menu
Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Cientistas descobrem molécula que diminui toxicidade de antibióticos

iStock
As enzimas são proteínas que catalisam reações químicas essencias para vida ou para a biossíntese de compostos Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

20/06/2018 12h46

Pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) identificaram uma enzima capaz de alterar as propriedades dos aminoglicosídeos, moléculas produzidas por bactérias e usadas na medicina como antibióticos. O trabalho foi feito em conjunto com a Universidade de Cambridge (Reino Unido) e Wuhan (China).

Essa substância atua no processo de formação das moléculas de antibióticos como a gentamicina, a canamicina e a tobramicina, proporcionando resistência de micro-organismos causadores de infecções. A descoberta poderá levar à produção, por vias naturais, de antibióticos mais eficazes e com menos toxicidade. 

As enzimas são proteínas que catalisam reações químicas essenciais para vida ou para a biossíntese de compostos.

Veja também:

“Essa bactéria faz parte de um grupo chamado actinomicetos, que possuem enzimas capazes de transformar a glicose em moléculas usadas como mecanismo de defesa contra outros micro-organismos”, disse ao jornal da USP Marcio Vinícius Bertacine Dias, coordenador da pesquisa.

Dias afirma que os estudos de biologia estrutural ajudam a entender a biossíntese de antibióticos. “Apesar de serem usados clinicamente, muitos apresentam problemas de toxicidade e também há um grande número de casos de resistência a antibióticos, uma vez que são utilizados desde a década de 1950."

Atualmente, por causa da toxicidade, a gentamicina (um tipo de antibiótico) é utilizada apenas em casos graves de infecção, como último recurso, por meio de doses injetáveis. “Também há uma tendência de uso dos aminoglicosídeos para tratar doenças genéticas, pois eles inibem a síntese proteica realizada pelos ribossomos”, diz Bertacine Dias.

“A canamicina era usada contra bactérias gram-negativas, causadoras de infecções urinárias e sepse, mas deixou de ser adotada desde a década de 1990, devido ao aumento da resistência das bactérias ao antibiótico e sua toxicidade”.

Os estudos sobre biossíntese estão aumentando nos últimos anos e ajudam a ampliar os conhecimentos sobre engenharia biossintética de produtos naturais e antibióticos produzidos por bactérias. “É uma estratégia promissora para ser usada em paralelo com as técnicas tradicionais de química orgânica, aplicadas hoje em dia para a modificação de antibióticos, mas que podem gerar resíduos tóxicos para o meio ambiente", conclui Dias. 

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube