Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Secadores de ar sopram bactérias do banheiro na sua mão, diz estudo

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

11/04/2018 04h00

O uso de papel para secar as mãos sempre foi muito criticado por quem acha que é um desserviço ao planeta, por causar excesso de lixo, mas um novo estudo descobriu que os secadores de mão com ar quente --muito comuns em banheiros públicos-- "sugam" o ar ao redor, cheio de coliformes fecais, e os sopram de volta não apenas na sua mão, como também por todo o ambiente.

Em uma pesquisa, cujos resultados foram publicados este mês na revista Applied and  Environmental  Microbiologycientistas compararam o ar de um banheiro sem o secador com outro que tinha as máquinas. E descobriram que muito mais colônias bacterianas se desenvolveram em amostras de ar de locais expostos ao aparelho.

Veja também:

"As bactérias que estão nos banheiros vieram das fezes, e podem ser jogadas na atmosfera quando damos a descarga, especialmente em vasos sanitários sem tampa", disse Peter Setlow, autor do estudo, à revista Newsweek. Além disso, o simples entra e sai de pessoas no banheiro joga micróbios em sua pele, espalhando ainda mais as bactérias.

Como os secadores de mãos sugam o ar do banheiro e o lançam para fora de novo, nos breves momentos em que suas mãos descansam embaixo do bocal, elas estarão expostas a muito mais ar do que o habitual --e muito mais bactérias.

No estudo, os pesquisadores avaliaram 36 banheiros da Escola de Medicina da Universidade de Connecticut (EUA) para uma variedade de bactéria Bacillus subtilis chamada PS533 -- essa cepa é achada apenas um laboratório do local. Mas a equipe encontrou o PS533 em todos os banheiros testados.

Bactérias viajantes

"Dentro de um grande edifício, bactérias potencialmente patogênicas podem viajar entre as salas [do local que abriga aquele banheiro]", escreveram os autores em seu trabalho. "Os secadores de mãos poderiam ser uma das formas pelas quais essas bactérias se espalharam pelo prédio."

Em teoria, a adição de filtros HEPA (High Efficiency Particulate Arrestance) deve impedir que partículas de bactérias sejam pulverizadas sobre as mãos recém-limpas. No entanto, quando a equipe adaptou alguns de seus secadores com filtros HEPA, eles bloquearam apenas 75% das bactérias. Embora isso seja muito, certamente não é perfeito.

"Talvez os filtros não estivessem funcionando corretamente ou a grande coluna de ar abaixo dos secadores de mãos estivesse sugando bactérias de ar não filtrado", explicou Setlow, que é professor da Universidade de Connecticut.

Por enquanto, Setlow está aderindo a toalhas de papel --assim como a Universidade de Connecticut, que as adicionou em todas os seus 36 banheiros pesquisados no estudo.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

BBC
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
Em Frente
BBC
Cintia Cercato
Rico Vasconcelos
do UOL
do UOL
do UOL
Blog da Lúcia Helena
do UOL
VivaBem
BBC
BBC
Blog do Maurício de Souza Lima
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog da Adriana Vilarinho
do UOL
VivaBem
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cintia Cercato
Rico Vasconcelos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog da Lúcia Helena
VivaBem
do UOL
do UOL
BBC
Blog do Maurício de Souza Lima
Topo