menu
Topo

Longevidade

Práticas e atitudes para uma vida longa e saudável

"Não espere pela aposentadoria para curtir a vida", diz guru da longevidade

Reprodução
Gerontólogo Alexandre Kalache Imagem: Reprodução

Gabriela Ingrid

Do VivaBem

15/05/2018 14h46

A população está envelhecendo cada vez mais. Se hoje os idosos representam 11% da população brasileira, em 2050 serão mais de 31%. Mas como manter a qualidade de vida ao longo dos anos? De acordo com Alexandre Kalache, médico especialista em envelhecimento, a humanidade está vivendo uma revolução da longevidade e é preciso se preparar agora para ter uma vida melhor no futuro.

Kalache, considerado um guru da longevidade, se apresentou durante o lançamento da plataforma de longevidade Plenae, nesta terça (15), em São Paulo. O médico afirma que poucos acham que vão morrer de doenças que acompanham a longevidade, como Alzheimer ou Parkinson, mas é preciso se preparar para uma vida muito mais complexa. “O limiar da dependência começa a cair muito rápido na velhice, por isso é importante levar para a vida o mantra ‘Quanto mais cedo, melhor. Nunca é tarde demais’ [para planejar a velhice].”

Leia também:

Não espere a aposentadoria para ser feliz

Segundo o especialista, o país precisa pensar nos idosos no setor imobiliário, na saúde e na educação, mas a revolução a nível individual é tão importante quanto a governamental. “A revolução que nos falta é a da educação. As pessoas precisam deixar de lado essa mentalidade de que a vida deve ser apenas repleta de trabalho e de que a curtição só vem no final, com a aposentadoria”, disse ele. É preciso reinventar a palavra aposentadoria e estar presente na sociedade. “Não só trabalhar, mas aprender, cuidar dos outros e de si.”

Kalache ainda alerta para a importância de as pessoas, na velhice, terem um propósito. “É importante ser um mentor, deixar uma pegada, um recado para trás, para nos sentirmos vivos”, disse. Segundo ele, isso é possível somente com a harmonia entre as gerações. “A mensagem da longevidade é aprender a cuidar e ser cuidado. É viver o agora, capacidade de perdoar, pedir perdão e ser perdoado.”

"Não negue ajuda na velhice"

Reprodução
Abilio Diniz no lançamento da plataforma Plenae Imagem: Reprodução
Durante a palestra de abertura do evento, o empresário e criador do Plenae, Abilio Diniz, 81, também conta outro segredo da longevidade: conscientizar-se das próprias limitações.

“Eu tenho um amigo que diz achar deprimente segurar em corrimão, mas eu sei que não se pode ter vergonha disso”, diz. “Quando envelhece, a pessoa perde muito equilíbrio e ela não pode cair, porque isso é um perigo. Óbvio que ela pode evitar a queda, exercitando-se, entre outras coisas, mas o essencial é saber quando você precisa de ajuda e não negar isso.”

O empresário ainda contou que sempre se cuidou. “Comecei a fazer 80 anos com 29”, diz, já que começou a pensar na velhice antes de fazer 30. A atividade física, alimentação saudável, o controle do estresse, o autoconhecimento, a espiritualidade e o amor são os pilares nos quais ele se apoia para manter sua vida em equilíbrio. “Envelhecer é uma certeza, envelhecer com qualidade é uma escolha.”