menu
Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta

Adriana perdeu 34 kg após a gravidez usando o filho como peso para malhar

Divulgação
Imagem: Divulgação

Bárbara Therrie

Colaboração para o VivaBem

26/04/2018 04h00

A auxiliar administrativa Adriana Oliveira, de 31 anos, chegou a pesar 90 kg após ter seu primeiro filho. Sem tempo de ir à academia, ela começou a treinar em casa, ajustou a dieta e transformou o corpo. Veja como:

“Estava satisfeita com o meu corpo antes de engravidar. Pesava 62 kg e não fazia dieta, mas procurava ter uma alimentação saudável e corria aos finais de semana. Quando engravidei, fiquei ansiosa e passei a comer desenfreadamente. No café da manhã, por exemplo, eu comia bolo, pão de queijo, misto quente, tomava suco industrializado. Não sentia fome, era gula. Eu não tinha noção de que estava ficando obesa, achava que os quilinhos a mais eram normais, por causa da gravidez.

Durante o pré-natal, meu obstetra me advertiu e disse que isso poderia prejudicar minha saúde e a do bebê. Segundo ele, o esperado era que eu ganhasse 1 kg por mês ao longo da gestação (cerca de 9 kg no total). Porém, engordei 28 kg.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Alguns meses depois que o Samuel nasceu, eliminei 13 kg, mas recuperei esse peso no primeiro ano de vida dele e voltei a pesar 90 kg. Isso aconteceu porque não conseguia me organizar e fiquei atrapalhada com a chegada dele.

Trabalhava durante o dia e à noite cuidava do meu filho. Ficava muito cansada e não tinha disposição para preparar uma refeição saudável, só comia porcaria: pizza, lanches, fast-food, biscoito recheado. Tomava dois litros de refrigerante por dia. Para piorar, não praticava atividade física. Ia para todo o canto de carro e ficava ofegante quando caminhava. 

Tenho histórico de diabetes e pressão alta na família, se eu continuasse naquele ritmo poderia desenvolver essas doenças.

O sobrepeso também impactou a minha autoestima e vida sexual. Me sentia horrorosa, meu braço ficou enorme e minha barriga era caída e flácida. Tinha vergonha de ficar pelada na frente do meu marido, o João Carlos, não queria que ele me tocasse. Evitava ter relações sexuais. Pensava: ‘Como ele vai ter desejo por mim desse jeito’. João era compreensivo e dizia que entendia a transformação no meu corpo. Mesmo assim, eu me deprimia e chorava.

Minha barriga ficou tão grande a ponto das pessoas perguntarem se eu estava grávida. Uma vez, estava no trabalho e uma cliente colocou a mão na minha barriga e perguntou para quando era o bebê. Fiquei sem graça e disse que ele já estava em casa.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
O start para mudar veio quando o Samuel completou um ano e iniciei o desmame. Minha primeira mudança foi na alimentação, diminui bastante a quantidade de comida e bebida. Só comia o que coubesse num prato de sobremesa. Colocava arroz, feijão, salada, legumes e um pedaço de carne. No café da manhã, optava por uma fruta ou iogurte. Tomava bastante água e suco natural. 

Fazer academia era totalmente inviável para mim. Não tinha muito tempo e não queria ficar longe do meu bebê. Precisava de uma alternativa para conciliar as duas coisas. Achei o programa online ‘Mamãe Sarada’, que é voltado para mulheres que querem recuperar a boa forma após a gravidez. Executava 15 minutos de exercícios de força em alta intensidade e depois pulava corda por mais 15 minutos. Treinava de segunda a sábado.

No começo foi difícil, não conseguia fazer os exercícios. Ficava esgotada e me sentia fracassada, mas não podia desistir.

Fazia as aulas enquanto o Samuel dormia. Quando ele acordava, ficava no sofá ou participava das atividades comigo. Há uma modalidade de treino que usa o peso do corpo do bebê. Realizava os agachamentos com ele no colo, os abdominais o segurando peito e fortalecia os braços erguendo o corpo dele. Também fazia a prancha com o bebê em cima de mim. Isso me dava mais resistência.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Consegui emagrecer 30 kg treinando em casa em um ano e meio. Depois perdi mais 4 kg e estou hoje estou com 56 kg. Saí do manequim 46 para o 36.

Para manter o peso, continuo fazendo os 30 minutos de atividade física e não deixo de treinar nem quando viajo. Também intensifiquei os cuidados com a dieta: acrescentei alimentos integrais, verduras e reduzi o carboidrato.

Emagrecer me trouxe vários benefícios: não sinto mais dor nas costas, meu sono melhorou e tenho energia para trabalhar, arrumar a casa, cozinhar.

Quem me vê não acredita que sou mãe de um menino de três anos. As pessoas acham que fiz cirurgia plástica. Resgatei minha vaidade, me olho no espelho e me acho linda. Minha vida sexual está muito melhor. Meu marido quer namorar todos os dias.

Pretendo ter um segundo filho, mas na próxima gestação vai ser tudo diferente, já aprendi a lição. Vou controlar minha ansiedade, continuar me alimentando de forma saudável e praticar atividades físicas”.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube