menu
Topo

Check-up VivaBem

Aqui boato não tem vez! Esclarecemos o que dizem por aí

Tomar café na gravidez pode prejudicar o desenvolvimento do bebê?

Check-up VivaBem - Gravidez
Imagem: Priscila Barbosa/VivaBem

Ana Carolina Nunes

Colaboração para o VivaBem

16/05/2018 04h01

A alimentação costuma ser uma das principais preocupações das mulheres durante a gravidez, pois cuidar da dieta é essencial para a saúde da futura mamãe e do bebê.

Como boa parte das pessoas sabem, algumas substâncias devem ser completamente eliminadas do cardápio na gestação --o álcool, por exemplo. Já as frituras e o açúcar têm de ser evitados. Mas há outros alimentos que sempre geram dúvidas se podem ser consumidos ou não. Entre eles está o café. Entenda por que a bebida, que traz vários benefícios ao organismo, deve ser ingerida moderadamente na gestação. 

Beber café na gestação prejudica o feto?

Não há trabalho científico confirmando que o café causa complicações na gravidez. Porém, a cafeína estimula a glândula suprarrenal a liberar adrenalina. Esse hormônio tem efeito vasoconstritor --ou seja, faz com que veias e artérias se contraiam, diminuindo o fluxo sanguíneo em certas áreas do organismo. Isso pode diminuir o tamanho dos vasos que irrigam a placenta em 15%, reduzindo o fornecimento de alimento ao feto.

Se a vasoconstrição for frequente durante a gravidez, o desenvolvimento do bebê pode ser prejudicado. Outro ponto importante é que a vasoconstrição está ligada a casos de abortos. 

Além da redução do fluxo placentário, outra preocupação em relação ao café é devido à dificuldade que o feto tem de metabolizar a bebida, já que seu fígado ainda está em formação. Em casos extremos, isso pode fazer com que o bebê tenha taquicardia --aceleração dos batimentos cardíacos.

Mulheres grávidas não podem tomar café?

A recomendação médica é evitar o café, mas isso não significa que é proibido tomar a bebida. Os especialistas afirmam que uma gestante pode ingerir 200 mg de cafeína por dia, no máximo. Essa quantidade equivale a mais ou menos três xícaras de café. No entanto, o mais prudente é tomar somente uma dose da bebida ao dia, sempre com orientação médica, pois há obstetras que desaconselham a ingestão de café. E lembre-se que a cafeína também está presente em chás (preto, mate, verde, branco), energéticos, refrigerantes e chocolates. 

Vale ressaltar que o consumo em excesso de açúcar no terceiro trimestre da gravidez pode alterar a percepção do paladar do bebê. Portanto, a recomendação é que a grávida não adoce café. Também é indicado evitar a cafeína após grandes refeições, pois a substância inibe absorção de ferro no organismo --nutriente importante para a formação neural do bebê.

Fontes: Alberto D’Auria, médico obstetra do Hospital e Maternidade Santa Joana; Nelson Douglas Ejzenbaum, médico pediatra, neonatologista e membro da Sociedade Americana de Pediatria; Cylmara  Gargalak  Aziz, médica pediatra e membro do corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês; e Alessandro Scapineli, mestre em ginecologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube