menu

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


H1N1 é diferente dos outros tipos de gripe? Tire dúvidas sobre a doença

iStock
Imagem: iStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

2019-02-18T16:40:25

18/02/2019 16h40

Depois da chuva e queda de temperaturas, o calorão resolveu dar uma trégua em algumas cidades do país. Porém, com a mudança climática é muito comum as pessoas ficarem resfriadas e gripadas. Um dos tipos gripe que podem aparecer nesta época do ano, principalmente na volta às aulas, é a gripe H1N1, que já foi motivo de preocupação em outros anos.

Mas calma, não entre pânico. A influenza é combatida com vacinação, além de cuidados com higienização como lavagem de mãos, com água e sabão ou álcool em gel. Abaixo, tiramos 8 dúvidas comuns sobre ela:

O que é a gripe H1N1?

A gripe H1N1 é uma doença respiratória aguda e é diferente de uma gripe comum por ser causada por um subtipo distinto do vírus influenza. Ela pertence à família da Influenza A, que tamb[em conta com o vírus H3N2.

É diferente da gripe comum?

Os sintomas da H1N1 são iguais aos das gripes que estamos acostumados: dor no corpo, fraqueza, mal-estar, febre alta, tosse, espirros e dor de cabeça. O que acontece é que os sintomas podem ser mais fortes que os de uma gripe corriqueira e os pacientes costumam sentir falta de ar e dificuldades respiratórias.

Todo mundo com gripe H1N1 precisa tomar Tamiflu?

Os pacientes do grupo de risco, como grávidas, crianças e idosos, devem sim tomar o Tamiflu (oseltamivir). Normalmente é preciso tomar a cada 12h por cinco dias, mas o período pode se estender por dez dias. Mas não é todo doente que precisa deste remédio. "Para os que estão fora do público-alvo e não correm riscos de complicações, o H1N1 pode ser tratado com remédios analgésicos, anti-inflamatórios e até xaropes, se o paciente tiver tosse", afirma Mazon.

Como se pega H1N1?

É preciso entrar em contato com a saliva ou secreções respiratórias de uma pessoa infectada. Geralmente, a contaminação se dá quando doentes espirram ou tossem. "As gotículas, repletas de partículas infectantes, podem cair sobre superfícies e objetos, onde o vírus pode ficar ativo por dez horas", afirma Carolina Lázari, infectologista do Fleury Medicina e Saúde*. Quem tocar locais contaminados e em seguida levar as mãos ao nariz, boca ou olhos pode ficar doente.

Se estiver doente, quando posso transmitir o H1N1?

O vírus da gripe A pode ficar no organismo até dez dias após o início da infecção. O pico da transmissão, contudo, acontece nos primeiros cinco dias de sintomas. Após a fase mais forte, o vírus estará em pequenas quantidades e as chances de transmissão chegam a quase zero, de acordo com o pneumologista Francisco Mazon.

Quem corre mais riscos com a doença?

O Ministério da Saúde selecionou o público-alvo da doença, que inclui: crianças de até 5 anos, grávidas, índios, idosos, trabalhadores da saúde e portadores de doenças crônicas. Esses grupos são os mais sensíveis ao vírus e podem ter complicações caso sejam infectados. Por isso, as campanhas de saúde priorizam esses pacientes.

Como posso me prevenir?

As medidas mais importantes são a higienização das mãos com frequência, com água e sabão ou álcool em gel. Além disso, é recomendável manter os ambientes arejados, ventilados e limpos, e evitar locais fechados ou com grande número de pessoas. Comer bem, se hidratar e praticar atividades físicas também ajudam a manter o corpo saudável.

Existe vacina contra o H1N1?

Sim, a vacina contra o H1N1 é conhecida vacina contra a gripe. Existem dois tipos diferentes. Uma das vacinas é trivalente, ou seja, imuniza contra três tipos distintos do vírus influenza (gripe), dois do tipo A e um do tipo B. Além desta, existe também uma vacina tetravalente, contra dois vírus do tipo B e dois do A.

* Fontes consultadas e dados de matéria publicada no dia 04/04/2016.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube