menu
Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta

"Perdi 22 kg comendo o básico em casa, não tinha tempo de fazer marmitas"

Arquivo pessoal
Após emagrecer 22 kg, Samanta focou no ganho de massa e já conquistou 13 kg de músculo Imagem: Arquivo pessoal

Juliana Vaz

Colaboração para o UOL VivaBem

25/10/2018 04h00

Samanta Nascimento teve depressão pós-parto e chegou a pesar 89 kg. Após superar a doença, ela decidiu emagrecer para recuperar a autoestima e conseguiu isso se alimentando com o que a família estava acostumada a comer. A seguir, a futura educadora física conta como chegou lá:

"Nunca tive problema com peso e, mesmo durante a gravidez, aos 18 anos, engordei apenas 8 kg --que foram eliminados com a amamentação.

Após o nascimento do meu bebê, começaram a surgir os primeiros sinais de depressão, mas eu não entendia direito o que estava acontecendo. Meu casamento entrou em crise, o que aumentou ainda mais o estresse e a tristeza que eu sentia.

Cerca de seis meses depois do parto me separei e a depressão bateu com ainda mais força. Para 'lidar' com a situação, acabei descontando tudo na alimentação. Comia quantidades exageradas a toda hora. Em menos de um ano, cheguei a 89 kg (tenho 1,63 cm de altura). 

Mal conseguia subir escadas. O excesso de peso prejudicava meu dia a dia e, principalmente, minha autoestima 

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Quase não tinha mais vida social. A depressão não dava trégua e, sem pensar, tomei alguns comprimidos antidepressivos da minha mãe. Comecei a passar mal e corremos para o hospital. Lá, os médicos disseram que eu podia ter sofrido uma parada cardíaca. Vi que estava no fundo do poço e busquei ajuda profissional. 

Demorei mais de um ano para me livrar da depressão, e durante esse tempo não me preocupei com o excesso de peso. Quando me estabilizei mentalmente, decidi entrar na academia. Só que continuei comendo bastante e saindo para beber com os amigos. Logo, não via resultado algum com o treino --que também não era tão regular quanto deveria. 

Só dei conta do quanto estava acima do peso quando tentei comprar uma calça de cintura alta, tamanho 46, e ela não fechou. Saí da loja segurando o choro, mas muito decidida a emagrecer. Resolvi pegar firme nos exercícios e o professor da academia que já frequentava foi incrível, me incentivando desde o primeiro dia dessa 'nova vida'. 

No primeiro mês, perdi 4 kg só com a atividade física e cortando besteiras que comia no meio do dia. As roupas começaram a ficar mais largas e em cerca de seis meses eliminei 14 kg.

VEJA TAMBÉM

Malhava em dois períodos. De manhã, fazia treinos aeróbicos antes de trabalhar e à noite, musculação. Com 75 kg, já me sentia mais disposta e feliz, mas ainda tinha muita gordura e não era o corpo que queria ter.

Desanimei e voltei a tomar refrigerante e comer fast-food, em vez de 'alimentos de verdade', além de inventar desculpas para não treinar. Com a 'recaída', em apenas três meses recuperei 14 kg.

Pensei em tudo que já havia enfrentado até ali e decidi retomar a rotina fitness com determinação. Em um ano, perdi 22 kg com muito treino de musculação, sem dietas malucas. Comia o que tinha em casa mesmo e minha família estava acostumada a consumir diariamente: arroz, feijão, carne, verduras e legumes

Nunca tive paciência e tempo para fazer marmitas e alimentos fitness. Claro que isso funciona, mas também é possível emagrecer simplesmente optando pelo que você tem acesso e é saudável

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Minha única estratégia de alimentação diferente do convencional foi fazer um café da manhã nutritivo, com banana, aveia e até whey  protein, para ficar saciada ao longo do dia.

Também evitei aquilo que todos sabem que não devem comer: pizza, pães, doces, carboidratos refinados e qualquer tipo de bebida alcoólica. Assim, cheguei a 65 kg.

Ao emagrecer reencontrei minha autoestima e descobri minha paixão profissional também. Já era formada em pedagogia, mas, em 2017, decidi estudar educação física.

Estou no segundo ano da graduação e faço estágio na mesma academia em que treino. Preparo as refeições lá mesmo e não cair na armadilha de comer lanches pela falta de tempo. Quero mostrar que com organização e determinação, todos conseguem ter hábitos mais saudáveis

No ano passado, decidi focar meu treino em hipertrofia e volume muscular. Graças a ele, não fiquei flácida e ainda aprendi que o peso na balança só engana. Hoje, aos 25 anos, peso 78 kg, mas tenho só 11% de gordura corporal e estou cada dia mais feliz com minhas conquistas."

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube