menu

Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta


Após secar 90 kg cozinhando a própria comida, ele vai virar nutricionista

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Thamires Andrade

Do VivaBem, em São Paulo

22/03/2018 04h00

Vinicius Galiza, 31 anos, tinha pressão alta e vergonha até de pisar no consultório médico. Com 200 kg, resolveu emagrecer do dia para a noite e se apaixonou pela culinária. Veja como ele mudou de vida:

"Comecei a engordar com sete anos. Até hoje não sei bem o motivo, se foi algum distúrbio ou algo assim. Não sofria bullying na escola nem nada, pois sempre fui o engraçado da turma. Mas havia aquele preconceito que todo obeso enfrenta das pessoas que não o conhecem. Evitava caminhar na rua porque ficavam olhando para mim e tirando sarro.

Quando me tornei adulto, comecei a ter problema de pressão alta, mas sentia vergonha de ir ao médico por conta do excesso de peso. Resolvi mudar de vida de um dia para o outro. Fui dormir comendo todas as besteiras que gostava e acordei focado em mudar minha alimentação.

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
A primeira coisa que fiz foi pesquisar sobre dieta saudável na internet. Tirei do cardápio farinha, massa e refrigerante, que eu tomava até no café da manhã. Também passei a fazer caminhadas leves no sítio em que morava. Morria de vergonha de pisar em uma academia. 

Foi difícil cortar tudo radicalmente da minha alimentação, porém, estava muito determinado. Não comia salada, frutas e legumes, mas aprendi, aos poucos, a gostar dessas coisas. Depois de um tempo com hábitos mais saudáveis, comecei a notar que estava emagrecendo e decidi buscar um nutricionista e uma academia. Quando subi na balança estava com 180 kg. Por isso, tenho a certeza de que cheguei aos 200 kg antes de decidir mudar.

Na academia, comecei a fazer musculação, pois o professor falou que o treino de força também era importante para emagrecer, e não só o aeróbico. Como sabia que não podia fazer qualquer exercício por ainda estar muito acima do peso, busquei um personal para me orientar. Ainda tinha muita vergonha, então, fui malhar em um espaço onde poucas pessoas treinavam.

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
A nutricionista passou um plano alimentar equilibrado e incluiu certos alimentos que eu tinha cortado da dieta, como farinhas. Ela disse que era importante comer de tudo para não ter problemas de saúde, basta saber escolher versões mais saudáveis, como a farinha de aveia. 

Essas mudanças na alimentação me levaram a aprender a cozinhar. Não sabia fazer nada, já que só comia alimentos prontos e fast-food. Hoje, amo preparar minha própria comida. Antigamente, minha concepção de dieta era comer coisas ruins, mas hoje em dia não é assim. Sei que dá para preparar um alimento gostoso e saudável.

Em um ano e três meses, emagreci mais de 90 kg sem remédios ou cirurgia. Fiquei esse tempo todo focado na dieta. Se sai do plano alimentar uma ou duas vezes foi muito. Para me manter motivado, eu comprava roupa. Quando vestia bermudas 60, minha meta era entrar numa 58, e eu traçava em quanto tempo isso deveria acontecer. Até brincava com as vendedoras falando que daqui um tempo voltaria lá para comprar outro modelo. No fim, passei do 60 para o 42. Foi uma mudança incrível.

Minha vida hoje é outra. Minha saúde e autoestima mudaram muito. Posso ir a qualquer lugar que ninguém fica me regulando. Peguei tanto gosto pela alimentação e culinária que comecei a estudar nutrição e já fiz vários workshops sobre como preparar receitas saudáveis.

Hoje, ainda não estou com o corpo que sempre quis, pois fiquei com muita flacidez na região do abdome e do peitoral. Quero fazer uma cirurgia estética para retirar o excesso de pele."

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook | Instagram | YouTube