menu
Topo

Como emagreci

Histórias inspiradoras de quem mudou a silhueta

Ele perdeu 70 kg para ver o filho crescer. Agora, vai se tornar um Ironman

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Thamires Andrade

Do VivaBem, em São Paulo

08/03/2018 04h00

Pesando 160 kg, Diogo Albuquerque Ferreira, 36, quase não viu o filho nascer porque não cabia no avental do hospital. Com medo dos riscos da obesidade, ele mudou de vida: fez cirurgia bariátrica, começou a correr e transformou o corpo

"Comecei a engordar na adolescência, mas foi na fase adulta que virei obeso. Antes, fazia jiu-jitsu, musculação, corrida e futebol. Quando resolvi prestar concurso público, deixei de lado as atividades físicas. Era daqueles que devorava chocolates enquanto estudava e no pouco tempo que sobrava comia mais besteiras (fast-food, pizza e sanduíche). 

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
Parei de me pesar e de me olhar no espelho. Quando queria achar roupa, ia em lojas especializadas e pagava muito caro nas peças. Até passar pela catraca do ônibus era difícil. Fiquei sete anos assim. Sofria situações constrangedoras, mas depois “esquecia” do meu peso. Tive muitos problemas de saúde por conta disso: pressão alta, colesterol alto, pré-diabetes, apneia do sono e pedra na vesícula.

Quando minha mulher engravidou, passei a olhar o mundo com outros olhos. Percebi que não dava mais para só pensar em mim. Seria pai, precisava cuidar e brincar com meu filho. Esses sentimentos me fizeram pensar que deveria emagrecer, refletir sobre a cirurgia bariátrica.

Relutei por um ano para fazer o procedimento, tanto que quase não assisti ao parto do meu filho por não entrar em nenhuma roupa do centro cirúrgico. O médico fez uma escalada do meu ganho de peso e, pelo meu histórico, logo chegaria aos 200 kg. Isso aumentaria ainda mais o risco de um infarto ou AVC, o que me chocou.

Foi quando resolvi virar a chave. Passei por uma série de consultas médicas (endocrinologista, pneumologista, nutricionista, psicólogo etc.) antes da cirurgia. Para fazer o procedimento é preciso ter IMC acima de 35, o meu era 47, fora as comorbidades que também possuía. Antes do procedimento, meu médico pediu para emagrecer 10% do meu peso para diminuir a gordura e mostrar que estava disposto a mudar de vida.

Na época, estava com 160 kg e precisava perder 16 kg para operar. Consegui eliminar 18 kg. Meu pré-operatório foi tranquilo e sem qualquer complicação. Estava preparado psicologicamente e sabia que precisava enxergar a alimentação de outra forma

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
Depois de 30 dias da cirurgia, fui liberado para praticar atividade física e, assim, estabeleci minhas metas. Em dois meses queria correr 5 km. E logo que autorizaram a musculação me matriculei na academia. Sabia que a perda de peso rápida acabava gerando flacidez e não queria ficar com sobra de pele.

Como a corrida é um esporte de impacto, no início, fiquei com problemas nos joelhos e na lombar. Mas não queria parar. Fiz treinos para fortalecer a musculatura que sustenta o joelho e passei a me exercitar sem dor. Os sonhos de um dia conseguir correr 5 km, 10 km, 21 km e 42 km me ajudaram a ficar na linha.

Depois da 7ª semana da cirurgia, fui liberado para comer o que eu quisesse. Pintou aquele medo de passar mal e voltar a engordar. Cortei pizza e fast-food por muito tempo. Hoje, como de vez em quando, só o suficiente para matar a vontade.

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
Ao todo, emagreci 70 kg em dois anos e minha vida mudou completamente. Fiquei livre dos problemas de saúde e de constrangimentos, como ter de pedir cinto de segurança maior no avião e quebrar cadeiras por aí. Tenho energia e disposição de sobra para brincar com meu filho.

Associar o emagrecimento com as metas no esporte foi a chave de tudo.

Mantive a alimentação em dia, mesmo podendo comer outras coisas, pois sabia que quanto mais magro estivesse, mais rápido correria.

Assim, realizei meus sonhos: completei dos 5K à maratona (42K) e resolvi tentar o triathlon. Em novembro passado fiz minha primeira prova e esse ano vou participar do Meio Ironman --modalidade com, aproximadamente, 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida.

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy