menu
Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta

Aline perdeu 20 kg em 8 meses sem deixar de comer pizza e churrasco

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Juliana Vaz

Colaboração para o UOL VivaBem

06/12/2018 04h00

A gaúcha Aline Raquel, 26 anos, engordou após o casamento e o ponteiro da balança chegou a 85 kg. Mesmo sem gostar de fazer exercício, ela começou a caminhar, passou a correr e se apaixonou pelo esporte. A seguir, ela conta como emagreceu:

"Minha família é de descendentes de italianos e alemães. As refeições em casa sempre foram fartas, cheias de pães e massas. Porém, mesmo sem gostar de fazer esportes e comer bastante, nunca tive problemas com o peso até o fim da adolescência.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Comecei a engordar quando me casei. Nosso programa favorito era cozinhar, assistir a filmes e fazer churrasco. Já não curtia atividade física atividade física e, com essa rotina, me tornei mais sedentária. Engordei 20 kg em cinco anos

Como tenho 1,75 cm de altura, não me importava tanto com o sobrepeso. Apesar de as roupas estarem apertadas, só me incomodei de verdade quando vi que nas fotos de família eu era maior do que o restante das pessoas. Meu rosto saía tão redondo nas imagens que mal conseguia ver meus próprios olhos.

VEJA TAMBÉM

Tentei todo o tipo de dieta maluca e restritiva que se possa imaginar por três anos. Até emagrecia, mas quando voltava a comer normalmente a balança rapidamente retornava aos 85 kg.

Eu me sentia mal, ficava com peso na consciência pelo que comia em excesso, mas não conseguia mudar meus hábitos 

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Em 2018, decidi que iria conseguir emagrecer sem radicalismos ou remédios. No fundo, todos sabem o que é necessário fazer para perder peso: não abusar de frituras, bebidas alcoólicas, massas e açúcar. Segui exatamente isso. Reduzi o consumo de carboidratos, eliminei frituras e reservei somente os finais de semana para o churrasco e a pizza com os amigos. Não foi fácil nos primeiros dias, mas dizia a mim mesma que dessa vez ia conseguir.

Defini como meta perder 1 kg por semana até me livrar dos 20 kg que ganhei. Comecei no dia primeiro de fevereiro deste ano essa reeducação alimentar, sem a ajuda de um nutricionista. Minhas refeições tinham comida 'de verdade', com o mínimo possível de industrializados. Também passei a me policiar para beber mais de um litro de água por dia. 

Eu sabia que precisava sair do sedentarismo, porque a mudança alimentar é só uma parte da vida de alguém saudável, mas não gostava do ambiente das academias. Então, resolvi caminhar ao ar livre todos os dias. Após duas semanas, como a corrida ajuda a emagrecer, decidi intercalar a caminhada com alguns trotes.

No começo, faltava ar e precisava parar a cada 100 metros para recuperar o fôlego, percorridos, mas insisti. Em um mês, já conseguia completar 10 km sem precisar andar e vi que esse era realmente meu lugar: correndo ao ar livre.

Mesmo cansada, toda suada, após correr a autoestima fica lá em cima

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Quis tentar bater 15 km, consegui. Depois coloquei na cabeça que ia correr uma meia maratona. Parece loucura, mas sou muito determinada e treinava cinco vezes por semana. No fim de março, alcancei os 21 km e nunca me senti tão orgulhosa de mim mesma antes --e o melhor, bati essa meta justamente no dia do meu aniversário. Oito meses depois, perdi o excesso de peso e voltei a ter 65 kg, sem ficar com flacidez.

Hoje, parece até que meu corpo pede para se movimentar e comecei a treinar também musculação para prevenir lesões, pois meu novo objetivo é ser uma maratonista em 2019, alcançar os 42 km.

Em relação à alimentação, sei que é importante o acompanhamento profissional e talvez no futuro comece a seguir uma dieta orientada. Mas por enquanto apenas mantenho um cardápio equilibrado e não me sinto culpada em comer dois pedaços de pizza, churrasco ou sobremesa em um dia. Sei que isso não vai estragar minha conquista. Basta ter controle e na refeição seguinte voltar a me alimentar com opções saudáveis.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube