Nutrição Harmonie.

Espaguete de abobrinha à bolonhesa

Ingredientes
- Para o espaguete: 1 abobrinha média; 1 dente de alho; ½ cebola; 1 fio de azeite, sal a gosto

- Para o molho: 2 tomates; 1 dente de alho; 1/2 cebola; 100 g de carne moída (patinho)

Preparo

- Molho: refogue a carne moída com alho e cebola até cozinhar, acrescente o tomate e água o suficiente para formar um molho. Deixe o molho mais espesso pois a abobrinha solta água. Reserve.

- Espaguete: lave a abobrinha e rale-a com casca e sem sementes no sentido do comprimento, com um descascador de vegetais. Refogue os fios longos de abobrinha em uma frigideira com um fio de azeite, alho e cebola, deixando al dente. Acrescente o molho sobre o espaguete e sirva a seguir.

Benefícios Utilizada no lugar do macarrão, a abobrinha tem poucas calorias e é muito nutritiva. Também é fonte de fibras, que contribuem com a saciedade. Já a carne moída é fonte de proteína e ferro, mineral importante para a prevenção de anemia.

Bolo de fubá de frigideira com aveia

Ingredientes 1 ovo; 1 colher (sopa) de açúcar demerara; 2 colheres (sopa) de fubá; 1 colher (sopa) de farelo de aveia; 2 colheres (sopa) de leite desnatado; 1 colher (café) de fermento em pó; erva doce ou canela em pó a gosto

Preparo Misture bem os ingredientes deixando o fermento em pó por último. Leve a mistura em uma frigideira pequena antiaderente ou untada com manteiga e asse dos dois lados em fogo baixo (fazer como omelete).

Dica: Coloque uma gradinha do fogão sobre a outra, deixando um espaçamento maior do fogo e abafe com uma tampa.

Benefícios "Extraído do milho, o fubá tem mais fibras e vitaminas do que as encontradas na farinha de trigo, por exemplo", explica Longo. O farelo de aveia tem um bom aporte de fibras solúveis, que ajudam a reduzir a velocidade de absorção da gordura pelo intestino.

"Descobri a força que tenho e passei a me tratar com carinho"

Em um ano e dois meses, Tatiane chegou a 50 kg e 13% de gordura corporal. "Atingir essa marca foi um renascimento para mim, algo que não tinha a pretensão de alcançar.

Hoje, aos 36 anos, ela mantém basicamente a mesma dieta e rotina de exercícios, mas desde 2017 participa de provas de corrida de rua e treina a modalidade três vezes por semana. "Na última competição, corri 35 km. Após emagrecer tantos quilos, descobri uma força interior e percebi que sou capaz de fazer qualquer coisa, basta eu me dedicar."

Ela acredita que a transformação mais importante foi conseguir fazer com que a boa alimentação e o treino se tornassem estilo de vida. "Não é mais um sacrifício e sim um prazer. Perder peso e assumir uma nova aparência foram apenas consequências do carinho com o qual eu passei a me tratar".

Mais especiais do VivaBem

Curtiu? Compartilhe.

Topo