Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Síndrome do pensamento acelerado? Doença não existe, mas o sintoma sim

Istock
Imagem: Istock

Simone Cunha

Colaboração para o UOL VivaBem

2019-06-26T04:00:00

26/06/2019 04h00

Resumo da notícia

  • O pensamento acelerado é considerado por muitos uma doença, mas na verdade é um sintomas de quadros psiquiátricos, como ansiedade e transtorno bipolar
  • Ele se carecteriza pelo pensamento excessivamente rápido, podendo até mesmo atrapalhar função cognitiva, raciocínio lógico e tomada de decisão
  • O tratamento varia conforme o problema diagnosticado. Seguindo-o corretamente, o sintoma pode diminuir e a velocidade dos pensamentos volta ao normal

Muito se fala sobre a Síndrome do Pensamento Acelerado, um conceito muito difundido na internet, mas que não encontra legitimação na ciência. O que os psiquiatras apontam é a existência de um sintoma que está associado a algumas doenças que merecem ser investigadas e tratadas. Para chegar a um diagnóstico mais exato, é importante que este fenômeno seja analisado conjuntamente com outros sintomas, desde ansiedade, humor elevado, alucinações e delírios.

Neste conjunto de sintomas, dependendo do que for avaliado, pode-se chegar ao diagnóstico de transtorno de ansiedade, transtorno afetivo bipolar, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, transtorno de dependência de drogas, abuso de medicamentos, entre outros. Por isso, crianças e adultos podem ser identificados com este fenômeno psíquico.

Afinal, o que é o pensamento acelerado?

O pensamento acelerado é um sintoma psíquico. Sozinho não quer dizer muita coisa, mas pode ser um sintoma de várias patologias. Por isso, deve ser tratado e pensado de forma global, e não isoladamente para que se chegue à causa.

Na prática, significa que o curso do pensamento está rápido demais. E existem gradações: do pouco acelerado até muito acelerado, podendo causar uma incompreensão na fala. Além disso, dependendo da doença a que este sintoma está associado ou se a gradação for severa, pode atrapalhar na função cognitiva, raciocínio lógico, tomada de decisão e até mesmo provocar incapacidade de pensar.

Os diagnósticos mais comuns, relacionados ao sintoma de pensamento acelerado, são transtorno de ansiedade generalizada e transtorno bipolar. Entenda melhor como ele se manifesta em casa uma:

Transtorno de ansiedade generalizada Nesse caso, ocorre a manifestação de pensamentos rápidos persistentes com conteúdo de preocupações excessivas e antecipativas em relação às tarefas cotidianas e no trabalho. Eles também podem flutuar conforme as circunstâncias, ou seja, em maior ou menor intensidade.

Transtorno bipolar Aqui a química desse transtorno acelera o pensamento de forma involuntária e com pouca percepção pela pessoa afetada. Pode durar meses e, em alguns casos, anos. No caso da fase hipomaníaca, os episódios são menos intensos e podem fazer a pessoa acometida perceber que estão muito rápidos. Nos casos da fase maníaca podem estar associados aos sintomas psicóticos.

É possível desacelerar os pensamentos?

Dependendo do diagnóstico, o tratamento é específico de acordo com a patologia. Ele pode exigir um tratamento medicamentoso, e ser ainda associado à psicoterapia. Portanto, ao tratar a doença, o sintoma deixa de prevalecer. Porém, é imprescindível que o diagnóstico correto seja identificado para que a doença tenha o tratamento e acompanhamento certos. Mais uma vez, é importante destacar que não dá para tratar apenas o pensamento acelerado como doença, pois ele costuma ser sintoma de patologias sérias que precisam ser identificadas, devolvendo qualidade de vida ao paciente.

Fontes: Alfredo Maluf, coordenador médico psiquiatria da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein; e Luiz Vicente Figueira de Mello, psiquiatra do Programa de Ansiedade do Ipq HC-FMUSP (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo).

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube