menu

Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

Dá para reduzir os agrotóxicos nas frutas e vegetais? Veja 5 dicas

iStock
Será que só lavar os alimentos ajuda a reduzir os agrotóxicos? Entenda melhor Imagem: iStock

Bárbara Stefanelli

Colaboração para o UOL VivaBem

2019-04-09T04:00:00

09/04/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Só lavar os alimentos reduz os agrotóxicos, mas outras atitudes, como preferir itens da estação, ajudam bastante
  • Além disso, retirar a parte mais externa dos alimentos, como as cascas, e evitar vegetais muito "perfeitos" são boas estratégias

Agrotóxicos são um tema espinhoso: de um lado temos o fato de que cada vez mais eles são usados na agricultura brasileira. Tanto que a quantidade de produtos para esse fim liberados no Brasil tem crescido. De acordo com dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em 2018 foram liberados 450 registros deste tipo de produto. A título comparativo, em 2015, foram 139 liberações. E só nos dois primeiros meses de 2019, foram 93 registros. Isso aumenta o medo das famílias de terem um alimento contaminado em casa.

Especialistas reiteram que o uso correto dos agrotóxicos --dentro das recomendações exigidas para cada produto -- é seguro e não traz riscos aos consumidores. "Mas a melhor forma de garantir a segurança no consumo de alimentos é a exigência da correta produção dos mesmos. Isso já tem ocorrido em diversas iniciativas de rastreabilidade, rotulagem, garantia de procedência, programas de Boas Práticas Agrícolas e selos de produção com boas práticas, como o da Produção Integrada", explica.

O consumidor final ainda não tem uma clareza sobre a quantidade de agrotóxico que cada alimento leva, já que isso não fica explícito nas embalagens ou gôndolas das feiras e mercados. Por sorte, apesar de não ser possível remover totalmente esses produtos do alimentos, algumas dicas ajudam a reduzi-los. Veja cinco delas a seguir:

1. Lave bem os alimentos

Lavar os alimentos, em água corrente, reduz os resíduos de agrotóxicos que se concentram nas superfícies dos alimentos, de acordo com as diretrizes da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Mas é importante ressaltar que não tem como eliminar 100% a aplicação destes produtos. De acordo com informação da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva), não existem estudos científicos que comprovem a remoção total de todos os tipos de agrotóxicos. Mesmo que alguns estudos mostrem a remoção parcial, para alguns tipos de agrotóxicos, deve-se destacar que a remoção depende do tipo de alimento, da estrutura química dos agroquímicos e da presença de outras substâncias.

Vale ressaltar que lavar os alimentos com cloro não elimina os agrotóxicos. Esse método é usado para retirar micro-organismos e não para neutralizar a ação dos venenos.

2. Escolhe as frutas e vegetais da estação

Como explica Morandi, a produção de qualquer vegetal, na estação ideal para o crescimento da planta, traz benefícios a saúde. "Entre as vantagens, a planta está preparada para produzir e se defender das pragas, o que em geral, facilita sua produção com menos insumos, entre eles os agrotóxicos", afirma o pesquisador e engenheiro agrônomo.

3. Tire a parte mais externa dos alimentos

Adriana Pottier, coordenadora de Análises de Resíduos da Gerência Geral de Toxicologia da Anvisa, destaca que a retirada da casca dos alimentos também pode minimizar a quantidade de pesticidas. "A casca, nos principais alimentos detectados em situação de risco para os agrotóxicos, concentra os resíduos do agrotóxico. Isso, então, evita que a polpa do alimento seja contaminada [na hora do preparo e consumo]." Tirar as primeiras folhas das verduras também é outra recomendação. No entanto, alguns agrotóxicos têm ação sistêmica --ou seja, penetram na polpa dos alimentos.

4. Desconfie das frutas e vegetais perfeitos

Sabe aquela fruta linda, enorme e sem nenhuma manchinha. Então, é bem provável que ela tenha essa aparência por causa do uso de pesticidas. "As frutas muito bonitas, principalmente as produzidas fora de época, são assim porque levaram muito agrotóxico", afirma Marcia Sarpa de Campos Mello, pesquisadora da Abrasco e do Inca (Instituto Nacional de Câncer).

5. Tente consumir de produtores menores

Se consumir apenas alimentos da estação não é uma opção experimente comprar de empresas menores. "Procure feiras com produtores familiares e consuma alimentos produzidos na sua região, pois são mais baratos, já que não requerem transportes de longas regiões", complementa Sarpa.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube