menu

Topo

Longevidade

Práticas e atitudes para uma vida longa e saudável


Longevidade

Composto aumenta expectativa de vida de animais em 20%, diz estudo

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL VivaBem

2019-02-24T12:33:43

24/02/2019 12h33

Resumo da notícia

  • Cientistas descobriram composto de planta japonesa que aumenta expectativa de vida
  • Após analisarem 180 flavonoides, perceberam que este era o melhor contra envelhecimento celular
  • Ele conseguiu aumentar a expectativa de vida de vermes e moscas em 20%

A planta ashitaba é conhecida no Japão por sua importância na manutenção da saúde e bem-estar. E cientistas da Universidade de Graz, na Áustria, resolveram estudar melhor seus benefícios, com os resultados publicados em um estudo na revista Nature Communications.

Eles perceberam que um composto flavonoide específico dessa planta (chamado 4,4?-dimetoxichalcona) tem propriedades antienvelhecimento, estimulando a autofagia das células, processo em que elas se reciclam. A substância pode ser encontrada nas folhas e caules da ashitaba, mas não nas raízes.

Como o estudo foi feito

  • Os cientistas testaram 180 compostos flavonoides conhecidos por atividades antienvelhecimento
  • Para isso, eles monitoraram a saúde de células na presença de cada um deles individualmente
  • Eles observaram a integridade da membrana celular, o potencial clonogênico das células mais velhas e a produção de espécies reativas ao oxigênio
  • Nos 3 parâmetros, a substância da ashitaba foi a que trouxe melhores resultados
  • Depois eles testaram a 4,4?-dimetoxichalcona no organismo do verme Caenorhabditis elegans e da mosca de frutas Drosophila melanogaster
  • Com o tratamento com a substância, os dois animais tiveram um aumento da expectativa de vida de 20%
  • A substância mostrou que aumenta a autofagia das células, processo de renovação celular

Mas é preciso entender como essa substância agiria em organismos humanos, que tem algumas diferentes para os vermes e insetos.

Os segredos de quem vive muito

Enquanto os cientistas buscam formas de aumentar nossa expectativa de vida biológica ou geneticamente, tem gente vivendo mais com hábitos mais saudáveis.

O autor norte-americano Dan Buettner, em parceria com a National Geographic Society (ONG vinculada ao grupo de comunicação de mesmo nome), realizou pesquisas para identificar regiões em diferentes partes do planeta nas quais a população vive mais e melhor em comparação a outros povos. Seus estudos resultaram na descoberta de cinco Zonas Azuis. Nesses locais, ele identificou os seguintes nove pontos em comum:

  • Atividades físicas no dia a dia
  • Vida com propósito
  • Rotinas mais calmas
  • Refeições na medida certa
  • Dieta rica em vegetais
  • Pequenas doses de vinho regularmente
  • Espiritualidade
  • Vida em comunidade
  • Influência das pessoas "certas"
SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube