Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

Por que o fast-food é mais calórico do que o lanche feito em casa?

iStock
Hamburguer fast-food versus caseiro Imagem: iStock

Chloé Pinheiro

Colaboração para o VivaBem

2018-04-19T04:10:00

19/04/2018 04h10

Você já deve suspeitar que um hambúrguer triplo acompanhado de batata-frita e sorvete de sobremesa não é exatamente a escolha mais saudável de refeição. E a fama é mesmo justificada: por conta do preparo, estes alimentos são mais calóricos do que as receitas similares feitas em casa.

Aliás, se colocarmos apenas as calorias em consideração, o resultado acaba sendo até que parecido. Vamos tomar como exemplo um sanduíche de uma famosa rede que leva duas fatias de queijo, carne e picles. Ele tem 526 calorias, contra 437 de um lanche equivalente montado em casa com os mesmos ingredientes.

Leia também:

Mas não são só elas que importam na hora de avaliar se o alimento é saudável. No mesmo comparativo, as gorduras da versão de casa somam 9 gramas a menos (são 30 contra 21). E veja, estamos falando de um sanduíche que leva apenas pão, carne, duas fatias de queijo e picles.

"A longo prazo, a quantidade elevada de carboidratos e gordura oferecida por esses alimentos não apenas favorece o ganho de peso, mas também a elevação do nível de triglicérides, colesterol e açúcar no sangue, o que é um fator de risco para diabetes e doenças cardiovasculares", aponta João Vicente da Silveira, cardiologista do Hospital Sírio Libanês, de São Paulo.

Fora que os lanches das redes de fast-food frequentemente levam ingredientes gordurosos como o bacon e molhos ultraprocessados, categorias cujo consumo deve ser diminuído. Para se ter ideia, em algumas redes, o "queijo" é na verdade um preparo processado com um pouco de queijo de verdade, gordura vegetal e saborizantes artificiais.

Os acompanhamentos

iStock
Aquela batatinha que você adora é normalmente frita duas vezes! Imagem: iStock
A batatinha é viciante especialmente porque é frita duas vezes: uma durante a fabricação, antes de ser congelada e depois novamente no restaurante. Isso faz com que o petisco absorva mais gordura saturada --a mais relacionada a problemas de saúde. Fora que são produtos industrializados, que podem levar em sua composição uma quantidade relevante de conservantes.

Portanto, é mais saudável descascar a sua batata em casa e fritá-la com óleo novo e na temperatura correta (entre 180ºC e 190º). Ao comer em lanchonetes, observe também se o óleo é trocado constantemente, pois, se reaproveitado muitas vezes, ele produz elementos tóxicos que são absorvidos pelos alimentos que fritam ali em alta temperatura. Quando há fumaça na panela de óleo, sinal de que esse processo pode incluir ainda substâncias com potencial cancerígeno.

Um sinal de que o alimento pode ter ficado tempo demais no óleo é quando a preparação está mais escura ou com manchas escuras e menos crocante. A mesma observação vale para os outros alimentos fritos por imersão como os nuggets de frango, que são, independentemente da qualidade da gordura onde fritaram, mais calóricos do que a versão assada no forno.

Como escolher o melhor lanche na rua

iStock
Imagem: iStock
Se a fome bate e você não pretende enfiar o pé na jaca, dá para fazer escolhas inteligentes no fast-food. A primeira dica é observar o cardápio, pois os estabelecimentos são obrigados a colocar a informação nutricional dos produtos. Depois, escolha os pratos com carnes grelhadas ou assadas.

A chapa até é uma alternativa mais leve do que a fritura, mas só se estiver bem limpa. Caso contrário, o novo hambúrguer "herda" as gorduras de seus pratos antecessores e, se houver restos queimados de comida na superfície, há ainda o risco de consumir substâncias com potencial cancerígeno.

Já os combos, que costumam vir acompanhados de batata frita e refrigerante, não são a melhor opção se o foco é a saúde: prefira as saladas como acompanhamento. E tenha em mente que até a parte light do menu pode esconder algumas armadilhas, como os molhos de saladas calóricos e turbinados com aditivos químicos e os sucos.

As bebidas à base de frutas comercializadas nas redes geralmente são do tipo néctar, ou seja, contém entre 20 a 40% de suco de verdade, dependendo da fruta. Essa categoria também é frequentemente bem recheada de açúcar.

Prepare um fast-food leve e gostoso em casa

iStock
Coloque a mão na massa Imagem: iStock
Na hora de fazer as compras para o hambúrguer, escolha carnes mais magras, como patinho e a maminha e tempere com sal, pimenta e ervas de sua preferência. Um segredo para reduzir a necessidade de sal é usar uma pitada de cúrcuma ou açafrão. Prepare-os no forno a uma temperatura de 220ºC ou ainda grelhados com um fio de azeite.

Já para as batatas, a melhor alternativa é a versão rústica, que é uma delícia. Ela pode ser feita no forno ou nas fritadeiras elétricas que não precisam de óleo. Basta cortar no formato que quiser, mantendo inclusive a casca, temperar com especiarias, sal e alho, colocar um fio de azeite e mexer a cada 5 minutos.

Por último, vale dizer que qualquer comida se encaixa em um estilo de vida saudável, e isso inclui lanches caseiros ou de lanchonetes de pequeno e grande porte. Só não vale exagerar ou incluir esses preparos mais pesados no cardápio semanal.

Fontes consultadas: Indiomara Baratto, professora de nutrição da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Letícia Mendes, nutricionista da Estima Nutrição, em São Paulo.