menu

Topo

No supermercado

Um manual para te ajudar a comprar melhor


Copo de vidro ou de plástico? Como escolher o melhor requeijão

Marcia Albuquerque/VivaBem
Saiba qual é o melhor requeijão para comprar Imagem: Marcia Albuquerque/VivaBem

Thais Szegö

Colaboração para o VivaBem

25/06/2018 04h00

Criado na década de 1950 como um subproduto do leite desnatado que era descartado na fabricação de manteiga, esse produto tipicamente brasileiro é muito versátil, pois pode ser espalhado sobre pães e bolachas e fica ótimo em diversos tipos de receitas, inclusive doces. Durante o ápice da crise dos últimos anos, ele foi cortado da lista de compras de muitas famílias, mas agora o seu consumo voltou a crescer. Se você faz parte da turma que não abre mão desse tipo de alimento, veja como escolher a melhor opção de requeijão cremoso para levar para casa.

Entre os copos de vidro e os de plástico não há diferenças significativas
Atualmente a maioria dos produtos desse tipo é vendida em embalagens feitas de plástico, o que ajuda a diminuir o seu preço e facilitar o processo de fabricação. E de acordo com estudos, não há diferença entre elas e os copos de vidro no que diz respeito à conservação. O que importa mesmo é verificar se o pote está totalmente íntegro e se está acondicionado em local refrigerado.

De olho na tampa
Nos casos em que elas são de metal, verifique se estão bem rígidas, principalmente no meio, o que demonstra que não foi aberta. Se houver botões de segurança que são removidos para a entrada de ar, melhor. Outro ponto que merece a atenção é a presença de lacres entre a tampa e a boca do copo que, é claro, devem estar inviolados na hora da compra.

Analise o produto
Veja se a sua textura parece granulosa, se está mais líquida ou mais firme do que o normal ou se há separação entre a gordura e o óleo. Se constatar qualquer uma dessas características, não o coloque no carrinho.


Atualmente no mercado encontramos três tipos: tradicional, light e sem lactose

Controla a ingestão de calorias? Aposte no light
Essa denominação indica que houve redução de pelo menos 25% em algum dos seus ingredientes e normalmente trata-se da gordura, o que reflete bastante no valor calórico do requeijão.

A versão sem lactose é indicada para os intolerantes
Algumas pessoas acreditam que todos devem evitar a ingestão desse açúcar do leite, mas essa opção foi desenvolvida para os consumidores que têm dificuldade para digeri-la.

Leia as letras menores
Se estiver escrito que o produto é feito com amido, saiba que este não é um requeijão convencional, mas, sim, uma versão barateada dele chamada especialidade láctea. Isso não faz com que ele necessariamente seja um produto ruim, mas significa que tem carboidrato, o que não acontece na versão tradicional, e que oferece menos proteína.

Cheque se há gordura vegetal na composição
Como o requeijão normal não contém esse ingrediente, já que tem origem animal, esse é outro indicador de que se trata da especialidade láctea. Ainda não há uma legislação que obrigue os fabricantes a colocarem esse nome na embalagem, mas eles precisam informar claramente que o produto tem amido e/ou gordura vegetal.

Mapa do rótulo
- Tipo de requeijão: convencional ou light
- Presença ou não de lactose
- Se tem amido ou gordura vegetal na composição

Informação nutricional

Versão normal
Porção de 30 gramas (1 colher de sopa)
Calorias: 82 kcal
Proteína: 2,7 gramas
Gorduras totais: 7,5 gramas
Versão light
Porção de 30 gramas (1 colher de sopa)
Calorias: 55 kcal
Proteína: 3,2 gramas
Gorduras totais: 4,2 gramas

Fonte ouvida pelo VivaBem: Sandra Maria Pinto, especialista em leite e derivados, professora associada no Departamento de Ciência dos Alimentos na Universidade Federal de Lavras, em Minas Gerais.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube