Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor

Afinal, beber água mata a fome e ajuda a emagrecer?

iStock
Especialistas respondem se beber água ajuda a emagrecer e a matar a fome Imagem: iStock

Chloé Pinheiro

Colaboração para o VivaBem

07/05/2018 04h00

Que se hidratar é fundamental todo mundo sabe, mas não é consenso que tomar mais água resulte em menos quilos. “A relação entre uma coisa e outra é controversa”, opina Renato Zilli, endocrinologista do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Não é que os goles não tenham seu papel na perda de peso, mas apenas aumentá-los não necessariamente resultará em emagrecimento.

O que parece importar mais, na verdade, é consumir uma quantidade adequada. “A água é fundamental para o bom funcionamento do intestino, que por sua vez influencia no peso”, aponta Renata Cintra, nutricionista professora da Unesp (Universidade Estadual Paulista). Sem contar que, com menos água disponível, outros processos relacionados à balança são prejudicados.

Leia também:

“Ela participa na digestão e na absorção de nutrientes e é importante para reações metabólicas e eliminação de impurezas”, explica Joseane Bessa, nutricionista do programa de aperfeiçoamento profissional de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP (Universidade de São Paulo). Beber água também ajuda na eliminação das toxinas do corpo, o que ajuda a desinchar.

Água mata a fome?

Getty Images
Imagem: Getty Images
Um estudo realizado pela Universidade Virginia Tech, nos Estados Unidos, e publicado no periódico Obesity, um dos mais relevantes do mundo na área do emagrecimento, apontou que, sim, há um efeito positivo nesse sentido. Os pesquisadores dividiram 48 indivíduos com idades entre 55 e 75 anos em dois grupos, ambos receberam dietas com menos calorias e programas de exercícios, mas um deles foi instruído a tomar cerca de 500 ml de água antes de comer.

No fim das contas, o time mais hidratado apresentou uma perda 44% maior de peso do que o que seguiu tomando a mesma quantidade do líquido. Os autores dizem que o mecanismo para esse resultado é desconhecido, mas que há evidências de que beber água antes de cada refeição ou durante pode reduzir a sensação de fome e aumentar a saciedade. O que até faz sentido, mas em parte.

“Um dos mecanismos da saciedade é a dilatação da musculatura do estômago e isso ocorre quando a água chega no órgão, mas ela passa rápido por ali, então o efeito é temporário”, comenta Renata. “Outro ponto importante é que o estudo envolvia a dieta hipocalórica e a ingestão de meio litro até 2 horas antes das refeições, e essas condições podem ser determinantes para os resultados encontrados”, aponta Nayara Fabra, nutricionista do programa de aperfeiçoamento profissional de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP).

Isso porque cada estômago tem uma capacidade diferente, então a quantidade sugerida no trabalho pode levar à sensação de saciedade em algumas pessoas, mas não necessariamente funcionará para todos.

Fora essa questão mais polêmica, existem ainda benefícios indiretos da água para a saciedade. Quando ela entra em contato no estômago com as fibras dos cereais integrais, por exemplo, há a formação de uma espécie de massa viscosa que demora mais para ser digerida. Daí a necessidade de caprichar nos goles, caso coma bastante fibras --o que é ótimo, aliás, para perder peso. E, quando preferimos água, em vez de outros líquidos como refrigerantes e sucos, ingerimos menos calorias. Afinal de contas, ela não possui nenhuma.

Água gelada ajuda a emagrecer?

iStock
Imagem: iStock
Mito. A lógica é que, ao entrar em contato com a água gelada, o corpo trabalha para regular a temperatura e, assim, o metabolismo aumenta. “Isso até ocorre, mas o gasto calórico extra é pequeno demais para fazer diferença no peso”, destaca Zilli.

E quanto de água devo tomar?

Varia muito por conta de fatores como peso e idade, mas dá para considerar entre 1,8 e 2,5 litros diários. Para não ter erro, vá dando goles ao longo do dia e não espere a sede chegar. Primeiro, porque ela é um sinal de que o corpo já está sentindo falta de líquidos. E, depois, porque há a possibilidade de não reconhecer a sensação. “Não há evidências científicas sobre isso, mas observamos que algumas pessoas têm dificuldade em distinguir fome de sede”, aponta Luciana.

Já durante as refeições, ela vai bem, até para ajudar na digestão, mas não exagere. “É difícil estabelecer um limite específico, pois isso depende do volume do estômago de cada um mas, em geral, recomendamos um copo americano”, orienta Marcela Menah, nutricionista do mesmo grupo da USP.