menu
Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta

"Após várias dietas restritivas, perdi 35 kg com ajustes simples no menu"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Elcio Padovez

Colaboração para o UOL VivaBem

15/11/2018 04h00

Jennifer Loncloff, 29 anos, tentou diversas táticas para emagrecer e chegou até a pensar em fazer cirurgia bariátrica. Mas os médicos vetaram a operação e a paulistana decidiu agir. Fez uma reeducação alimentar e aprendeu a comer bem. A seguir, ela conta como conseguiu mudar:

"Luto contra a balança desde os 17 anos, e a situação piorou depois que tive meu primeiro filho. Entrei em depressão por não me sentir bem com meu corpo. Não tinha coragem de me pesar e evitei por anos até me olhar no espelho.

No fim do ano passado, já com três filhos, resolvi subir na balança de um mercado e tomei um susto: estava com quase 93 kg. Na hora, me dei conta de que precisava fazer algo. Como quase todo mundo que busca resultados imediatos, comecei a seguir por conta própria um monte de dietas 'milagrosas' ou restritivas demais, como a da sopa, a do coração, a Dukan.

Comia porções iguais a do meu filho de 1 ano na esperança de emagrecer, claro que era uma tentativa em vão 

Cheguei a pensar seriamente em fazer cirurgia bariátrica, mas os médicos disseram que eu não precisava e vetaram. Um dia, vi um post no Instagram de um grupo que seguia um programa de reeducação alimentar e tinha resultados muito bons. De início, achei que era bom demais para ser verdade e mais uma vez entraria em furada. Mesmo assim, marquei uma consulta.

VEJA TAMBÉM:

Em poucos dias, percebi que o objetivo do programa não era só seguir uma dieta e ter uma relação muito mais saudável com a comida. Aprendi que não preciso ter medo dos alimentos, que eles não são meus inimigos. Basta eu saber me controlar e fazer boas escolhas. 

Antes, acordava e queria um pão com muito queijo e presunto. Mas com o tempo um ovo no café da manhã passou a me satisfazer. Aprendi a comer todos os tipos de verduras, legumes e frutas. Além disso, frituras e doces deixarem de fazer parte do meu cardápio e, hoje, nem me atraem mais.

No primeiro mês, perdi 7 kg, algo que nunca tinha conseguido em tão pouco tempo. Gradativamente, fui me reeducando e em seis meses enxuguei 35 kg. Virei outra pessoa. 

Uma coisa que senti que me ajudou muito foi poder conversar a qualquer momento com os profissionais do programa pelo Whatsapp. Se estava em uma festa ou fora de casa e tinha dúvida do que podia comer, perguntava e eles me indicavam o que fazer para não prejudicar tanto a dieta.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Depois de emagrecer senti que minha disposição aumentou muito. Antes, levava meus filhos Eduardo, Thomas e Manoel ao parque e só observava, pois estava com a mobilidade e ânimo reduzidos. Hoje, quando nós vamos, brinco com eles, interajo e tenho muita energia.

Faço parte há 15 anos de um grupo de rap com meu marido. Quando estava acima do peso, mal me movimentava no palco. Cantava uma música e já me sentia sufocada, ficava ofegante. Atualmente, canto, danço e me movimento com mais naturalidade. Todos perceberam a diferença. Também ganhei mais energia para frequentar a academia. 

Quando estou cantando, me pergunto como o Tim Maia, que odiava falar sobre o peso dele, dava conta de fazer tudo aquilo que fazia no palco. 

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube