menu

Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta


Após machucar o joelho por causa do peso, ele mudou de vida e perdeu 30 kg

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Thamires Andrade

Do VivaBem, em São Paulo

05/04/2018 04h00

Leonardo Dias, 30 anos, demorou para perceber os problemas que o sobrepeso trazia à sua saúde. Ele conta a seguir como encontrou na corrida o estímulo para ter hábitos saudáveis:

"Sempre fui gordinho por não me alimentar bem: não fazia as refeições nas horas certas, tomava muito refrigerante etc. Minha mãe sempre tentou fazer com que eu comesse direito, mas não tinha jeito. Meu peso não me incomodava, pois fazia de tudo, independente do número da balança.

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
Claro que tinha aquela zoeira na escola de “seu gordo” para lá e para cá. Mas pensava: 'E daí? Sou gordo mesmo...'. Foi só por volta dos meus 25 anos que o peso começou a me incomodar e pensei que não queria mais ser o gordinho.

Não era de praticar esportes regularmente, mas adorava jogar futebol com os amigos. Em uma partida, estourei meu joelho. Foi quando tomei o primeiro susto.

Estava com 100 kg e o médico alertou que deveria me preocupar. Se eu continuasse assim, machucaria o joelho novamente.

O problema foi tão sério que precisei operar e depois fui para a fisioterapia. Foi o primeiro “ensaio” que fiz para emagrecer. Em cinco meses eliminei 10 kg só com os exercícios de recuperação, sem dieta. Mas, depois que o joelho sarou, chutei o balde novamente.

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
Um tempo depois um colega de trabalho veio bater um papo comigo sobre saúde. Ele contou a história do pai dele, que era atleta, parou de se cuidar, pegou uma doença e ficou muito mal. Aquilo mexeu comigo e resolvi fazer algo para mudar minha vida. Não aguentava mais estar daquele tamanho. 

Comecei a correr com um amigo. Mas confesso que odiava o esporte. A atividade não fazia sentido algum -- não tinha uma bola ou um motivo para ficar ali correndo, sabe?

Para mim, fez toda diferença ir correr na praia, em contato com a natureza. Peguei gosto pela coisa assim.

Simultaneamente, passei a ler mais sobre alimentação saudável e conversar com amigos que entendiam do assunto. Não cheguei a ter acompanhamento de médico ou nutricionista, mas eliminei do cardápio doces, carboidrato à noite e refrigerante, que eu chegava a tomar 2 litros por dia. Também cortei fast-food, que comia muito.

Fui introduzindo verduras e legumes aos poucos no meu prato, sem traumas. Odiava alface e não comia nada verde, tipo rúcula e agrião. Hoje, não fico sem. Mas foi tudo porque coloquei na cabeça que eu precisava disso para ter a saúde que eu almejava.

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
Com a mudança na alimentação e a corrida, comecei a emagrecer. Em um ano, sequei 30 kg. Chegava a correr até 13 km por dia no início. Depois de um ano, resolvi ir para a academia para definir. Já tinha feito musculação anteriormente, mas não gostava, só que dessa vez peguei gosto. Não consigo ficar sem malhar, é algo que me ajuda a aliviar o estresse.

Depois de emagrecer, sou outra pessoa. Minha saúde melhorou, mudei meu estilo de vida e meu lado emocional está bem mais forte. 

Ainda não considero que cheguei no meu físico ideal. Sinto que isso um dia irá acontecer. Nesse momento vou continuar treinando e me alimentando para manter tudo o que conquistei, claro!