menu
Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Casais que estão há muitos anos juntos tendem a brigar menos, diz estudo

iStock
Imagem: iStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

04/12/2018 17h12

Com certeza você já ouviu que a viver a dois não é fácil, requer paciência e muita força de vontade para seguir e envelhecer ao lado de quem ama. Um novo estudo feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia (EUA) mostra que o rancor e as brigas entre um casal tendem a diminuir com o passar do tempo

Para chegar a essa conclusão, a equipe analisou conversas gravadas em vídeo entre 87 maridos e esposas de meia-idade e mais velhos, que eram casados de 15 a 35 anos.

As informações, publicadas na revista Emotion, mostraram um aumento em comportamentos positivos como humor e afeto e uma diminuição em comportamentos negativos, como crítica. "Apesar de experimentar a perda de amigos e familiares, os idosos em casamentos estáveis são relativamente felizes e experimentam baixas taxas de depressão e ansiedade. O casamento tem sido bom para a saúde mental", Robert Levenson, um dos autores do estudo. 

Na investigação das relações conjugais, os pesquisadores observaram interações de 15 minutos entre os casais em um ambiente de laboratório enquanto discutiam experiências compartilhadas e conflitos. 

VEJA TAMBÉM:

Os comportamentos de escuta e fala dos cônjuges foram analisados e classificados de acordo com suas expressões faciais, linguagem corporal, conteúdo verbal e tom de voz. As emoções foram codificadas nas categorias de raiva, desprezo, repulsa, comportamento dominador, medo, tensão, tristeza, lamentação, interesse, afeição, humor, entusiasmo e validação.

Os cientistas descobriram que tanto os casais de meia-idade quanto os mais velhos, independentemente de sua satisfação com o relacionamento, experimentaram aumentos nos comportamentos emocionais positivos gerais com o passar dos anos, enquanto experimentaram uma diminuição nos comportamentos emocionais negativos em geral.

"Esses resultados fornecem evidências comportamentais que são consistentes com pesquisas que sugerem que, à medida que envelhecemos, nos tornamos mais focados nos aspectos positivos em nossas vidas", ressalta Verstaen.  

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube