menu
Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Cura para osteoartrite? Novo composto promete parar avanço da doença

iStock
Injeção bloqueia molécula responsável pela degeneração da cartilagem Imagem: iStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

10/10/2018 11h31

Condição progressiva que afeta os ossos e a cartilagem dentro das articulações, a osteoartrite tem uma variedade de maneiras para ser administrada a longo prazo, mas não há cura. Uma nova pesquisa, no entanto, revelou um agente bloqueador que, quando injetado nas articulações, pode parar a degeneração da cartilagem.

Publicado no periódico Annals of the Rheumatic Diseases, o estudo mostrou um composto que bloqueia a molécula que causa a inflamação responsável por quebrar a cartilagem e esgotar o corpo de colágeno.

VEJA TAMBÉM:

"Neste estudo nós fornecemos a primeira evidência de que a injeção intra-articular de um bloqueador chamado "LNA-miR-181a-5p ASO" pode atenuar a degeneração da cartilagem em modelos pré-clínicos", diz Mohit Kapoor, diretor de pesquisa em artrite da University Health Network, em Toronto, no Canadá.

Os pesquisadores testaram o potencial terapêutico dos compostos em ratos, roedores, culturas de células e amostras de tecidos de pessoas com osteoartrite de joelho e coluna. Os resultados mostraram uma grande eficácia do bloqueador.

"Quando você injeta este composto nas articulações, ele bloqueia a atividade destrutiva causada pela molécula microRNA-181-5p e para a degeneração da cartilagem", explica Akihiro Nakamura, primeiro autor do artigo e pesquisador de pós-doutorado no laboratório de Kapoor.

Isso é importante porque atualmente não há medicamentos ou tratamentos disponíveis para pacientes que possam parar a osteoartrite, continua o cientista. "Os tratamentos atuais para a osteoartrite abordam os sintomas, como a dor, mas são incapazes de impedir a progressão da doença", acrescenta.

A co-autora do estudo, Raja Rampersaud, que também é cirurgiã ortopédica, afirma que a tecnologia da osteoartrite está engatinhando, mas a pesquisa agora deu um grande passo adiante. A equipe planeja iniciar estudos de segurança e testes clínicos em humanos.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube