menu
Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta

Gordinho dançarino abandonou a balada para se focar na dieta e secou 36 kg

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Thamires Andrade

Colaboração para o VivaBem

07/06/2018 04h00

Ricardo Moraes, de 25 anos, chegou aos 150 kg e resolveu emagrecer quando o excesso de peso começou a atrapalhar seu trabalho como influenciador digital. Ele conta a seguir o que fez --e ainda faz -- para emagrecer

"Comecei a ganhar corpo aos 15 anos, mas fui magro durante toda a adolescência. Cheguei aos 18 anos com 70 kg, e a partir daí passei a ter problemas na balança. Gostava muito de comer e sofria o tempo todo com o efeito sanfona. Quando as roupas começavam a apertar, fazia dieta, emagrecia um pouco e depois engordava.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Em cinco anos, ganhei 80 kg e a balança chegou a marcar 150 kg. Apesar disso, só tinha noção de que estava muito grande por conta do tamanho das roupas que vestia. Minha alimentação era completamente desregulada. Não tomava café da manhã, sempre repetia o almoço e comia em grandes quantidades.

No fim de 2016, gravei um vídeo dançando uma música da Joelma e ele viralizou no Maranhão e no Pará. Cheguei a dar entrevistas para a Eliana e a Sabrina Sato. Comecei a viajar e participar de eventos e aulas de dança por conta disso. Tudo mundo ficava pasmo pois, mesmo gordinho, eu conseguia dançar muito. Além de ter fôlego para fazer uma hora de aula dança, ainda me apresentava em eventos.

Senti necessidade de emagrecer quando vi que meu guarda-roupa estava horrível. Tinha poucas opções do que vestir e as peças sempre eram muito básicas. Além disso, já não era mais capaz de dançar uma música inteira nas aulas sem precisar parar e tomar água.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
A diferença dessa vez para as outras que tentei emagrecer foi que coloquei na minha cabeça que iria aderir a dieta saudável ao meu estilo de vida.

Era uma terça-feira quando liguei para uma amiga e falei que tinha tomado essa decisão. Ela me deu algumas dicas do que comprar no supermercado, como folhas, ovos e frango. Depois, fui a uma nutróloga para ter um acompanhamento mais adequado.

Quando decidi emagrecer, estava consciente de que precisaria deixar de ir a festas e bares por um tempo. Ter isso em mente foi muito importante para obter bons resultados

Meu foco era meu corpo e minha saúde. Por três meses me tranquei no quarto e não saia --mesmo que ficasse irritado e estressado. Foi difícil no começo porque meus amigos não aceitavam que eu não era mais o parceiro para comer e beber. Mas segui firme.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Se ia a um churrasco, não bebia e só comia o que sabia que podia. Foi um trabalho de mudança de cabeça mesmo. Olhava para o alimento e treinava minha mente para entender que não precisava comer exageradamente. Fui evoluindo isso aos poucos até sentir que estava mais preparado para retomar a vida social.

Em um mês com acompanhamento da nutróloga, emagreci 13 kg. No segundo mês mais 14 kg foram eliminados. Ao todo, de agosto de 2017 até fevereiro de 2018, perdi 36 kg. O mais legal é que tudo mudou na minha vida desde então, da fisionomia a minha autoestima. 

Durante o processo de perda de peso, percebi que ter um bom plano alimentar é importante para não passar fome.

Sempre abusei das folhas. Elas são ricas em fibras e a nutróloga me explicou que aumentariam minha saciedade. Hoje, metade do meu prato é alface, couve e outras verduras. Na outra parte tem uma proteína e um pouco de carboidrato. Além de aprender a me controlar e não repetir mais o almoço, consegui criar o hábito de tomar café da manhã. Bebo um suco verde com couve, abacaxi e gengibre logo que acordo e vou para a academia. Depois, como ovos com frutas e estou pronto para encarar o dia.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Já frequentava a academia dois anos antes de querer emagrecer. Mas antes focava mais no aeróbico: fazia as aulas de dança e corrida esteira.

Quando resolvi perder peso, intensifiquei essas atividades e inclui a musculação. Achava 'uó' exercícios com peso, mas fui aprendendo a gostar. Atualmente, faça exercícios todos os dias. 

A parte difícil do treino é sair de casa. Quando estou na academia e a endorfina começa a ser liberada, me sinto ótimo. 

Recentemente, descobri em um evento que sou inspiração para muitas pessoas. Várias contaram que emagreceram com a minha ajuda, só de ver que eu estava conseguindo, elas se sentiram capazes.

Estou com 114 kg e pretendo chegar aos 95 kg, mas sem pressa. Entendo que emagrecer e se alimentar de forma mais saudável é um estilo de vida que precisamos nos adaptar. Engordei 80 kg em cinco anos e não espero emagrecer tudo isso do dia para a noite. É uma coisa que leva tempo.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube