Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Exposição a notícias ruins sobre economia aumenta risco de suicídio

Felipe Rau/Estadão Conteúdo
Fila de candidatos em busca de uma vaga de emprego. Notícias sobre pessimismo econômico provocam depressão Imagem: Felipe Rau/Estadão Conteúdo

Priscila Carvalho

Do UOL VivaBem, em Brasília*

2019-06-09T14:28:22

09/06/2019 14h28

Resumo da notícia

  • Pesquisadores dos EUA verificaram que as taxas de suicídio aumentavam quando a população tinha acesso a notícias de pessimismo econômico nos jornais
  • No Brasil não há dados, mas situação econômica ruim causa depressão e ansiedade
  • O ideal é não se deixar abater e receber tantas notícias pessimistas

Incertezas na economia, desemprego e falta de perspectiva no futuro. Todos esses fatores colaboram para a piora da saúde mental. E o mais preocupante: aumentam as taxas de suicídio. O tema foi discutido neste sábado (08) no Congress on Brain, Behavior and Emotions, em Brasília.

O psiquiatra Pedro do Prado Lima, pesquisador do Instituo do Cérebro da PUC do Rio Grande do Sul (Inscer) usou como referência um estudo americano de 2016, em que pesquisadores verificaram que as taxas de suicídio aumentavam quando a população tinha acesso a notícias de pessimismo econômico nos jornais. Durante o trabalho, os especialistas puderem observar que episódios de suicídio ocorriam no próprio dia em que as pessoas tinham acesso às reportagens ou no dia seguinte.

"Não temos ainda estatísticas no Brasil. No entanto, é sabido que a falta de emprego e notícias pessimistas em relação à economia e política favorecem o aparecimento de doenças como depressão, ansiedade e estresse", disse Lima.

Segundo o especialista, situações de desemprego e mudanças forçadas no padrão de vida, seja por causa da diminuição de salários ou falta de dinheiro, provocam um estresse psicológico. Isso porque, o cérebro pode ficar comprometido, inflamado, e circuitos responsáveis pelo bem-estar e interação social diminuem, favorecendo o surgimento de depressão, sentimentos de vergonha e desesperança.

Cenário ruim também influencia no pós

A superexposição a notícias pessimistas pode ainda prejudicar e fazer com que a pessoa desenvolva um estresse pós-traumático, mesmo quando ela já está empregada ou com um cargo que receba mais.

Por estar vulnerável, o indivíduo possui menos cortisol e isso favorece "a supermemória". Ele fica lembrando quando estava desempregado, ou com medo de perder o emprego e acaba alimentando sempre esses fatos na mente, o que potencializa ainda mais ansiedade e nervosismo.

"A genética pode ser um ponto para isso. No entanto, situações vividas lá atrás que foram muitos estressantes favorecem esse quadro", reforça. Lima adverte ainda que por mais que seja impossível não ter acesso a estes cenários negativos, o ideal é limitar e tentar se policiar ao máximo para não ficar refém dessas informações.

* A repórter viajou a convite do Congress on Brains Behavior and Emotions

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube