menu
Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor

Treino, banho e chá: é assim que ginecologistas aliviam as cólicas delas

iStock
Imagem: iStock

Maria Júlia Marques

Do VivaBem, em São Paulo

07/03/2018 04h00

Todo santo mês chega aquele momento em que você se sente mais irritada, sensível, com os seios inchados e com as malditas cólicas menstruais. A dor é incômoda e deixa aquela sensação de que a única atividade que você realmente quer fazer é deitar no sofá.

A menstruação é um evento inflamatório. O útero se prepara para receber um bebê e, quando a fecundação não ocorre, ele se livra dos preparos. O revestimento do útero, chamado de endométrio, descama, apodrece e cai, um processo que por si só pode causar dor.

Veja também:

Além disso, o útero se contrai todo para conseguir expelir o endométrio por um funil bem estreito, o colo do útero, segundo Márcia Araújo, ginecologista da Faculdade de Medicina da USP. A soma desses fatores causa as dores da cólica.

Para ajudar você nesse momento de “sofrência”, ninguém mais indicado do que boas ginecologistas. Lembre-se que as médicas também são mulheres e não podem deixar a cólica atrapalhar a rotina. Veja os truques que quem mais entende do assunto usa para afastar a dor.

"Eu tomo banho de banheira"

iStock
Imagem: iStock
Pense em um luxo no momento da menstruação. Quando o corpo está na água quentinha os músculos relaxam, diminuindo as contrações que causam cólica. Você sentirá alívio e terá queda nos fatores inflamatórios.

“O calor também gera vasodilatação, melhora a circulação e traz sensação analgésica, sabe? Se não der para tomar banho, aplique bolsa de água quente. Eu uso um paninho que aquece na tomada. É bom que  consigo esconder dentro da legging e deixar pertinho do corpo”, diz Renata Zambon Guidoni, ginecologista especializada em cosmética ginecológica.

PS: evite a água fria. Apesar do gelo anestesiar, ele provoca a contração dos vasos sanguíneos e vai deixar ainda mais difícil o trânsito no útero, piorando a cólica.

"Eu corro para a academia"

Treinar é uma boa ao sentir a cólica chegar. "Exercícios aumentam a vascularização, o que ajuda a mandar as prostaglandinas [substâncias que estimulam a contração do útero] embora e diminuir as dores”, aconselha Mara Diegoli, doutora em ginecologia pela USP e especialista em TPM (Tensão Pré-Menstrual).

A atividade física também libera endorfina, apelidada de hormônio do bem-estar. Com ela, você terá uma queda na irritabilidade e se sentirá mais feliz, o que a gente sabe que é de grande ajuda para aguentar a cólica.

Se estiver sensível, faça exercícios menos intensos, como pilates, hidroginástica, alongamento e ioga, que não cobram muito do corpo e ajudam a relaxar.

"Sempre bebo um delicioso chá"

iStock
Imagem: iStock
Considere tomar um chá de camomila, que tem papel anti-inflamatório suave e pode agir na cólica. Ou então de erva-cidreira: ele acalma e reduz a irritabilidade. Uma terceira opção é o de canela. A especiaria ajuda a controlar o fluxo menstrual. Além desses benefícios, o chá pode trazer os mesmos resultados da água quente, mas de forma mais sutil.

“Gosto também de ter cuidado emocional, ter um pouco de mimo. É muito bom quando alguém prepara um chá para a gente: afasta a carência, a irritabilidade. Você fica feliz e confortável”, afirma Cíntia Pereira, ginecologista do hospital São Camilo.

"Um remedinho está liberado, né?"

Caso a dor esteja muito chata, você não precisa sofrer. Tudo bem tomar um medicamento. “Sou bem prática neste sentido: se toda vez a dor acompanha a menstruação, já indico um anti-inflamatório um dia antes de ela chegar, para diminuir a inflamação do útero e evitar incômodos”, diz Maria Luisa Nazar, ginecologista do hospital Edmundo Vasconcelos.

Outra opção é tomar um analgésico quando o negócio apertar. O remédio relaxa a musculatura uterina, evitando os espasmos das contrações que tanto doem. É importante lembrar que você deve consultar sempre um médico antes de tomar qualquer medicamento.

"Eu emendo as cartelas da pílula"

“Hoje, tomo pílula sem pausa, por opção. Quando você consome o medicamento continuamente não ovula, não tem contração uterina para expulsar o endométrio e não sente cólicas. É uma escolha de tratamento para quem sofre com muita dor”, explica Guidoni. Também existem DIUs com a mesma proposta.

Mesmo quem não emenda cartelas de pílula tem benefícios ao usar o remédio, uma vez que ele faz com que o endométrio se prolifere menos. Assim, há menos substâncias para saírem do organismo, você sangra menos e sente menos dor, de acordo com Araújo.

Cuidado, pode ser algo mais grave

A cólica é um sintoma menstrual. Porém, se ela for aumentando de forma progressiva ou se causar incapacitação, pode ser sinal de outra doença.

“Se você fica de cama, sem conseguir trabalhar direito, sem melhora até com remédios, é indicado procurar um médico. Algumas doenças, como endometriose, pioram as dores. Portanto, é preciso investigar a causa para saber como lidar com a cólica corretamente”, afirma Nazar. 

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy