menu

Topo

Tudo sobre Câncer

Sintomas e tratamentos da doença


Por que tratamento do câncer de mama acelera envelhecimento do cérebro?

Istock
Imagem: Istock

Priscila Carvalho

Do UOL VivaBem, em São Paulo

27/11/2018 15h57

O tratamento de um câncer pode provocar diversos efeitos colaterais. Uma das queixas feita principalmente por pacientes que lutam contra o câncer de mama é a perda da capacidade cognitiva. Pesquisadores da Universidade da Califórnia (EUA) decidiram aprofundar essa questão e estudaram mulheres que tiveram esse tipo de tumor. 

Os cientistas verificaram que o tratamento da doença acelera processos de envelhecimento cerebral. Motivo: alguns agentes quimioterápicos e a radioterapia destroem o câncer ao danificar o DNA das células cancerosas. No entanto, isso também pode danificar o DNA das células saudáveis, acelerando assim os processos de degeneração do cérebro.

Para chegar a essa conclusão, a equipe analisou 94 mulheres que haviam recebido algum tipo de tratamento para o câncer de mama de três a seis anos antes do início do estudo.

VEJA TAMBÉM

Eles analisaram os marcadores do envelhecimento biológico, tais como alto nível de dano ao DNA, redução da atividade da telomerase e encurtamento dos telômeros nas células sanguíneas. Os telômeros são as "tampas" que protegem o DNA celular e a telomerase é uma enzima que ajuda a manter o comprimento desses telômeros. À medida que os telômeros se tornam cada vez mais curtos, acabam enviando um sinal de que a célula está envelhecendo e logo morrerá.

As participantes do estudo que tinham alto nível de danos no DNA e baixa atividade da telomerase alcançaram uma pontuação menor nos testes que avaliam a função executiva, que é responsável pelos processos cognitivos do cérebro como memória de trabalho, raciocínio, flexibilidade de tarefas, entre outros.

"Essas descobertas são importantes porque fornecem mais informações sobre como o tratamento do câncer afeta o declínio cognitivo em alguns indivíduos. Essa informação pode levar a novas intervenções para evitar esses declínios cognitivos", acrescenta Judith Carroll, uma das autoras do estudo.

Hormônios também favorecem degeneração do cérebro 

Além da quimioterapia e da radioterapia, algumas pacientes com câncer de mama também são submetidas à hormonioterapia, que também influencia no envelhecimento cerebral. Esse último procedimeno é usado quando mulheres diagnosticadas com o tumor apresentam “receptor hormonal positivo”, em que os próprios hormônios femininos atacam os tecidos do corpo e estimulam o crescimento do câncer. 

Nesses casos, é necessário realizar um tratamento hormonal que, muitas vezes, provoca menopausa precoce e acelera o processo de envelhecimento do organismo. O procedimento pode durar de cincos a dez anos.
Fonte: Mariana Monteiro, oncologista do Americas Serviços Médicos e do hospital Paulistano. 

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube