Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Banho de mar altera bactérias da pele e aumenta risco de infecções

iStock
O banho de mar altera as bactérias da pele, uma proteção natural do organismo que reduz o risco de infeções intestinais, no aparelho respiratório, no ouvido e na própria pele Imagem: iStock

Do UOL VivaBem

2019-06-23T12:53:41

23/06/2019 12h53

Resumo da notícia

  • Estudo descobriu que após o banho de mar bactérias que protegem a pele são "levadas" e as presentes na água permanecem em nosso corpo
  • Essa alteração na população de bactérias da pele dura até 24 horas e aumenta o risco de infecções em várias partes do corpo
  • Por isso, é muito importante evitar tomar banho de mar em praias impróprias para banho, que possuem muitos micro-organismos nocivos à saúde

Um estudo apresentado no ASM Micobre, encontro anual da American Society for Microbiology (ASM), revelou que após um mergulho no mar de apenas 10 minutos micro-organismos presentes na água permanecem em nosso corpo por até 24 horas. Isso altera a população de bactérias da pele, que é uma barreira de proteção natural do organismo, e aumenta o risco de diferentes tipos de infeções.

"Nosso estudo demonstrou pela primeira vez que a exposição à água do oceano afeta a microbiota da derme humana, 'levando' as bactérias que normalmente vivem na pele e 'depositando' micro-organismos presentes no mar", afirma Marisa Chattman Nielsen, autora da pesquisa e doutoranda pela Universidade da Califórnia (EUA).

A descoberta serve de alerta para que as pessoas não tomem banho de mar em praias impróprias para banho, que possuem grande quantidade de germes nocivos à saúde. Outras pesquisas já apontaram que alterações na população de bactérias da pele tornam nosso corpo mais suscetíveis não só a infecções na derme, como também no estômago e intestino, no aparelho respiratório e no ouvido.

#SemFrescura: quais os perigos de nadar em praias impróprias para banho?

VivaBem

Como foi feito o estudo

  • Os cientistas recrutaram nove voluntários que atenderam ao critério de não usar filtro solar, não estarem acostumados a tomar banho de mar, não ter tomado banho de chuveiro nas últimas 12 horas antes do mergulho e não usar antibióticos nos últimos seis meses.
  • Os pesquisadores recolheram amostrar das bactérias da pele dos participantes antes de eles ficaram no mar por 10 minutos; depois que o corpo secou naturalmente após o mergulho; e também nas seis e 24 horas sequentes ao banho no oceano.
  • A microbiota dos participantes era bastante diferente antes do banho de mar, mas se tornou significativamente similar depois do mergulho; o que demonstrou que bactérias naturais do corpo foram removidas e as do oceano depositadas.
  • Essa alteração permaneceu por até 24 horas, quando as comunidades de bactérias que normalmente habitam a pele conseguiram restabelecer sua dominância e a pele dos participantes voltou à condição que estava antes do mergulho.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube