menu
Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Dentes sensíveis? Entenda as causas e escape da dor

iStock
Estresse, dieta e escovação influenciam a sensibilidade nos dentes Imagem: iStock

Fabiana Stelina 

Colaboração para o UOL VivaBem

08/11/2018 04h00

Não há copo de água que mate a sede, sorvete que refresque ou cafezinho que ajude a relaxar quando, depois de colocá-lo na boca, você sente uma dor quase insuportável nos dentes. Já passou por isso? Se sim, você pode estar sofrendo de hipersensibilidade dentinária --ou simplesmente ter dentes sensíveis.

Apesar de se tratar de uma dor momentânea, que surge principalmente ao consumir algo gelado ou frio, doce ou ácido e logo passa, os especialistas alertam que o incômodo pode e deve ser tratado. 

"A sensibilidade ocorre quando a dentina, um tecido poroso sob o esmalte do dente, fica exposta. Ela possui canais microscópicos (os túbulos dentinários) que conduzem ao nervo e, quando descobertos devido ao desgaste do esmalte ou à retração da gengiva, sente-se dor", explica Paulo Vinícius Soares, professor de dentística e materiais odontológicos da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia .

VEJA TAMBÉM:

As principais causas

As causas da sensibilidade dentinária moram nos hábitos do dia a dia. Por exemplo, escovar os dentes com força ou usar escova de cerdas duras demais, que podem machucar a gengiva e acabar expondo a raiz do dente. 

Consumir em excesso alimentos e bebidas ácidas --vinho, sucos e frutas cítricas, iogurte, refrigerante, café, adoçantes artificiais e outros itens que levam à formação de ácidos na boca -- também é uma armadilha, pois provocam a erosão do esmalte e deixam a dentina desprotegida. E não é só isso. "Se você escova os dentes logo depois de ingerir essas comidas, o atrito pode aumentar o desgaste e a sensibilidade. O ideal é esperar cerca de 30 minutos para fazer a limpeza ou enxaguar bem a boca antes de usar escova e pasta", comenta Antônio Wilson Sallum, professor de periodontia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Clareamentos dentais também podem resultar em dor temporária por causa dos agentes clareadores usados, agressivos ao dente. Evite tratamentos caseiros e busque esse tipo de solução apenas com orientação profissional --a frequência das aplicações, o tipo de clareador e o tempo em contato com o dente podem aumentar o risco de sensibilidade. 

Outro fator que tem tudo a ver com a dor é o nível de estresse e ansiedade. Isso porque o bruxismo --hábito de ranger e apertar os dentes, que afeta principalmente pessoas muito tensas -- desgasta e provocam fraturas no esmalte, deixando os dentes sensíveis. Soares comenta que existem aplicativos para smartphone (como o Desencoste seus Dentes) para enfrentar esse transtorno. "Funciona como uma ferramenta de autopoliciamento e reeducação: de tempos em tempos, o app emite um alerta para o paciente perceber se ele está travando os dentes", diz.

O professor criou um grupo de estudos com cerca de 30 profissionais, entre dentistas, psicólogos, médicos, bioquímicos e nutricionistas, além de estudantes de odontologia, para levantar dados clínicos, laboratoriais e epidemiológicos de várias regiões do país sobre o tema. "Constatamos que o perfil das pessoas que sofrem de hipersensibilidade aumentou, ou seja, as pessoas estão sofrendo de um envelhecimento precoce da boca e dos dentes." 

Cárie ou sensibilidade?

A dor da sensibilidade nos dentes é aguda e de curta duração, que ataca quando se come ou bebe alguma coisa. Já a cárie costuma provocar um desconforto contínuo. Porém, para diagnóstico preciso da hipersensibilidade dentinária é necessário consultar um profissional especializado, capaz de garantir que o desconforto seja relacionada ao problema. 

Na consulta, o dentista vai tentar levantar o histórico da dor com o máximo de detalhes e também realizar alguns testes. "É preciso experimentar estímulos térmicos (principalmente do frio), mecânicos (contato do dente com instrumentos metálicos) e aplicação de jato de ar para investigar o local e a intensidade da dor", diz Sallum. Nesse momento é usada uma escala para o paciente marcar a magnitude do desconforto.

Uma pesquisa feita pela Kantar TNS, agência global de pesquisa em diversas áreas, revelou que a hipersensibilidade dentinária afeta três em cada dez brasileiros. Apesar da grande incidência, apenas metade das pessoas que sofre com o diagnóstico procura um especialista, de acordo com a dentista da Odonto Empresas Rosane Menezes Faria. 

Fatores que desencadeiam a sensibilidade

  • Retração gengival, que pode ser causada pela idade ou escovação bruta;
  • Uso de creme dental muito abrasivo;
  • Consumo de bebidas ácidas em excesso (como refrigerantes), que leva à erosão do esmalte do dente; 
  • Bruxismo;
  • Gengivite
  • Dente lascado ou fraturado; 
  • Refluxo gástroesofágico;
  • Dietas restritivas, que tendem tornar ácido o pH da boca. 

Como amenizar a dor

  • Escolha uma escova dental com cerdas macias, pasta para dentes sensíveis --que alivia a dor, mas não trata o problema -- e use fio dental todos os dias, a fim de prevenir doença gengival;
  • Não coloque força durante a escovação; 
  • Evite alimentos e bebidas ácidas em excesso;
  • Procure maneiras de aliviar o estresse e converse com seu dentista sobre a necessidade de usar placa de bruxismo.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube