menu
Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor

7 alimentos que diminuem sua vontade de comer doces

iStock
Vontade de comer doce pode ser apaziguada com alguns alimentos Imagem: iStock

Diego Garcia

Colaboração para UOL VivaBem

11/10/2018 04h00

Muitas pessoas têm um desejo real de comer doces. Quem nunca desejou um brigadeiro depois do almoço que atire a primeira pedra. Mas sabia que existem certos nutrientes que podem reduzir esse desejo? Confira abaixo alguns alimentos que vão ajudar a reduzir a vontade por doces e a não sabotar a sua dieta e, principalmente, a sua saúde:

Carnes magras (boi, porco, frango e peixe)

Getty Images
Imagem: Getty Images

Por serem alimentos de digestão mais lenta, fontes de proteínas como carnes magras, frango e peixe, propiciam saciedade maior por mais tempo e ajudam a estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Dê preferência para preparações assadas, cozidas ou grelhadas.

Além disso, as carnes são uma fonte importante de cromo, um mineral que nas quantidades adequadas potencializa a ação da insulina e faz com que o indivíduo necessite de menor quantidade de carboidratos para atingir a saciedade.

VEJA TAMBÉM:

Leite e derivados

Getty Images
Imagem: Getty Images

Auxiliam na produção de serotonina decorrente do triptofano em sua composição, o que ajuda no controle do humor e da vontade de consumir mais doces. Eles também possuem ótimas concentrações de cromo, que também reduz a compulsão por doces. Podem ser consumidos isoladamente ou em preparações de baixo valor calórico como smoothies de frutas (bater iogurte, leite, fruta e gelo).

Grãos integrais

iStock
Imagem: iStock

Alimentos como aveia, linhaça e chia são fontes de nutrientes importantes como ômega 3, além de fibras solúveis, que absorvem água e viram uma substância parecida com uma gelatina no estômago, liberando a glicose do alimento de forma mais lenta. Como grande parte da busca por doces é decorrente dos picos e consequentes quedas rápidas de insulina que ocorrem após ingerir um carboidrato simples, o componente é importante nessa prevenção.

Arroz, linhaça, quinoa também são opções. Dica: não cozinhe os alimentos integrais em excesso, pois, quando muito cozidos, chegam praticamente a sua forma refinada. O ponto ideal é "al dente", nem muito duro, nem muito macio.

Grão de bico

iStock
Imagem: iStock

Além do triptofano, ele contém nutrientes como vitaminas do complexo B e magnésio que proporcionam relaxamento, reduzem a ansiedade e o estresse, sentimentos muito ligados ao consumo exagerado de doces.

Uma sugestão de consumo é na forma de vinagrete com tomate, cebola e temperos naturais (salsinha, cebolinha, manjericão e limão). Outras leguminosas como feijão, ervilha e lentilha, também são boas fontes de triptofano.

Abacate

iStock
Imagem: iStock

A fruta ajuda a promover uma sensação de bem-estar. Isso porque contém vitamina B3, que colabora com a manutenção de hormônios que regulam as substâncias químicas do cérebro e, por isso, resulta em um efeito relaxante. Por conter muita gordura, deve ser consumida sem excessos.

Ovos

iStock
Imagem: iStock

Excelente fonte de triptofano e cromo. Pode ser consumidos cozido, poché (“fritos em água”) ou em preparações como bolos de frutas com farinhas integrais, para reduzir picos de açúcar no sangue.

Banana

iStock
Imagem: iStock

É uma fonte de carboidrato saudável e rica em triptofano. Uma ótima sugestão de consumo é com canela, como sobremesa ou nos lanches.

Fontes: José Alves Lara, nutrólogo e diretor da ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia); Paula Schmidt Azevedo Gaiolla, professora permanente da pós-graduação e fisiopatologia em clínica médica da Faculdade de Medicina de Botucatu da UNESP (Universidade Estadual de São Paulo) e Gerente Médica do Hospital das Clínicas da mesma instituição; Alexandre Giffoni, nutrólogo do Hospital Geral de Pirajussara; Ana Paula Gonçalves, nutricionista do Grupo São Cristóvão Saúde; e Lilian Miola Ishikawa nutricionista educadora em diabetes e especialista em doenças crônicas não transmissíveis pelo Instituto de Ensino e Pesquisa Albert Einstein.

UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube