Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Tem dificuldade em impor sua opinião? Veja dicas para discordar mais

iStock
Colocar sua opinião pode ser difícil, ainda mais em uma discussão Imagem: iStock

Amanda Massarana

Colaboração para o UOL VivaBem

2019-03-18T04:00:00

18/03/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Impor sua opinião pode ser difícil para pessoas que têm necessidade de agradar
  • Isso é cada vez mais comum, já que as pessoas querem se sentir amadas
  • Pensar primeiro em si mesmo é importante para aprender a se colocar mais nas situações
  • Mas é preciso ter cuidado para não exagerar e não respeitar os outros

Você sente que nem sempre tem suas opiniões levadas em conta? É difícil dizer não ou contra argumentar com o que você não concorda? Muitas vezes essas dificuldades podem ter um impacto bastante grande no dia a dia.

As relações, em todo e qualquer âmbito social, exigem a habilidade de não apenas entender suas próprias vontades, como também encontrar a melhor forma de expressá-las para o outro. Pode parecer simples, mas esse bloqueio ao tentar se impor é algo muito comum e que pode refletir em outros problemas, resultando até em consequências preocupantes para quem não consegue externalizar o que pensa.

Um dos problemas é que normalmente se impor vem acompanhado da palavra "não". Mais do que simplesmente negar algo, o "não" é uma ameaça da perda de uma oportunidade de se tornar parte de algo, de estar mais inserido. "Só que muitas vezes ele é uma reconexão com a gente, com a nossa essência, com aquilo que a gente pensa de nós mesmos e que muitas vezes vamos perdendo", explica a psicóloga e psicanalista Dorli Kamkhagi, do Laboratório de Neurociências do IPq do HCFMUSP (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo). Saber colocar sua opinião precisa ser visto como um momento de crescimento e de fortalecimento.

Autoestima e confiança para se impor

Uma das causas para que ocorra essa dificuldade em conseguir se impor é justamente pela forma como a nossa sociedade age atualmente: há uma grande necessidade das pessoas em se sentirem queridas. "Então fazem tudo para agradar, porque muitas vezes não se sentem amadas, não se sentem merecedoras no trabalho em que estão, então é como se precisassem ser boazinhas, porque temem dizer qualquer coisa contrária", explica Kamkhagi.

Por outro lado, é preciso cuidado e discernimento na hora de saber escolher quais "não" serão priorizados, como explica a psicóloga e professora Leila Tardivo, do IP da USP (Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo). É preciso dizer sim para certas necessidades, como em um ambiente de trabalho, se você precisa executar um trabalho que acha chato, mas que precisa ser feito. "Porém, isso é diferente de aceitar tudo calado, colocando para dentro todo o sofrimento".

Hora de se impor e dizer "não"

Para começar, de fato, a tentar se impor mais nas situações diárias que te desagradam, Kamkhagi ressalta que é importante primeiro aprender a parar e perceber o que está fazendo mal a você. Fazer uma autoanálise honesta e se perguntar:

  • Como estou de verdade?
  • Estou bem comigo mesmo?
  • Estou bem em relação ao que eu penso e ao que eu estou fazendo?

Veja se esses pontos estão em sintonia e, se a resposta for negativa, é sinal de que algo está errado e pede atenção. Talvez você esteja pedindo demais de si mesmo e possa recusar algumas coisas. "Dizer não nos frustra porque hoje temos que fazer tudo: tem que fazer ginástica, estar bonito, ser uma pessoa encantadora, alegre, divertida, ler todos os jornais, participar de todas as mídias", enumera Kamkhagi, que ressalta que falar 'não' é pensar em quais dessas coisas você precisa de verdade.

Tudo de uma medida certa

Talvez você não acerte de cara. E tudo bem, isso é normal. Pode ser também que as primeiras respostas negativas ecoem de uma forma difícil. Afinal falar não às vezes é chato e você pode não ser tão amado por isso. Não se esqueça, no entanto, que o importante é olhar para si mesmo e pensar que fez algo legal para si.

Não é fácil encontrar o equilíbrio entre ser uma pessoa que aceita tudo e ser alguém reativo. Para Tardivo, ter uma atitude de só se impor e não respeitar o outro também é extremamente prejudicial. "Nossas relações têm suas peculiaridades, mas é muito importante o outro ser respeitado, o mundo não gira ao redor do nosso umbigo", ela ressalta.

O "não" tem um grande potencial destrutivo e é preciso entender quando isso é bom e quando é ruim. "Às vezes a gente vai destruir alguma coisa para construir outra", considera Kamkhag. Mas leve em consideração não só a sua lealdade com seus sentimentos, mas também a forma como você se coloca, se vai magoar as pessoas a sua volta ou não.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube