Acima do solo

A atriz Lisandra Cortez experimenta o bungee pilates, que utiliza elásticos para trabalhar o corpo todo

Giulia Granchi Do UOL VivaBem
Simon Plestenjak

Inspirada na modalidade tradicional, o bungee pilates utiliza elásticos similares aos usados no alpinismo para adicionar mais resistência e dificuldade aos exercícios, além de proporcionar movimentos divertidos e dinâmicos como saltos e posturas em suspensão.

O método, ainda novo no Brasil, foi criado por fisioterapeutas após visitarem estúdios norte-americanos de dança e ioga que usavam o equipamento e se encantarem com a possibilidade de misturar modalidades.

A convite do UOL VivaBem, a atriz Lisandra Cortez, que atua na novela As Aventuras de Poliana, do SBT, experimentou a atividade. A seguir, mostramos a experiência da paulistana de 35 anos e os benefícios proporcionados pelo treino.

Simon Plestenjak Simon Plestenjak

"Estou sempre procurando novos desafios"

Lisandra começou a atuar no teatro e participa de séries e novelas na televisão há mais de 10 anos, mas sua primeira paixão artística foi o balé, modalidade que praticou por anos e foi o início da busca por diferentes estímulos que desafiem o corpo.

"Passei boa parte da minha adolescência dentro das salas de dança, mas sempre fui curiosa com tudo relacionado ao trabalho do corpo. Já fiz aulas de circo, pilates, ioga...Estou sempre procurando novos desafios, o que fez com que a experiência com o bungee pilates fosse perfeita para mim", conta.

Para a atriz, essas modalidades são boas não só para fortalecer o corpo e queimar calorias, mas também por contribuírem para sua performance em frente às câmeras. "A atividade física é essencial para conhecer meu principal instrumento de trabalho e aprender sobre consciência corporal, o que me ajuda muito na hora da atuação", explica.

Hoje, entre uma gravação e outra, a paulistana sempre arranja um tempinho para praticar treinos funcionais, que cabem na sua rotina pelo tempo curto e versatilidade.

Simon Plestenjak Simon Plestenjak

Como funciona a aula

Seja individual ou em grupo, a sessão é sempre feita com acompanhamento de um profissional certificado e dividida em duas partes: a primeira é um aquecimento realizado no solo, que conta com exercícios mais parecidos com o pilates tradicional, como elevação de quadril e diferentes tipos de prancha abdominal. Nesta etapa, o bungee é usado para adicionar resistência e dificuldade aos movimentos.

A seguir, começa a parte favorita da maioria dos alunos: os movimentos aéreos, como saltos, giros e outros movimentos em suspensão. É quando o treino se torna mais lúdico e dinâmico e a resistência cardiorrespiratória é mais trabalhada. "Muita gente relata que se sente em um parque de diversões ou como se participasse de um circo", conta Juliana Satake, fisioterapeuta especialista em saúde da mulher pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas) e uma das responsáveis por trazer o método para o Brasil.

Dependendo da aptidão física e intensidade dos movimentos do praticante, a sessão pode chegar a queimar até 750 calorias em uma hora. Os músculos mais trabalhados são os que compõe a região do core --abdômen, lombar e um pouco dos glúteos -- mas a musculatura das pernas e braços também são recrutadas durante os exercícios.

Simon Plestenjak Simon Plestenjak

Quatro bons motivos para investir no bungee pilates

  1. 1

    Alto gasto calórico

    Essa é a principal diferença entre o método e o pilates tradicional: a versão bungee conta dos movimentos rápidos e dinâmicos, como pequenas corridas e saltos, o que aumenta o gasto calórico e melhora a capacidade cardiorrespiratória

  2. 2

    Sem monotonia

    Cada sessão é diferente e proporciona um novo desafio. Por exigir sua total atenção para uma execução correta e introduzir movimentos diferentes daqueles que normalmente vemos em aulas de academia, é difícil ficar entediado durante o treino

  3. 3

    Fortalecimento e flexibilidade

    O treino fortalece os músculos de todo o corpo, especialmente os estabilizadores, como os do core e quadril. Além disso, os movimentos trabalham o alongamento dos alunos, melhorando a flexibilidade

  4. 4

    Melhora do equilíbrio

    Sim, o equipamento ajuda você a se equilibrar, mas não pense que é moleza. Os movimentos isométricos introduzidos durante o treino exercitam o equilíbrio e requerem muita concentração

Simon Plestenjak Simon Plestenjak

"É uma atividade divertida e que exige bastante concentração"

Lisandra Cortez relata sua experiência no bungee pilates

"A sessão foi superdifícil, mas também muito divertida! Achei incrível porque você usa o suporte e os elásticos para deixar o treino mais lúdico e divertido, mas, apesar do tom de brincadeira, os movimentos são desafiadores.

Senti bastante o abdômen, glúteos e pernas, e achei ótimo porque conseguimos trabalhar vários grupos musculares ao mesmo tempo. Amei sair toda suada e imagino que a queima calórica deve ser altíssima.

É uma prática que te deixa totalmente presente, exige concentração. Não é como na musculação, que você está ali, fazendo o exercício, mas a mente começa a pensar em outras coisas, olhar o celular... Nada disso. Se não estiver focada, você escorrega ou acaba errando o movimento.

O acompanhamento também foi superimportante, porque nos ajuda a não fazer o exercício no automático, e a fisioterapeuta corrigiu minha postura várias vezes."

Simon Plestenjak Simon Plestenjak

Para quem é o treino

As sessões de bungee pilates podem ser feitas duas vezes por semana, dependendo das necessidades e objetivos de cada praticante. O exercício é indicado para homens e mulheres saudáveis de todas as idades e ideal para quem quer sair da rotina das salas de musculação e aulas convencionais.

Além disso, a modalidade oferece benefícios para quem pratica outras atividades, como a corrida, por fortalecer músculos estabilizadores e aumentar a capacidade cardiorrespiratória. "A aula é adaptada de acordo com a aptidão física de cada pessoa, então, desde os esportistas mais avançados até os iniciantes podem praticar tranquilamente", explica Renata Luri, fisioterapeuta co-fundadora do método.

O exercício só não deve ser praticado por gestantes, pessoas que sofrem de labirintite, dor crônica não tratada --como as causadas por hérnia de disco -- e qualquer outra condição médica que impeça a prática de atividades físicas.

Simon Plestenjak Simon Plestenjak

Curtiu? Compartilhe.

Topo