menu
Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Estudo divide pessoas que abusam da bebida alcoólica em cinco perfis

iStock
Tomar cinco doses de álcool por dia, mais de cinco vezes no mês, já é considerado consumo abusivo Imagem: iStock

Do UOL VivaBem

02/12/2018 15h50

Além de causar diversos problemas de saúde em longo prazo, incluindo alguns tipos de câncer, o consumo excessivo de bebida afeta muito o dia a dia das pessoas, pois pode gerar mal-estar físico, comprometer o convívio familiar e social, prejudicar o trabalho e por aí vai... 

Como o problema está associado a diversos fatores, cientistas da Universidade Estadual Pensilvânia (EUA) fizeram um estudo para definir os perfis de pessoas que abusam do álcool, pois acreditam que a partir disso fica mais fácil compreender o que leva alguém ao transtorno. 

VEJA TAMBÉM:

Publicada no periódico Alcohol & Alcoholism, a pesquisa foi realizada com 5.400 homens e mulheres com idade entre 18 e 64 anos, que tiverem de apontar os problemas que mais tiveram no último ano por causa do abuso de álcool. Com essa informação, os cientistas dividiram enquadraram nos cinco grupos abaixo as pessoas que exageram na bebida --ou seja, mulheres que tomaram quatro ou mais doses e homens que beberam cinco ou mais doses em pelo menos cinco dias do mês.

1 - "Apenas efeitos adversos"* (34%) Receberam essa classificação os participantes que afirmaram sofrer apenas com ressaca ou abstinência, mas não apresentaram muitos outros problemas devido ao álcool. Jovens adultos compõem a maior parte desse grupo.

2 - "Maior exposição a riscos" (25%) Dirigir, nadar ou fazer sexo sem proteção foram algumas das "artes" que indivíduos desse grupo aprontaram após abusar dos drinques. O surpreendente é que adultos mais velhos, com pico de idade na casa dos 58 anos, foram os que mais relataram esses comportamentos --que de imediato associamos aos jovens. "Achei esse fato tão curioso que chequei os dados três vezes", diz Ashley Linden-Carmichael, autora da pesquisa. Ela acredita que jovens estão mais habituados a usar aplicativos de transporte, por exemplo, por isso se envolvem em atividades menos perigosas quando estão bêbados. 

3 - "Consumo problemático sem muita interferência na vida" (21%) São indivíduos que relataram sofrer muitos sintomas por causa do consumo excessivo de bebida (compulsão, ansiedade, irritação, agitação, insônia e mal-estar, por exemplo), mas que não sentem isso afetar a vida em casa, no trabalho ou na escola. Os jovens adultos são maioria nesse grupo. 

4 - "Dificuldade em abandonar o álcool" (13%) Adultos com mais de 53 anos foram os que mais se enquadraram no perfil. Ele é formado por pessoas que até tentam diminuir a quantidade de bebida que ingerem, mas não conseguem. Linden-Carmichael acredita que indivíduos com idade mais avançada provavelmente já sofreram muitos problemas pelo uso abusivo do álcool e, por isso, querem diminuir o consumo, mas têm dificuldade.

5 - "Altamente problemático" (7%) Apresentam muitos sintomas ligados ao consumo de álcool, que chegam a afetar o trabalho e/ou a convívio com a família e a saúde. Embora indivíduos de todas as faixas de idade se encaixarem nesse grupo, houve um pico maior de pessoas com 48 anos. 

"Muita gente pensa que alguém só tem transtorno de uso abusivo de álcool quando está na categoria 'Altamente problemático'. Mas não é bem assim. Pessoas com desordens provocadas pela bebida não se enquadraram somente no quinto grupo e, sim, em todos os apresentados", alerta Linden-Carmichael.

Lembre-se: abuso de álcool não é só beber até cair ou não se lembrar como voltar para casa. Quatro ou cinco latinhas de cerveja em um dia, cinco vezes por mês, já é considerado como consumidor excessivo, segundo o National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism (EUA).

*Os nomes dos cinco perfis foram traduzidos livremente para facilitar sua compreensão.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube