Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Comer mal é uma das causas de câncer de estômago, doença que matou Mr Catra

mrcatrareal/Reprodução Instagram
Imagem: mrcatrareal/Reprodução Instagram

Do UOL VivaBem, em São Paulo

2018-09-10T09:33:41

10/09/2018 09h33

Morreu na tarde do último domingo (9), o funkeiro Mr. Catra, de 49 anos, que lutava contra um câncer de estômago desde 2017. Internado no Hospital do Coração (HCor), em São Paulo, o cantor teve falência múltipla de órgãos ocasionada pela doença.

O câncer de estômago geralmente é diagnosticado tardiamente, já que pode não haver sintomas no início --cerca de 80% dos casos no Brasil são descobertos em um estágio avançado. Quando o quadro avança, sinais como sentir-se satisfeito depois de ingerir pequenas quantidades de comida ou dificuldade para engolir, sensação de inchaço após comer, náuseas, azia, queimação ou indigestão começam a incomodar os pacientes.

Veja também:

Segundo Renata Arakel, médica oncologista do CPO (Centro Paulista de Oncologia), em São Paulo, o câncer de estômago acontece quando alguma célula sofre mutação e começa a se multiplicar de maneira errada, dando origem a um tumor, que nada mais é do que a multiplicação desordenada de células anormais.

De acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer), a enfermidade é mais comum entre homens acima dos 50 anos. 

Em entrevista ao programa Ritmo Brasil, no ano passado, Catra afirmou que o câncer era resultado muitas noites sem descanso e alimentação desregrada, pobre em nutrientes. De fato, os casos são geralmente resultantes de fatores não hereditários e são explicados por médicos como consequência de hábitos ruins, como o consumo exagerado de álcool e cigarros, alimentação rica em sal, alimentos defumados, obesidade e falta de exercícios físicos. 

O tratamento é feito de acordo com o estágio da doença. Se for inicial, a abordagem pode ser uma raspagem no estômago ou uma cirurgia para retirada do tumor. No caso do funkeiro, o problema já estava enraizado, e por isso, precisou passar por de sessões de quimioterapia.

"Chamamos de tumor enraizado quando as células de tumor se alojaram em gânglios próximos ao estômago. Ou seja, não adianta só retirar o tumor, é preciso dos outros tratamentos para acabar com as células", explica Renata.

Fontes: Renata Arakel, médica oncologista do CPO (Centro Paulista de Oncologia), em São Paulo, consultada em reportagem do dia 17/08/2017.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook • Instagram • YouTube