menu

Topo

No supermercado

Um manual para te ajudar a comprar melhor


Biscoitos doces: entenda quais valem mais a pena e como escolher

Marcia Albuquerque/VivaBem
Imagem: Marcia Albuquerque/VivaBem

Thais Szegö

Colaboração para o VivaBem

27/08/2018 04h00

Biscoitos doces (sem recheio) são um alimento sempre presente na compra dos brasileiros. Dados da Abimapi (Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias, Pães e Bolos Industrializados) mostram que as bolachas doces estão presentes na maioria das casas dos brasileiros. E mesmo durante o período de crise em 2016, itens como rosquinhas e bolacha maria/maisena não saíram do carrinho de supermercado dos consumidores.

Apesar disso, é consenso entre os especialistas que elas não devem fazer parte do cardápio com frequência, inclusive no caso das crianças, pois realmente não são muito saudáveis. Mas é possível diminuir os prejuízos provocados com a sua ingestão fazendo boas escolhas na hora da compra. Confira algumas dicas:

Prefira as que não são transparentes
A maioria dos biscoitos é acondicionado em invólucros de plástico flexível. Apesar de eles serem bem selados na hora do fechamento, esse tipo de material não impede totalmente o contato do alimento com o meio externo, o que pode reduzir o seu frescor. Por essa razão, é melhor que a embalagem seja pigmentada, ou seja, com ilustrações, o que minimiza essa ação.

Aposte nos produtos que contam com embalagens duplas
Alguns deles vêm em caixinhas de papelão e dentro delas são separados em porções menores que são embrulhados em saquinhos plásticos. Essas versões são ainda melhores, pois contam com duas camadas de proteção contra o oxigênio e a umidade do ambiente externo, garantindo a consistência e o sabor original do alimento por mais tempo.

Fique atento ao armazenamento e à integridade do pacote
O ideal é que as bolachas fiquem estocadas em locais com temperatura amena e pouca luz. Outro detalhe muito importante é que quanto mais bem feito for o fechamento da embalagem, melhor. E não coloque no carrinho se ele estiver violado ou danificado.

No mercado encontramos biscoitos doces com diversas formulações, mas, de maneira geral, elas podem ser divididas em convencionais, integrais, lights e diets

Opte pelos integrais
Eles oferecem benefícios para a saúde, como combate ao diabetes, às doenças cardiovasculares, à constipação e até mesmo a alguns tipos de câncer. Mas, para que esse efeito de fato aconteça, é necessário que as farinhas integrais apareçam nos primeiros lugares da lista de ingredientes, o que significa que ela é dos elementos presentes em maior quantidade no produto. O ideal, ainda, é que elas sejam mencionadas antes das farinhas refinadas.

No caso das lights o consumo deve ser moderado
Essa denominação significa que houve redução em algum elemento da bolacha, que pode ser açúcar, gordura ou mesmo sódio. Na maioria dos casos elas acabam tendo redução calórica, o que pode ser um problema se servir como desculpa para a pessoa ingerir uma quantidade maior do alimento. Nesse caso a troca não compensa.

As diet são mais indicadas para quem tem algum problema de saúde
Nesse caso é retirado totalmente algum dos ingredientes do alimento para que ele possa ser consumido por indivíduos que tenham algum problema de saúde que necessite de restrição alimentar, como hipertensão ou diabetes. No entanto, muitos consumidores optam por esse tipo de produto com a finalidade de emagrecer, o que não é uma boa ideia, já que em alguns casos o açúcar é substituído por gordura, que é mais calórica e deixa a bolacha ainda mais engordativa do que a versão original.

Confira sempre a lista de ingredientes
Em geral os biscoitos industrializados têm na sua composição farinhas, açúcares, gorduras e substâncias adicionadas com diferentes funções, como conservar, melhorar a maciez e o sabor, entre outros. Muitos desses componentes podem ser prejudiciais à saúde se ingeridos em grandes quantidades. Sendo assim, uma boa dica é preferir as opções com menos de cinco itens na lista de ingredientes, o que significa que eles foram menos processados e diminui o risco desse efeito no organismo. 

Fique atento às gorduras
Cheque os nomes que aparecem no rótulo e aposte nas opções com menores quantidades de açúcar simples e gorduras hidrogenadas, trans, saturadas ou interesterificadas.

Informação nutricional
Maisena versão convencional

  • Porção de 30 gramas (7 unidades)
  • Valor energético: 134 kcal
  • Carboidratos: 21 gramas
  • Gorduras totais: 4,3 gramas
  • Fibras: 0,7 gramas
  • Sódio: 102 miligramas

Maisena versão integral

  • Porção de 30 gramas (7 unidades)
  • Valor energético: 129 kcal
  • Carboidratos: 20 gramas
  • Gorduras totais: 4 gramas
  • Fibras: 1,7 gramas
  • Sódio: 104 miligramas

Maisena versão light

  • Porção de 30 gramas (7 unidades)
  • Valor energético: 127 kcal
  • Carboidratos: 20 gramas
  • Gorduras totais: 4 gramas
  • Fibras: 0,7 gramas
  • Sódio: 102 miligramas

Maisena versão diet

  • Porção de 30 gramas (7 biscoitos)
  • Valor energético: 135 kcal
  • Carboidratos: 21 gramas
  • Gorduras totais: 5,2 gramas
  • Fibras: 1,6 gramas
  • Sódio: 90 miligramas

Fonte: Marciane Milanski Ferreira, tem graduação em nutrição, mestrado em ciência da saúde e doutorado em clínica médica. É professora do curso de Nutrição na Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), em Limeira, no interior de São Paulo.

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube