menu

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Você se desculpa demais? Veja o que você pode dizer no lugar

iStock
Desculpar-se é importante, mas nos momentos em que ela realmente é necessária Imagem: iStock

Amanda Massarana

Colaboração para o UOL VivaBem

2019-04-02T04:00:00

02/04/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Pedidos de desculpa desnecessários podem ser trocados por um agradecimento ou por outras expressões, conforme o momento
  • Muitas vezes esse pedido de desculpas está mais ligado a um sentimento de inadequação do que de culpa por algo específico
  • Desculpar-se demais pode sinalizar problemas de autoconfiança

Já reparou que algumas pessoas pedem desculpas demais? Muitas vezes essas desculpas são desnecessárias, como antes de dar uma ideia ou ao avisar alguém sobre um problema. São aqueles momentos em que dizemos: "me desculpe, mas?". A socióloga canadense Maja Jovanovic percebeu isso e dedicou uma palestra em um evento TEDx no Canadá a esse tema.

Para Jovanovic, esses pedidos nos fazem parecer menores e mais tímidos, ou seja, menos confiantes. E eles podem muito bem ser substituídos por expressões como "com licença", "gostaria de acrescentar algo".

Além disso, ela acredita que em vez de pedir desculpas por algo, você pode agradecer a pessoa. Por exemplo, se você chega atrasado em um encontro, em vez de se desculpar, você pode dizer: "obrigado por me esperar". Ou se você está desabafando com um amigo sobre um problema, em vez de se desculpar, você pode agradecer essa atenção e amizade.

Por que sentimos tanta necessidade de pedir desculpas?

A palavra "desculpar" tem o sentido de remover uma culpa e realmente é necessária em diversas situações. No entanto, por trás de tantos pedidos de desculpas desnecessários que vemos hoje em dia, se reflete um problema cada vez mais presente na nossa cultura: o sentimento de inadequação.

"Os motivos para isso vão se somando: não ter o corpo que acho que deveria ter, não ter a performance ou o sucesso profissional que espero, não encontrar a realização amorosa", exemplifica o psicólogo e psicanalista Christian Ingo Lenz Dunker, professor do Instituto de Psicologia da USP, autor do livro "Reinvenção da Intimidade: Políticas do sofrimento cotidiano" (Editora Ubu).

De acordo com o especialista, com isso, tudo que é foco de algum conflito passa a ser considerado como culpa da pessoa. A pessoa pensa que o problema não é ela ter feito algo errado, mas, sim, ela ser errada. A desculpa em excesso tem relação direta com ideais de perfeição, de realização, e usamos esses ideais para manter nosso estado de culpa permanente.

"Desculpas" fazem todos se sentirem melhor

As desculpas são como um placebo, elas cumprem uma função protocolar. Alguém pisa no seu pé e pede desculpa, logo você já se sente melhor. No trânsito, você leva uma fechada de outro carro, mas se o motorista pede desculpa, você fica desarmado, tudo está resolvido.

E muitas pessoas usam a desculpa, de fato, como uma ferramenta para evitar conflitos. E ai a palavra se torna uma expressão, ela não está carregada de culpa. Isso também ocorre nas relações comerciais, onde existem certos protocolos em empresas para o melhor convívio.

O psicólogo Fabio Iglesias, professor do programa de pós-graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações na UnB (Universidade de Brasília), acredita que isso acontece porque usamos as desculpas como uma forma de gerenciarmos a impressão que deixamos nos outros.

Problemas ao pedir desculpas demais

Claro que ser uma pessoa que sabe pedir desculpas é algo bom, mas esse excesso pode ter o efeito contrário. Por mais que ela possa ser vista como alguém que assume falhas e fraquezas, ao exagerar, ela fica com a reputação ameaçada. "Pode ser vista também como pouco assertiva, que não é confiável ou consistente", ele completa.

Para ter mais assertividade no seus pedidos de desculpas, em primeiro lugar é importante reconhecer a responsabilidade pelos seus atos. "É fácil dizer que se atrasou por causa do clima, do trânsito, porque teve azar ou sorte", ressalta Fabio. Então, além de se livrar da culpa, o caminho é pegar a responsabilidade para si e entender o melhor caminho para, de fato, reparar o erro e mudar o cenário futuro.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube