Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

O vírus da gripe H3N2 é mais perigoso? Tire suas dúvidas sobre ele

iStock
Imagem: iStock

Daniel Navas

Colaboração para o VivaBem

27/04/2018 04h00

Todo ano é assim: junto com os meses mais frios vêm a preocupação com a gripe. E, desta vez, a população está ainda mais temorosa com a doença, devido ao surto provocado nos Estados Unidos pelo vírus H3N2. Ele infectou mais de 47 mil pessoas no país norte-americano, gerando diversas mortes, e já deu as caras no Brasil.

De acordo com o último dado da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, foram registrados mais de 57 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave causada pelo Influenza H3N2, em 13 estados brasileiros. E dez pacientes faleceram, sendo três em São Paulo.

Para vencer esse inimigo --que não é nem mais nem menos perigoso do que outros vírus da gripe --, nada melhor do que conhecê-lo bem. Por isso, o VivaBem responde a seguir algumas perguntas sobre o H3N2. 

Veja também:

O que é o vírus H3N2?

É uma variação do vírus Influenza, agente causador da gripe, que possui dois tipos importantes para os humanos: A e B. O H3N2 é um subtipo do Influenza A e circula entre nós desde 1968. Como todo vírus da gripe, ele sofre mutações ao longo do tempo. Foi justamente por "ter mudado" que infectou tanta gente nos EUA. 

“É importante lembrar que recentemente tivemos o vírus H1N1 --também do tipo A -- circulando com mais intensidade. Por isso, algumas pessoas já conviveram mais com H1N1 do que com o H3N2. Isso acaba interferindo na resposta imunológica aos diferentes tipos de Influenza e pode favorecer a epidemia”, afirma Nancy Bellei, professora de infectologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Qual a diferença do H3N2 para outros vírus?

Não existe uma diferença significativa para outros Influenza A, como o H1N1, que em 2009 provocou milhares de mortes no Brasil e no mundo --em um surto popularmente chamado de gripe suína. Como também atacam aves e porcos, os vírus da gripe A costumam sofrer maiores mutações do que os da B, que só atingem humanos. Como nosso organismo ainda não "sabe combater" essas mutações, o Influenza A tem potencial maior de epidemia

iStock
Febre, fadiga e problemas respiratórios são os principais sintomas causados pelo vírus H3N2 Imagem: iStock

Quais são os sintomas do vírus H3N2?

Ele pode causar febre elevada nos dois ou três primeiros dias, tosse seca, calafrios, dor de garganta, espirros, coriza, perda de apetite e dores musculares, nas articulações e na cabeça. Esses sinais são comuns em qualquer gripe. “Não é possível diferenciar uma doença provocada pelo Influenza H3N2, H1N1 ou B”, explica Bellei. 

Segundo a médica Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim), os sintomas provocados pelo vírus H3N2 geralmente permanecem por até uma semana. 

O H3N2 é mais "matador"?

Não! Como já foi dito, ele é muito semelhante a outros tipos de Influenza --e todos são potencialmente perigosos. Se não for tratada corretamente, qualquer gripe pode causar danos ao sistema respiratórios, comprometer os pulmões e levar à morte. Os problemas mais sérios tendem a acontecer em grupos de risco (idosos e crianças com até 5 anos) e pessoas que negligenciam o tratamento da gripe. 

Existe risco do H3N2 gerar no Brasil um surto como nos EUA? 

Isso é pouco provável. O aumento das mortes por H3N2 no Hemisfério Norte aconteceu porque o vírus que circulou era diferente do que a vacina prevenia. “Por isso, a eficácia da imunização foi muito baixa --entre 20% e 30% -- e os Estados Unidos registraram um número grande de pessoas com H3N2”, esclarece Luis Fernando Aranha, infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

A vacina da gripe protege 100% contra o H3N2?

A vacina trivalente distribuída em nosso país já tem o H3N2 em sua composição --e também o H1N1 e uma cepa do tipo B. Mesmo assim, ela não garante 100% de proteção contra a gripe, por causa do potencial de mutação do Influenza. “Esses vírus circulam livremente pelo mundo, por conta do transporte aéreo. Portanto, quem tem o vírus H3N2 na Rússia, por exemplo, em menos de 24 horas pode transmiti-lo do outro lado da Terra”, afirma o infectologista Paulo Olzon, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e membro da Sociedade Brasileira de Clínica Médica.

É importante salientar que, após receber a imunização, seu organismo leva 14 dias para atingir o nível de anticorpos capaz de proteger contra a infecção.

Há formas de se prevenir do vírus H3N2 além da vacina?

A vacinação é a medida mais eficaz. Além disso, para diminuir risco de contágio, é fundamental os cuidados básicos já conhecidos. Higienizar as mãos frequentemente, principalmente após passar por lugares onde há grande volume de pessoas. Procurar não tocar os olhos, a boca e o nariz quando as mãos não estiverem limpas. E, se possível, evitar ambientes fechados e aglomerados

iStock
A vacina da gripe protege contra o vírus H3N2 Imagem: iStock

Como o vírus H3N2 é transmitido?

Quando uma pessoa contaminada fala, espirra, tosse ou até mesmo respira, expele gotículas que contêm o vírus da gripe. Aí, você pode pegar o Influenza ao inalá-las. “O H3N2 também pode ser adquirido indiretamente, ou seja, quando a pessoa leva as mãos à boca, ao nariz ou aos olhos após tocar em uma superfície (maçaneta, corrimão, botão do elevador) contaminada”, esclarece Ballalai. 

Qual o jeito certo de tratar uma gripe?

Em geral, o tratamento consiste em usar métodos (medicamentos, compressas de água fria) que visam aliviar os sintomas da doença e melhorar o estado geral do paciente, enquanto o organismo combate o vírus. 

“A pessoa doente deve descansar, manter-se bem hidratada e, desde que tenha respaldo médico, pode usar antitérmicos e analgésicos. Em algumas situações, principalmente nos grupos considerados de risco (idosos e crianças com menos de 5 anos), a administração de antivirais nas primeiras 48 horas pode ser recomendada por um especialista”, aponta Isabella Ballalai.

Em caso de a febre persistir por mais de três dias, é importante voltar ao hospital para ser avaliado novamente por um profissional da saúde. 

iStock
Para evitar o contágio do vírus H3N2, higienize sempre as mãos após contato com objetos usados por muitas pessoas Imagem: iStock

Quem está gripado pode tomar a vacina?

Ao passar o período febril (geralmente os três primeiros dias) e os sintomas iniciais mais intensos, quem está gripado pode receber a vacina, sim.

Como diferenciar os sintomas do H3N2 de um resfriado?

O resfriado é uma doença mais leve. Em geral, já se inicia com sintomas respiratórios. “A pessoa começa a notar a garganta incomodando, o nariz escorrendo e tem espirros. Até pode haver uma febre, mas é baixa e cede logo. A gripe é diferente. Em geral, começa com febre elevada, que dura de dois a três dias, e depois há os sintomas respiratórios”, fala a infectologista Nancy Bellei.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube