menu

Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

Já comeu sorgo? Cereal é rico em fibras e pode substituir o trigo

iStock
O sorgo pode ser usado em preparações como o trigo, mas tem a vantagem de não possuir glúten e ter muitos antioxidantes Imagem: iStock

Sibele Oliveira

Colaboração para o UOL VivaBem

2019-05-09T04:00:00

09/05/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Sorgo é um cereal sem glúten e rico em vitaminas do complexo B, minerais e antioxidantes
  • Por isso, estudos apontam seus benefícios não só para os celíacos, como para diabéticos e pessoas com doenças cardiovasculares
  • O sorgo pode ser consumido em preparações que levariam trigo, barras de cereais e até mesmo cozido ou estourado como pipoca

Você já ouviu falar do sorgo? Embora ele seja o quinto cereal mais produzido no mundo, atrás do trigo, do arroz, do milho e da cevada, poucas pessoas o conhecem, mesmo as mais atentas às novidades do mundo da alimentação. Mas deveriam. Por ser livre de glúten, ele é uma ótima alternativa para quem doença celíaca. E esse é apenas um dos benefícios desse pequeno grão.

Há relatos de que o sorgo tenha surgido na África e, por ser resistente à seca, tornou-se um alimento básico para quem vive em países em desenvolvimento. Hoje, cerca de 500 milhões de pessoas consomem o cereal nessas localidades. Nos demais países, incluindo o Brasil, até pouco tempo atrás ele era usado quase exclusivamente na alimentação de animais.

Mas, nos últimos anos, à medida que estudos nacionais descobrindo os nutrientes do sorgo, a indústria alimentícia passou a usá-lo na fabricação de alimentos funcionais. Hoje o cereal é encontrado em mercados e lojas especializadas em produtos naturais por aqui.

Pode ser usado na preparação de bolos, tortas, cookies, pães, panquecas. Eu mesma já experimentei o sorgo cozido e em pipoca e achei o sabor interessante. Conheça os benefícios deste cereal:

1. Fonte de carboidratos e fibras

Se você está precisando de energia, incluir o sorgo no seu cardápio pode ser uma boa ideia, pois os carboidratos correspondem ao principal macronutriente do grão (cerca de 75% dele), presente na forma de amido.

A dieta com sorgo também é interessante para deseja enriquecer a alimentação com fibras. Mas nesse caso é importante consumir o sorgo integral (que contém o pericarpo, ou seja, a película que envolve o grão), já que ele possui uma alta concentração de fibras alimentares.

Além de carboidratos e fibras, alguns genótipos do cereal são fontes de vitaminas lipossolúveis e do complexo B, como tiamina (B1), riboflavina (B2) e piridoxina (B6), e de minerais como fósforo, ferro, potássio e zinco. Mas há diferenças de valor nutricional entre os diferentes os diferentes tipos do grão.

Alguns contêm uma ampla variedade de compostos bioativos. Os principais desses compostos incluem ácidos fenólicos e flavonoides, principalmente antocianinas e taninos. São eles os responsáveis por outro benefício do cereal: a capacidade antioxidante. Portanto, se você deseja proteger o seu organismo dos radicais livres é mais um motivo para começar a consumir o sorgo. Mas lembre-se. Esse é um efeito apenas dos grãos que contêm tanino.

2. Previne doenças crônicas não transmissíveis

Mais do que uma opção aos cereais que já estamos acostumados, o sorgo pode ser um importante aliado da saúde. Várias universidades brasileiras têm se dedicado a descobrir quão útil ele pode ser no tratamento de enfermidades. Um estudo feito pela Unicamp, Embrapa e Texas A&M University mostrou que o grão pode prevenir e controlar doenças crônicas não transmissíveis, como a obesidade, diabetes, síndrome metabólica, doenças cardiovasculares e câncer.

De acordo com a pesquisa, o consumo do cereal melhorou biomarcadores relacionados ao estresse oxidativo, além de modular a microbiota intestinal e diminuir proteínas relacionadas a processos inflamatórios do câncer de cólon.

Outro estudo feito pela Embrapa Milho e Sorgo em parceria com a Universidade Federal de Viçosa, publicado no European Journal of Nutrition, concluiu que os compostos bioativos do sorgo atuam reduzindo a resposta glicêmica. Sendo assim, o cereal é recomendado como tratamento nutricional para pessoas com pré-diabetes ou diabetes.

Contraindicações

Por ser um alimento hipoalergênico, é raro alguém ter problemas ao consumir o cereal. Mas o sorgo com tanino não é recomendado para quem tem dificuldade em absorver nutrientes. Isso porque geralmente essas pessoas precisam de uma alimentação mais rica em energia. E como o tanino agem no amido, reduzindo sua disponibilidade para o organismo, acaba não trazendo a energia necessária. Se esse for o seu caso, não se preocupe. Os produtos feitos à base de sorgo com tanino contêm essa informação na embalagem.

Como consumir o sorgo

A exemplo de outros cereais, o sorgo é versátil e pode ser consumido de diversas formas. Por ter um sabor neutro, ele não interfere no gosto de bolos, tortas, cookies, pães, panquecas, quibes, mingaus, cuscuz, barras de cereais, bebidas e outras receitas. É vendido em grãos, farinha ou alimentos preparados.

Quem preferir fazer receitas com os grãos inteiros, como saladas por exemplo, a dica é cozinhá-los em uma panela de pressão por cerca de 50 minutos, até ficarem bem macios. Já cozinhei e o cozimento leva um tempo mesmo, eu mesma tirei antes do tempo e acabei ficando com ele um pouco durinho. Em outras preparações, pode ser usado como substituto de outras farinhas convencionais. Mas com uma ressalva. No caso de pães e massas, o ideal é misturá-lo a outros ingredientes que façam o papel do glúten.

Além do sorgo ter um valor nutricional semelhante ao do milho em termos de proteína, gordura e carboidratos, ele também de ser usado para fazer pipocas. O método é o mesmo da pipoca com milho, mas elas ficam menores. Eu já experimentei. Fica uma delícia, com um sabor bastante parecido.

Fontes: Valéria Aparecida Vieira Queiroz, nutricionista e pesquisadora da Embrapa Milho e Sorgo; Carolina Cristina da Silva, nutricionista do Hospital Sírio Libanês.