menu

Topo

O poder dos alimentos

Seu prato torna sua vida mais saudável


Alimentação rica em proteína é indicada para a saúde do fígado

O Poder dos Alimentos - fígado
Imagem: Gabriela Sánchez/VivaBem

Bárbara Stefanelli

Colaboração para UOL VivaBem

07/09/2018 04h00

Entre as funções do fígado está a missão de receber nutrientes do intestino e devolver ao sangue, na forma de glicose e glicogênio --nossas principais fontes de energia. Os primeiros sinais e sintomas de problemas no fígado são a dor abdominal do lado direito e a barriga inchada. Pele amarelada e urina escura são outros sinais de que a glândula não está muito bem.

A esteatose hepática (conhecida como gordura no fígado) vem se tornando uma das principais doenças no órgão. O distúrbio é caracterizado pelo acúmulo de gordura no interior das células do fígado e é basicamente causada por alimentação, sobrepeso e sedentarismo. Em alguns casos, o consumo de alguns remédios, como os corticoides, também provoca esta condição.

Além da esteatose, que estimativas indicam que atinge de 20 a 30% da população, cirrose e hepatite são outras doenças que afetam o órgão. Em alguns casos, o dano é tão grande que o fígado necessita até de transplante.

Portanto, abaixo, veja a alimentação adequada para desintoxicar e melhorar a saúde de seu fígado. O UOL Viva Bem conversou com Mônica Salum Valverde Viana, médica e integrante da Comissão de Mídias Digitais da SBH (Sociedade Brasileira de Hepatologia) e Rogério Alves, médico hepatologista do hospital BP - Beneficência Portuguesa (SP).

Coloque no prato:

iStock
Imagem: iStock

Carnes brancas
Como a gordura no fígado tem se tornado uma doença cada vez mais comum, é importante controlar o consumo de lipídios nas refeições. E, se você já tiver sido diagnosticado com este quadro, sua principal fonte de alimento virá das proteínas. As carnes brancas unem estes dois aspectos: são fontes proteicas com menor teor de gordura.

iStock
Imagem: iStock

Coxão duro
Se tiver dificuldade em abrir mão da carne vermelha, opte pelos cortes mais magros, com menos gordura. Entre eles, o coxão duro, coxão mole, filé mignon e alcatra. Coma apenas uma porção por dia.

Getty Images
Imagem: Getty Images

Leite e derivados
Também devem fazer parte da dieta por conta do fator proteico. Opte pelo leite desnatado ou semi e o queijo branco, que têm menos gordura.

UOL
Imagem: UOL

Clara de ovo
A parte transparente do ovo é rica em proteína. Portanto, uma omelete de claras pode ser o jantar ideal para dar aquele alívio para o seu fígado.

iStock
Imagem: iStock

Frutas “magras”
A frutose, o açúcar das frutas, também pode ser uma grande inimiga do fígado. Após a absorção desses açúcares pelo intestino, a frutose é metabolizada no fígado, que irá converter seu excesso em gordura. Quando ocorre excesso de frutose, também desenvolvemos resistência à insulina (hormônio que controla as taxas de glicose no sangue). Pera, ameixa e melão são alguns exemplos de frutas com poucas calorias. Mesmo assim, coma até três porções por dia.

Getty Images
Imagem: Getty Images

Verduras
A alimentação rica em fibras ajuda a manter as taxas de açúcar no sangue normalizadas, assim como também diminui a absorção de gorduras pelo corpo. A dica é comer um prato de salada antes da refeição e colocar alguns legumes no prato. Se não conseguir fazer os dois, opte por um ou outro, mas não deixe de comer fibras.

Getty Images
Imagem: Getty Images

Arroz integral
Em vez de comer o arroz branquinho no almoço, opte pela versão integral, que possui mais fibras. Evite, no entanto, os carboidratos de qualquer origem pela noite, quando o corpo tem mais dificuldade para metabolizar os alimentos.

iStock
Imagem: iStock

Café
De acordo com um estudo publicado em 2017 pelo Journal of Hepatology, o consumo de café e chás de ervas contribui para menor progressão da fibrose hepática, que se desenvolve quando o fígado é lesionado repetidamente --o que pode resultar em cirrose. O consumo seguro de cafeína é de três xícaras ao dia.

Veja também:

Melhor evitar:

iStock
Imagem: iStock

Bebidas alcoólicas
O álcool é a mais conhecida e a principal causa das lesões hepáticas. Seu consumo excessivo pode, inclusive, evoluir para cirrose (lesão crônica do fígado) e provocar a necessidade de transplante. A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que o limite de álcool seja de 30 gramas por dia --equivalente a duas latas de cerveja. Se você já sofrer de alguma condição no fígado, deve eliminar a bebida.

iStock
Imagem: iStock

Massas e pães
A restrição de carboidratos simples é fundamental na dieta para esteatose hepática --já que, com menos carbo, haverá menos glicose no fígado e, consequentemente, menos gordura. Portanto, restrinja o consumo de alimentos provenientes da farinha branca.

Getty Images
Imagem: Getty Images

Sucos naturais e de caixinha
Quem já tem alguma pré-disposição a doenças no fígado deve também ficar atento ao consumo de sucos --tanto naturais quanto em caixinha. Acontece que o suco natural acaba perdendo as fibras quando é feito, que servem para contrabalancear a absorção da frutose, diminuindo os malefícios deste açúcar. Os sucos de caixinha também são ricos em açúcar, portanto também devem ser evitados.

iStock
Imagem: iStock

Bacon e gorduras
Como já explicado, a gordura no fígado tem tornado-se uma das principais condições que afetam o fígado. Portanto, alimentos ricos em gorduras saturadas e trans, como bacon, embutidos, bifes com gordura, manteiga, sorvetes, chocolates e congelados, precisam ser consumidos com bastante moderação.

iStock
Imagem: iStock

Doces
O excesso de açúcar também pode causar o depósito de gordura no fígado. Portanto, se quiser um docinho, opte pelas versões diet, que não levam açúcar. A gelatina diet é uma boa e fácil opção.

Siga o UOL VivaBem nas redes sociais
Facebook • Instagram • Youtube