Topo

VivaBem

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Ratos com câncer de pâncreas vivem três vezes mais com composto da maconha

Se combinado com a quimioterapia, o CBD aumenta sobrevida dos animais Imagem: iStock

Do VivaBem

31/07/2018 11h50

O câncer de pâncreas é um dos tipos da doença com maiores taxas de mortalidade. Isso porque os sintomas muitas vezes passam despercebidos, impedindo um diagnóstico --e tratamento-- precoce. Atualmente, apenas uma em cada 10 pessoas diagnosticadas com câncer de pâncreas sobrevive mais do que cinco anos. Um novo estudo feito com ratos, entretanto, sugere que o canabidiol (CBD), um componente da maconha, pode melhorar o prognóstico após o tratamento.

Os pesquisadores da Universidade Queen Mary de Londres (QMUL), no Reino Unido, e da Universidade Curtin, na Austrália, concentraram-se no potencial do CBD em vez de outro composto de cannabis, o tetrahidrocanabinol (THC), porque o primeiro não causa efeitos psicoativos.

Veja também:

No estudo, publicado no periódico Oncogene na segunda-feira (30), o professor Marco Falasca e sua equipe trabalharam com um modelo de câncer de pâncreas em camundongos, que eles trataram com CBD em conjunto com um medicamento típico de quimioterapia, chamado "Gemcitabina".

A equipe descobriu que, após esse tratamento de combinação, os roedores sobreviveram quase três vezes mais do que os ratos de um grupo de controle, que só haviam sido tratados somente com Gemcitabina.

"Este é um resultado notável", diz Falasca. "O canabidiol já está aprovado para uso em clínicas, o que significa que podemos rapidamente testá-lo em testes clínicos em humanos", acrescenta.

Segundo o autor do estudo, se eles puderem reproduzir esses efeitos em humanos, o canabidiol pode ser utilizado em clínicas de câncer quase que imediatamente.

Os pesquisadores também observam que estudos anteriores mostraram que o CBD pode melhorar os sintomas associados a tratamentos de quimioterapia, incluindo náusea, dor e vômito.

Se futuros ensaios clínicos provarem que o CBD é efetivo em melhorar as taxas de sobrevivência de indivíduos que passam por quimioterapia para câncer pancreático, isso também pode significar que o composto de maconha ajudará a compensar alguns dos efeitos colaterais do tratamento.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ratos com câncer de pâncreas vivem três vezes mais com composto da maconha - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL

Saúde